28 de Outubro de 2009 - INFORMAÇÃO PRIVILEGIADA - COMUNICADO

Nos termos e para os efeitos do art. 248º do Código dos Valores Mobiliários, a SEMAPA informa que, entendendo verificarem-se as condições exigidas para o efeito nos termos do acordo parassocial celebrado com a CRH Plc. relativamente à sua participada SECIL - Companhia Geral de Cal e Cimento, S.A, iniciou um conjunto de procedimentos com vista à avaliação da SECIL e ao eventual exercício de um direito de opção de compra da totalidade das acções representativas do capital social da SECIL detidas pela CRH, por um preço calculado com base na referida avaliação. A CRH informou a SEMAPA que irá opor-se aos aludidos procedimentos através do recurso à via arbitral prevista no acordo parassocial.

Clique aqui para saber mais.

 


 

27 de Outubro de 2009 - INFORMAÇÃO - APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 3º TRIMESTRE DE 2009

Volume de Negócios: 1.050,8 milhões de euros

EBITDA Total: 208,6 milhões de euros

EBIT: 112,9 milhões de euros

Resultado Líquido: 52,2 milhões de euros

Clique aqui para saber mais.

 


 

1 de Outubro de 2009 - INFORMAÇÃO - PAGAMENTO DE JUROS

Informam-se os titulares de Obrigações SEMAPA 2006/2016, que a partir de 20 de Outubro de 2009, estão a pagamento os juros correspondentes ao cupão nº 7, pelos seguintes montantes,

Clique aqui para saber mais.

 


 

29 de Setembro de 2009 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que o Credit Suisse Group, adiante designado por CSG, comunicou à Semapa, no passado dia 25 de Setembro, que, no dia 21 de Agosto de 2009 e em virtude de uma venda em Bolsa de 716.000 acções, correspondentes a 0,61% do respectivo capital social, passou a ser imputável ao CSG uma participação inferior a 2% no capital social desta sociedade, correspondente a 1.884.347 acções, representativas de 1,59% do capital social e dos direitos de voto e de 1,67% dos direitos de voto não suspensos da Semapa, detidas pelas seguintes entidades do CSG:

Clique aqui para saber mais.

 


 

24 de Setembro de 2009 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que o Banco Espírito Santo, S.A., na sequência de informação recebida da ESAF – Espírito Santo Fundos de Pensões, S.A., comunicou à Semapa, em 21 de Setembro último, que, no dia 18 de Setembro de 2009, o Fundo de Pensões BES alienou, em sessão de bolsa, 193.135 acções desta sociedade, tendo passado a ser titular de uma participação inferior a 5% do capital social e dos direitos de voto da Semapa, correspondente a 5.865.688 acções representativas de 4,96% do capital social e dos direitos de voto e de 5,20% dos direitos de voto não suspensos desta sociedade.

Clique aqui para saber mais.

 


 

22 de Setembro de 2009 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a ESAF– Espírito Santo Fundos de Investimento Mobiliário, S.A., comunicou à Semapa, em 17 de Setembro último, que o Fundo de Investimento Mobiliário ES Plano Dinâmico – Fundo Flexível, por si gerido e representado, comprou, no passado dia 16 de Setembro e em sessão de bolsa, 495.906 acções desta sociedade, tendo o referido fundo passado a ser titular de 2.569.232 acções representativas de 2,1712% do capital social e dos direitos de voto e de 2,2760% dos direitos de voto não suspensos da Semapa.

Clique aqui para saber mais.

 


 

25 de Agosto de 2009 - INFORMAÇÃO - APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 1º SEMESTRE DE 2009

Volume de Negócios: 700,1 milhões de euros

EBITDA Total: 131,0 milhões de euros

EBIT: 71,9 milhões de euros

Resultado Líquido: 25,8 milhões de euros

Clique aqui para saber mais.

 


 

23 de Junho de 2009 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a sociedade Bestinver Gestión, S.A. SGIIC comunicou à Semapa, no passado dia 18 de Junho, que a participação nesta sociedade do fundo de investimento Bestinfond F.I., o qual é administrado e representado pela Bestinver Gestión, S.A. SGIIC, ultrapassou, em 12 de Junho último, o limiar de 2% dos direitos de voto da Semapa, em virtude de uma transacção da qual resultou a alteração da sua participação de 2.334.066 acções para 2.384.394 acções representativas de 2,01% do capital social e dos direitos de voto e de 2,11% dos direitos de voto não suspensos da Semapa.

