Semapa Semapa Semapa Semapa Semapa Semapa

História

  • Constituição da Semapa com o objectivo de concorrer à reprivatização das empresas "Secil – Companhia Geral de Cal e Cimento, S.A." e "CMP – Cimentos Maceira e Pataias, S.A.".


Março:

  • A Semapa liderou um agrupamento de empresas e pessoas singulares, que concorreu à reprivatização das empresas Secil e CMP.

Junho:

  • Aumento do capital para 18 milhões de contos (89.783.621 euros) em numerário.
  • Obtenção de um financiamento de 53,1 milhões de contos (264.861.683 euros), através de um sindicato bancário.
  • A Semapa foi vencedora do concurso de reprivatização, tendo adquirido 51% da "Secil – Companhia Geral de Cal e Cimento, S.A." e 80% da "CMP – Cimentos Maceira e Pataias, S.A.".
  • Aquisição de 40% da Cimianto STH, 82% da Argibetão e 52% da Enersis.

Novembro:

  • A Semapa vende à Secil 80% da CMP, 40% da Cimianto STH, 82% da Argibetão e 52% da Enersis que assume 34,93 milhões de contos (174.230.105 euros) da dívida da Semapa.

Dezembro:

  • Novo aumento de capital, para 18,7 milhões de contos (93.275.207 euros).

 


Maio:

  • 2ª fase de reprivatização da Secil (7,94%) e da CMP (20%).

Julho:

  • IPO de acções Semapa, 2,5 milhões de acções colocadas em Portugal, 4,5 milhões colocadas junto de investidores institucionais estrangeiros (em sistema de bookbuilding, o que aconteceu pela primeira vez em Portugal com uma empresa de capital privado) e greenshoe de 1 milhão de acções.

Outubro:

  • Terceiro aumento de capital social, para 23,7 milhões de contos (118.215.102 euros).


  • Início da aquisição de uma participação financeira na Cimpor.
  • Interposição de uma acção judicial destinada ao ressarcimento pelo Estado Português dos danos causados pela incorrecta avaliação das responsabilidades do Fundo de Pensões da CMP.


  • Certificação da Fábrica do Outão através da Norma ISO 14001.

Dezembro:

  • Fecho do ano com uma participação de 4,7% do capital social da "Cimpor – Cimentos de Portugal, SGPS, S.A.", correspondente a um investimento global de 19,6 milhões de contos (97.764.388 euros).


Janeiro:

  • Início da internacionalização do Grupo com a aquisição em concurso público de 98,7% da Cimenteira tunisina "Societé des Ciments de Gabés", por 49,1 milhões de contos (244.909.767 euros). A Societé des Ciments de Gabés tinha uma capacidade instalada de 1,1 milhões de toneladas.

Junho:

  • Lançamento pela Secilpar, com a Holderbank, de uma OPA geral sobre o capital da Cimpor, ao preço de 20,5 euros por acção, mais tarde revisto para 23,5 euros.

Agosto:

  • Término da OPA, ordenado pela CMVM, no seguimento do Despacho de Sua Excelência, o Ministro das Finanças, invocando a aplicação do DL 380/93 (que fazia depender de autorização governamental a aquisição de uma participação superior a 10% em empresas em processo de privatização).

Setembro:

  • Entrada no mercado de Angola, através da "Tecnosecil" (Lobito), o que correspondeu a um investimento de 5,6 milhões de euros.

Dezembro:

  • Fecho do ano com uma participação de 9% do capital social da "Cimpor – Cimentos de Portugal, SGPS, S.A.", correspondente a um investimento global de 42,4 milhões de contos (211.490.308 euros).


Janeiro:

  • Aquisição, pela "Societé des Ciments de Gabés" da empresa tunisina "Sud-Béton".