Clique aqui para saber mais.

 


 

16 de Junho de 2009 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a BES VIDA Companhia de Seguros, S.A., comunicou ontem à Semapa que, no passado dia 8 de Junho, após alienação de 354.112 acções desta Sociedade, passou a deter uma participação de 2.173.801 acções, correspondentes a 1,84% do capital social e dos direitos de voto e a 1,93% dos direitos de voto não suspensos, tendo assim a participação da BES VIDA Companhia de Seguros, S.A. na Semapa passado a ser inferior a 2% do capital social. Esclareceu ainda aquela companhia de seguros que estes títulos integravam a sua carteira OCA 29 (carteira unit linked) parte integrante do património da seguradora.

Lisboa, 16 de Junho de 2009

A Administração

 


 

8 de Junho de 2009 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA (RECTIFICAÇÃO)

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que o Credit Suisse Group, adiante designado por CSG, através de comunicação efectuada no dia 05 de Junho rectificou a comunicação de participação qualificada efectuada no dia 22 de Maio de 2009 quanto às transacções das quais resultou a actual participação na Semapa imputável àquela entidade.

Clique aqui para saber mais.

 


 

26 de Maio de 2009 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a BES VIDA Companhia de Seguros, S.A., comunicou ontem à Semapa que, no passado dia 20 de Maio, após a aquisição de 2.200.000 acções desta Sociedade, passou a deter uma participação qualificada superior a 2,00% do respectivo capital social, correspondente a 2.618.326 acções, representativas de 2,21% do capital social e dos direitos de voto e de 2,32% dos direitos de voto não suspensos da Semapa e que exerce os direitos de voto de modo completamente independente, nos termos e para os efeitos previstos na alínea a) do n.º 1 do artigo 20.º-A do Código dos Valores Mobiliários.

Lisboa, 26 de Maio de 2009

A Administração

 


 

25 de Maio de 2009 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que o Credit Suisse Group, adiante designado por CSG, comunicou à Semapa, no passado dia 22 de Maio, que, no dia 20 de Maio de 2009 e em virtude de uma venda em Bolsa de 10.740.627 acções, correspondentes a 9,077% do capital social desta Sociedade, e do exercício de convertíveis de 13.492.534 acções, correspondentes a 11,402% do seu capital social, perfazendo essas operações o total de 24.233.161 acções, correspondentes a 20,479% do capital social da Semapa, passou a ser imputável ao CSG uma participação qualificada inferior a 5% no respectivo capital social, correspondente a 5.461.325 acções, representativas de 4,615% do capital social e dos direitos de voto e de 4,838% dos direitos de voto não suspensos da Semapa e que essas acções são detidas pelas seguintes entidades do CSG:

Clique aqui para saber mais.

 


 

7 de Maio de 2009 - OBRIGAÇÕES SEMAPA 2006/2016 - 2ª EMISSÃO -PAGAMENTO DO CUPÃO Nº 6

Informam-se os titulares de obrigações SEMAPA 2006/2016 - 2ª Emissão, que se efectuará a partir do próximo dia 31 de Maio o pagamento de juros referentes ao cupão nº 6, sendo agente pagador principal o Banco BPI, SA:

Valor ilíquido (EUR) 26,22569444
IRC/IRS 5,24513889
Valor líquido (EUR) 20,98055555

Nos termos do regulamento da Central de Valores Mobiliários, o pagamento de juros das obrigações centralizadas será efectuado através daquela Central (Código CVM: SEMDOE).

Lisboa, 07 de Maio de 2009

A Administração

 


 

4 de Maio de 2009 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a INKA,Internationale Kapitalanlagegesellschaft mbH, adiante designada por INKA, uma sociedade de investimento subsidiária do HSBC Trinkaus & Burkhardt AG, Düsseldorf, membro do Grupo HSBC, comunicou à Semapa, no passado dia 30 de Abril, que em 26 de Março de 2009 e em virtude de uma venda no mercado de 2.467.105 acções, por parte de dois fundos de investimento abertos da INKA, estes fundos passaram a deter uma participação de 18.654 acções, representativas de 0,016% do capital social e dos direitos de voto e de 0,017% dos direitos de voto não suspensos da Semapa e que a INKA exerce os direitos de voto de modo completamente independente do HSBC Trinkaus & Burkhardt AG, nos termos e para os efeitos previstos na alínea a) do n.º 1 do artigo 20.º-A do Código dos Valores Mobiliários.