  • Aquisição de 21,2% da Cimenteira libanesa "Ciment de Sibline SAL", localizada a Sul de Beirute, por USD 21 mio. A capacidade instalada da CDS - Ciment de Sibline é de 1,4 milhões de toneladas.
  • Interposição contra as sociedades Teixeira Duarte - SGPS, S.A., Tedal - SGPS, S.A., e TDP - SGPS, S.A., de uma acção de indemnização para ressarcimento dos danos decorrentes do facto de estas sociedades não haverem procedido ao lançamento de uma Oferta Pública de Aquisição sobre a totalidade do capital social da Cimpor, após haverem adquirido o respectivo controlo e dedução de um Incidente de Intervenção Principal espontânea com vista a aderir à acção de declaração de nulidade de compras de acções da CIMPOR interposta pelo Ministério Público contra a Teixeira Duarte – Sociedade Gestora de Participações Sociais, S.A., a TEDAL - Sociedade Gestora de Participações Sociais, SA, e TDP - Sociedade Gestora de Participações Sociais, SA.


Março:

  • A Semapa adquiriu aos accionistas dinamarqueses FLS e Hojgaard Holdings 41,06 % do capital da Secil, o que lhe permitiu alcançar o controlo de totalidade do capital e dos direitos de voto, num investimento de cerca de 300 milhões de euros.

Junho:

  • A Secil adquiriu, através de uma sua subsidiária, 25% do capital da empresa Nuno Mesquita Pires, SGPS, posteriormente redenominada Setefrete, SGPS, holding cujas empresas participadas se dedicam a actividades portuárias e marítimas.


Fevereiro:

  • A Semapa apresentou, através da Seinpart – Participações, SGPS, S.A., uma proposta de compra de um lote de 230.250.000 acções, representativas de 30% do capital social da Portucel – Empresa Produtora de Pasta e Papel, S.A. no âmbito do concurso público destinado a executar a segunda fase de reprivatização do capital desta sociedade.

Março:

  • A Semapa acordou vender à sociedade CRH (PLC), um lote de 23.880.414 acções, representativas de 45,126% do capital social (e de 49% dos direitos de voto) da sua participada Secil.

Abril:

  • O Grupo alienou a totalidade da participação que detinha na Cimpor – Cimentos de Portugal, SGPS, S.A., representativa de 9% do capital social desta sociedade.
  • O Conselho de Ministros declarou a participada da Semapa, a Seinpart – Participações, SGPS, S.A., vencedora do concurso público para a privatização de uma participação de 30% no capital social da Portucel – Empresa Produtora de Pasta de Papel, S.A..

Junho:

  • A Semapa formalizou a alienação da participação de 45,126% do capital (e de 49% dos direitos de voto) da Secil 23.880.414 acções à Beton Catalan, S.L. empresa do grupo CRH, PLC.

Julho:

  • Anúncio preliminar de lançamento de Oferta Pública Geral de Aquisição de acções emitidas pela Portucel – Empresa Produtora de Pasta de Papel, S.A., ao preço de 1,55 euros por acção, sendo a sociedade oferente a Semapa Investments B.V., detida a 100% pela Semapa.

Agosto e Setembro:

  • Oferta Pública Geral de Aquisição de acções Portucel.

Outubro:

  • Em resultado da OPA, o Grupo Semapa passou a deter 67,10% do capital e dos direitos de voto da Portucel.


Março:

  • A Secil constituiu a Secil Algérie, S.p.a., com sede em Argel na Argélia, com o capital social de 1 milhão de dínares argelinos visando futuros investimentos neste país.

Maio:

  • A Comissão Permanente do Conselho de Ministros do Governo de Angola aprovou um memorando de entendimento no qual se prevê a privatização de 51% do capital da fábrica de cimento angolana ENCIME a atribuir à sua participada Secil, com vista a ultrapassar o diferendo resultante da nacionalização dos activos de que a mesma Secil era titular à data da independência deste país.

Junho:

  • A Secil através da sua participada Secil Martingança, S.A. chegou a acordo para a aquisição de 70% das sociedades IRP – Indústria de Rebocos de Portugal, Lda e Lusocil – Sociedade Portuguesa de Cimento Cola, Lda empresas produtoras de argamassas secas, rebocos e cimento cola.