Lisboa, 4 de Maio de 2009

A Administração

 


 

28 de Abril de 2009 - INFORMAÇÃO - APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 1º TRIMESTRE DE 2009

Volume de Negócios: 342,4 milhões de euros

EBITDA Total: 73,0 milhões de euros

EBIT: 41,4 milhões de euros

Resultado Líquido: 12,8 milhões de euros

Clique aqui para saber mais.

 


 

21 de Abril de 2009 - INFORMAÇÃO

Na sequência da informação prestada ao mercado em 5 de Fevereiro deste ano no seguimento de notícias divulgadas na comunicação social, informamos que a Semapa decidiu não dar seguimento, neste momento, ao projecto que visava o estabelecimento de uma parceria com a finalidade de estudar a possibilidade da apresentação conjunta com outras entidades de uma oferta no concurso que o Governo Português se propunha lançar para a privatização do capital da ANA – Aeroportos de Portugal e para a elaboração do projecto e construção do novo aeroporto internacional de Lisboa.

Lisboa, 21 de Abril de 2009

A Administração

 


 

8 de Abril de 2009 - INFORMAÇÃO - PAGAMENTO DE DIVIDENDOS - EXERCÍCIO DE 2008

O pagamento de dividendos deliberado na assembleia geral anual da sociedade de dia 31 de Março de 2009 terá lugar a partir do próximo dia 23 de Abril.

Clique aqui para saber mais.

 


 

31 de Março de 2009 - COMUNICAÇÃO - ALTERAÇÃO DA COMPOSIÇÃO DOS ÓRGÃOS SOCIAIS

Informamos nos termos da alínea a) do artigo 3º do Regulamento da CMVM nº 5/2008 que o Senhor Eng. Carlos Eduardo Coelho Alves cessa hoje as funções que vinha a desempenhar como administrador da sociedade.

Clique aqui para saber mais.

 


 

31 de Março de 2009 - INFORMAÇÃO - ASSEMBLEIA GERAL ANUAL

Informamos que na assembleia geral anual da sociedade, que teve lugar hoje às 10h30, foram tomadas as seguintes deliberações:

1. Aprovação do Relatório de Gestão, das Contas e dos demais documentos prestação de contas relativos ao exercício de 2008, individuais e consolidados, nos termos submetidos à apreciação dos Senhores Accionistas;

Clique aqui para saber mais.

 


 

10 de Março de 2009 - COMUNICADO - INFORMAÇÃO PRIVILEGIADA

O exercício de 2008 fica marcado pela recessão económica global e pela incerteza sobre sua magnitude e duração.

Neste contexto, o desempenho do Grupo Semapa foi positivo, o que se reflectiu no resultado líquido consolidado atribuível a Accionistas da Semapa de 106,3 milhões de euros e num EPS (“Earnings per Share”) de 90 cêntimos por acção.

Clique aqui para saber mais.

 


 

4 de Março de 2009 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a INKA, Internationale Kapitalanlagegesellschaft mbH, adiante designada por INKA, uma sociedade de investimento subsidiária do HSBC Trinkaus & Burkhardt AG, Düsseldorf, membro do Grupo HSBC, comunicou à Semapa, no passado dia 02 de Março, que em 13 de Fevereiro de 2009 e em virtude de uma compra no mercado de 2.467.105 acções, por parte de dois fundos de investimento abertos da INKA, estes fundos passaram a deter uma participação qualificada de 2.485.759 acções, representativas de 2,10% do capital social e dos direitos de voto e de 2,20% dos direitos de voto não suspensos da Semapa e que a INKA exerce os direitos de voto de modo completamente independente do HSBC Trinkaus & Burkhardt AG, nos termos e para os efeitos previstos na alínea a) do n.º 1 do artigo 20.º do Código dos Valores Mobiliários.

Lisboa, 4 de Março de 2009

A Administração

 


 

16 de Fevereiro de 2009 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a AXA Rosenberg Group LLC, uma entidade gestora de investimentos subsidiária do Grupo AXA, comunicou à Semapa, no passado dia 13 de Fevereiro, que, em 5 de Fevereiro de 2009 e em virtude de uma venda no mercado de 756.681 acções, o referido Grupo passou a deter uma participação de 1.920.197 acções, representativas de 1,62% do capital social e dos direitos de voto e de 1,70% dos direitos de voto não suspensos da Semapa.