Dezembro:

  • Venda ao Grupo Babcock & Brown da totalidade da participação, i.e. 89,92% do respectivo capital social, na Enersis. A transacção teve por base um Enterprise Value da Enersis de cerca de 1,005 biliões de euros, tendo a SEMAPA obtido o montante de 420,9 milhões de euros pela venda da referida participação.


Novembro:

  • Terceira e última fase de reprivatização da Portucel, que consistiu na alienação de acções representativas até 25,72% do capital social da Empresa, através de uma Oferta Pública de Venda (OPV). O Grupo Semapa reforçou a sua posição em 4,7%.


Janeiro:

  • Aquisição pelo Grupo Secil de uma participação adicional de 21,86% da Sociedade Ciment de Sibline SAL com sede em Beirute, no Líbano, por USD 37, 3 milhões, após o que a Secil passou a deter uma participação total de 50,5% da Sibline.

Outubro:

  • Aprovação pelo Governo Angolano da nova linha de produção de cimento e clínquer para a Secil – Companhia de Cimentos do Lobito, S.A., detida a 51% pela Secil. A linha terá uma capacidade de produção de cimento prevista superior a 700.000 toneladas/ ano e que poderá vir a ser duplicada numa segunda fase.
  • Reforço da participação na Portucel, através da aquisição em Bolsa de acções representativas de 3,40% e do exercício do direito de compra de 2,95% do capital social.
  • Lançamento de uma nova área de negócios na área do Ambiente.
  • Formalização pela Portucel do contrato para a aquisição da nova máquina de papel de Setúbal, com capacidade de produção de cerca de 500 mil/tons / ano, a maior a nível mundial na produção de papéis finos não revestidos (UWF).


1º Semestre:

  • Reforço da participação na Portucel, através da aquisição em Bolsa de 1,5 milhões de acções.

Outubro:

  • Concretização da aquisição do Grupo ETSA, que permite a entrada da Semapa no sector do ambiente, uma área emergente e em forte expansão, e a consequente diversificação do seu portfolio de investimentos. O Grupo ETSA oferece uma solução integral e ambientalmente sustentável no mercado de gestão de resíduos.


Abril:

  • Alienação de 20% do Grupo ETSA à SGVR – Serviços e Gestão e Valorização de Resíduos.

4º Trimestre:

  • Inauguração da nova fábrica de papel em Setúbal, num investimento de aproximadamente 550 milhões de euros.

Outubro:

  • A Semapa iniciou um conjunto de procedimentos com vista à avaliação da SECIL e ao eventual exercício de um direito de opção de compra da totalidade das acções representativas do capital social da SECIL detidas pela CRH. A CRH informou a SEMAPA que iria opor-se aos aludidos procedimentos através do recurso à via arbitral prevista no acordo parassocial.
  • Reforço da participação na Portucel, para 76,95%.


1º Semestre:

  • Reforço da participação na Portucel, para 76,97%.

Agosto:

  • Arranque do novo turbogerador a vapor na central de cogeração a biomassa na fábrica do Grupo Portucel na Figueira da Foz.

Setembro:

  • Aquisição à SGVR de 16% da ETSA, passando a deter 96% do Grupo ETSA.

Dezembro:

  • Celebração pelo Grupo Secil de contrato para aquisição da totalidade da Lafarge Betões, pendente de aprovação por parte da Autoridade da Concorrência.


  • Em 2011, a Semapa reforçou a sua posição accionista para 78,10% dos direitos de voto da Portucel.
     
  • Celebração de um contrato de compra e venda para aquisição de uma participação representativa de 50% do capital social da Supremo Cimentos S.A., uma empresa cimenteira sedeada no Sul do Brasil, no estado de Santa Catarina, que tem em operação uma fábrica integrada de clínquer e cimento em Pomerode, bem como operações de agregados e betão.
     
  • No decurso de 2011, a Portucel adquiriu em Bolsa 7.045.574 acções próprias correspondente a um investimento de cerca de 15,4 milhões de euros.
     
  • Aquisição de 100% da Lafarge Betões que inclui as empresas Lafarge Agregados e Eurobetão. A Lafarge Betões, redenominada Uniconcreto Betão Pronto, é detida a 100% pela Secil. A Lafarge Agregados, redenominada Lusoinertes, e a Eurobetão passaram a ser detidas a 100% pela SBI.
     
  • Aquisição de uma participação adicional de 9% na subsidiária Britobetão, passando a participação para 91%.
     
  • Constituição das empresas Probicom (100%), Reficomb (100%) e Solenreco (98%) que actuam na área da preparação de combustíveis alternativos.


  • No decurso do 1º trimestre, entrada no mercado brasileiro de cimentos, através da aquisição de 50% da Supremo Cimentos S.A., que tem em operação uma fábrica integrada de clinquer e cimento no Sul do Brasil, bem como operações de agregados e betão.

  • A Supremo está a implementar um plano de expansão após o qual a sua capacidade instalada de cimento será de cerca de um milhão e setecentas mil toneladas.

  • Em Março, Oferta Pública de Subscrição de obrigações “SEMAPA 2012-2015”, que permitiu à Semapa obter um encaixe bruto de 300 milhões de euros. As obrigações têm maturidade de 3 anos e taxa fixa de 6,85%.

  • Em Abril, o Grupo Semapa emitiu um empréstimo obrigacionista no Brasil, no valor global de 128,1 milhões de reais por um prazo de 5 anos a taxa variável.

  • Em Maio, o Grupo Semapa adquiriu 49% da Secil detida pela CRH, pelo montante de 574 milhões de euros.

  • Durante o mês de Junho, a Portucel procedeu à compra de um lote 24,85 milhões de acções próprias (3,2% do seu capital), após o que passou a deter 6,17% do seu capital social.

  • Em Dezembro, foi deliberado em Assembleia Geral Extraordinária da Semapa, a revogação do sistema de reforma dos administradores em vigor desde Março de 2005.


  • Aquisição pelo Grupo Portucel dos 82% remanescentes da Soporgen à EDP.
  • Emissão pela Portucel de um empréstimo obrigacionista no mercado internacional (High - Yield) dirigido a Investidores Institucionais, no montante total de 350 milhões de euros com vencimento em 2020.
  • Atribuição à Portucel do galardão de Melhor Empresa da Europa de 2012, pelo “European Business Awards” (EBA), um dos mais prestigiados prémios da Europa na área dos negócios, reconhecem e promovem a excelência, as boas práticas e a inovação na comunidade empresarial europeia.
  • Assinatura pelo Grupo ETSA de um contrato com a Direção Geral de Alimentação e Veterinária, por um prazo de até 3 anos, que regula o novo regime procedimental relativo à prestação do serviço integrado de recolha e reencaminhamento para destruição de cadáveres de animais (SIRCA), cuja prestação de serviços se iniciou no mês de Setembro.


  • Aquisição em Bolsa pela  Semapa de 6.380.000 ações próprias, correspondentes a 5,392% do capital social, num investimento total de 61,3 milhões euros, passando a ser detentora de 9,996% do respetivo capital social.
  • Oferta Pública de Subscrição de Obrigações pela Semapa SGPS no valor total de 150 milhões de euros, com vencimento em 2019
  • Emissão de empréstimo obrigacionista pela Semapa, por subscrição particular, no montante total de 80 milhões de euros, com vencimento em 2020, tendo procedido à amortização no valor de 48,9 milhões de euros de obrigações representativas da emissão, por subscrição particular, “Obrigações Semapa 2006/2016 – 2.ª Emissão”.
  • Contratação pela Semapa de Programa de Papel Comercial no valor total de 120 milhões de euros, com prazo de 4 anos, no âmbito do refinanciamento da sua dívida financeira .
  • Arranque do projeto de expansão de capacidade da fábrica de Cacia do Grupo Portucel Soporcel.
  • Assinatura de cooperação com o IFC para a entrada no capital da Portucel Moçambique com uma participação de 20%. Continuação do desenvolvimento do projeto integrado de floresta, pasta e energia em Moçambique.
  • Decisão de iniciar a construção em 2015 pelo Grupo Portucel Soporcel de uma fábrica de produção de pellets nos EUA.
  • Decisão de diversificação do negócio do Grupo Portucel Soporcel para o segmento do tissue. Já em 2015, a Portucel celebrou um contrato de compra da AMS BR Star Paper S.A. localizado em Vila Velha de Ródão, Portugal, com capacidade atual de produção de 30.000 toneladas de tissue e de 50.000 toneladas de converting com um plano de duplicação da capacidade de produção de papel tissue em curso.
  • Arranque da fábrica de pré-fabricados em betão, no Líbano.


  • Redução de capital da Semapa SGPS
    A 30 de abril de 2015, foi aprovada, na Assembleia Geral Anual da Semapa, a proposta de redução do capital social da Semapa de 118.332.445 euros para 106.510.000 euros, no montante de 11.822.445 euros, por extinção de 11.822.445 ações próprias.
  • Oferta Pública de Troca
    A 23 de junho de 2015 realizou-se a Assembleia Geral Extraordinária da Semapa, onde foram aprovadas por 98,6 % do capital presente ou representado, as duas únicas propostas apresentadas pela acionista, Sodim, SGPS, S.A., de: 
     
         a) Aquisição de um máximo de 48.461.924 ações próprias pela Semapa, sendo que cada acionista que aceitasse a oferta receberia 3,40 ações da Portucel por cada ação Semapa de que fosse titular; e, 
     
         b) Redução do capital social da Semapa, em até 48.461.924 euros, mediante a extinção de um máximo de 48.461.924 ações próprias a adquirir no âmbito da oferta. Encontravam-se presentes ou representados na assembleia acionistas titulares de 74,97% do capital social da Semapa. 
     
    Na sequência do encerramento da oferta pública de troca, cujo período da oferta decorreu entre os dias 6 e 24 de julho de 2015, a Semapa adquiriu 24.864.477 ações próprias, que foram extintas por redução do capital social, passando este para 81.645.523 euros representado por 81.645.523 ações. 
     
    O Grupo Semapa reduziu a sua participação na Portucel de 75,85% para 64,84% do capital social e de 81,19% para 69,40% dos direitos de voto não suspensos, o que teve como efeito a saída do Grupo Portucel da consolidação fiscal da Semapa.
     
  • Investimentos do Grupo Portucel
    Em fevereiro de 2015, a Portucel S.A. procedeu à aquisição de 99,87% da empresa de produção de tissue, AMS BR – Star Paper S.A., Portugal, com capacidade de produção de 30.000 toneladas de tissue e de 50.000 toneladas de converting. Esta empresa concluiu a duplicação da capacidade de produção de papel tissue em setembro de 2015.
     
    A 13 de outubro, o Grupo Portucel inaugurou dois investimentos concretizados nos complexos industriais de Cacia e de Vila Velha de Ródão, no valor global de 95,3 milhões de euros, tendo ainda anunciado um novo investimento de 121 milhões de euros, em Cacia, numa nova linha de produção de papel tissue, com capacidade de 70 mil toneladas por ano, pendente da verificação de um conjunto de pressupostos, entre outros, da aprovação por parte da AICEP da candidatura ao programa Portugal 2020 para a obtenção de subsídios financeiros e/ou fiscais.
  • Investimentos do Grupo Secil
    Durante o mês de abril de 2015, a Supremo Cimentos, S.A. concluiu a construção de uma nova fábrica integrada de clínquer e cimento, em Adrianópolis, no Estado do Paraná, no Brasil que começou a operar em final de abril. A capacidade instalada de cimento da Supremo totaliza cerca de dois milhões de toneladas. 
     
    No final de junho de 2015, o Grupo Semapa, através da sua participada NSOSPE, adquiriu a restante participação de 50% do capital social da Supremo Cimentos, S.A. 
     
    Já em julho de 2015, a Semapa vendeu a sua posição na NSOSPE à Secil, passando esta sociedade a deter direta e indiretamente 100% da Supremo, motivo pelo qual passou a consolidar integralmente esta subsidiária.
     


• Na sequência da aprovação na Assembleia Geral Anual de Acionistas da Semapa de 20 de abril de 2016, foram implementadas as seguintes deliberações:

- Redução do capital social de 81.645.523,00 euros para 81.270.000,00 euros, no montante de 375.523,00 euros, por extinção de 375.523 ações próprias, nos termos do artigo 463.º do Código das Sociedades Comerciais, com a consequente alteração do n.º 1 do artigo 4.º do contrato de sociedade, relativo à composição do capital social;

- Aumento do capital social de 81.270.000,00 euros para 117.028.800,00 euros, no montante total de 35.758.800,00 euros, por incorporação de reservas, com o aumento proporcional, no montante de 0,44 euros por ação, do valor nominal de todas as ações da Sociedade, que passa a ser de 1,44 euros por ação e com a consequente alteração estatutária do n.º 1 do artigo 4.º, relativo à composição do capital social;

- Redução do capital social de 117.028.800,00 euros para 81.270.000,00 euros, no montante de 35.758.800,00 euros, tendo por finalidade a libertação de excesso de capital, transferindo para reservas livres o montante do capital social liberto e por redução proporcional do valor nominal de todas as ações da Sociedade, no montante de 0,44 euros por ação, que passam a ter o valor nominal unitário de 1,00 euro, com a consequente alteração estatutária, nomeadamente do n.º1 do artigo 4.º, relativo à composição do capital social, e do n.º 4 do artigo 9.º, respeitante ao número de ações a que corresponde um voto;

- O pagamento de dividendos relativos aos resultados de 2015 num montante de cerca de 26,7 milhões de euros (32,9 cêntimos por ação em circulação).

• No final de julho concretizou-se a entrada da Internacional Financial Corporation – IFC – no capital da Portucel Moçambique, através da subscrição de um montante inicial de cerca de 5 milhões USD por parte desta entidade.

• A ETSA, através do consórcio ITS/LLF, assinou em agosto com a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), pelo período de 3 anos, o contrato de aquisição de serviços de recolha de animais mortos na exploração, no transporte para o matadouro e na abegoaria, bem como o respetivo processamento e eliminação no valor de 35,993 milhões de euros.

• Em dezembro, a Semapa realizou Prestações Suplementares de Capital na sua Subsidiária Secil, no montante de 140 milhões de euros, dos quais 30,25 milhões de euros foram por esta utilizados para liquidação de dívida à Semapa.

• Durante o ano 2016, a Semapa – Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. adquiriu 956.322 ações próprias, a que correspondeu um investimento de cerca de 10 milhões de euros. A Semapa terminou o ano com 586.329 ações próprias em carteira, representativas de 0,721% do respetivo capital social


• A Secil adquiriu um conjunto de ativos em Espanha ao grupo LafargeHolcim, que inclui um terminal de cimento, duas pedreiras e treze centrais de betão-pronto localizados nas Astúrias, Galiza e Castela e Leão.

• Dando continuidade ao ciclo de crescimento iniciado em 2015, a Navigator iniciou dois importantes projetos: a construção de uma fábrica de tissue em Cacia e a ampliação da capacidade de pasta no Complexo Industrial da Figueira da Foz. Estes investimentos irão prolongar-se em 2018 e envolvem um montante total de cerca de 205 milhões de euros, dos quais 70 milhões já foram despendidos em 2017.

• A Navigator decidiu alienar o negócio de pellets desenvolvido nos Estados Unidos da América por 135 milhões de dólares, na sequência de uma oportunidade financeira atrativa numa área de negócio não-estratégica da empresa.

• Na Assembleia Geral Extraordinária de Acionistas da Semapa que decorreu em 22 de Setembro, foi deliberada a conversão das ações da Sociedade em ações sem valor nominal.