Lisboa, 16 de Fevereiro de 2009

A Administração

 


 

12 de Fevereiro de 2009 - COMUNICAÇÃO - ALTERAÇÃO DA COMPOSIÇÃO DOS ÓRGÃOS SOCIAIS

Informamos que o Administrador Senhor Fernando Maria Costa Duarte Ulrich apresentou a renúncia ao cargo de membro do Conselho de Administração desta sociedade, renúncia essa que produzirá efeitos no dia 31 de Março ou em data anterior caso venha entretanto a ser substituído.

Esclarecemos que o referido administrador explicou formalmente ser seu entendimento que não devia continuar a ocupar o cargo de administrador por a Semapa estar a negociar o estabelecimento de uma parceria com a finalidade de estudar a possibilidade de apresentação de uma oferta no concurso para privatização da ANA – Aeroportos de Portugal e construção do novo aeroporto de Lisboa, e o administrador renunciante ser Presidente do Conselho de Administração de um Banco que está no âmbito de um ACE a prestar serviços de consultoria financeira à NAER – Novo Aeroporto de Lisboa, S.A. com respeito às mesmas operações.

Lisboa, 12 de Fevereiro de 2009

A Administração

 


 

5 de Fevereiro de 2009 - INFORMAÇÃO AO MERCADO

Face às notícias divulgadas na comunicação social relativas à formação de um consórcio para concorrer à construção e exploração do novo aeroporto internacional de Lisboa e privatização da ANA - Aeroportos de Portugal, a Semapa vem informar o mercado que acordou com diversas entidades negociarem o estabelecimento de uma parceria com a finalidade de virem a estudar a possibilidade da apresentação conjunta de uma oferta no concurso que o Governo Português se propõe lançar para a privatização do capital da ANA - Aeroportos de Portugal e para a elaboração do projecto e construção do novo aeroporto internacional de Lisboa, não existindo, na presente data, qualquer consórcio instituído.

Lisboa, 5 de Fevereiro de 2009

A Administração

 


 

 

22 de Dezembro de 2008 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

 

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a sociedade Bestinver Gestión, S.A., SGIIC, comunicou à Semapa, no passado dia 18 de Dezembro, que a participação nesta sociedade do fundo de investimento Bestifond F.I., o qual é administrado e representado pela Bestinver Gestión, S.A., SGIIC, reduziu, em 12 de Dezembro de 2008, a sua participação para valor inferior a 2% dos direitos de voto da Semapa, em virtude de uma transmissão de 100.000 acções, que teve lugar na Bolsa de Valores de Lisboa.

Clique aqui para saber mais.

 


 

15 de Dezembro de 2008 - COMUNICAÇÃO - SECRETÁRIO DA SOCIEDADE

Informamos que o Senhor Dr. António Duarte Serrão, Secretário da Sociedade Efectivo, renunciou, no dia 12 de Dezembro de 2008, às funções que desempenhava, passando as mesmas a ser asseguradas pelo Senhor Dr. Rui Tiago Trindade Ramos Gouveia, que havia sido designado como Secretário da Sociedade Suplente.

Lisboa, 15 de Dezembro de 2008

A Administração

 


 

2 de Dezembro de 2008 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, comunicamos que a sociedade Bestinver Gestión, SGIIC, S.A. prestou esclarecimentos complementares sobre a sua participação qualificada na Semapa, através dos quais esta sociedade foi informada que (i) as participações qualificadas detidas pelas instituições de investimento administradas pela Bestinver Gestión, SGIIC, S.A. não são imputáveis a quaisquer outras entidades e (ii) a participação actual dessas instituições na Semapa é a seguinte:

Clique aqui para saber mais.

 


 

20 de Novembro de 2008 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a sociedade Bestinver Gestión, SGIIC, S.A. comunicou à Semapa, no passado dia 19 de Novembro, que a participação nesta sociedade do fundo de investimento Bestifond F.I., o qual é administrado e representado pela Bestinver Gestión, SGIIC, S.A., ultrapassou, em 13 de Novembro último, o limiar de 2% dos direitos de voto da Semapa, em virtude de uma compra de 366.558 acções que teve lugar na Bolsa de Valores de Lisboa. A sociedade Bestinver Gestión, SGIIC, S.A. comunicou ainda à Semapa que, após a realização da referida compra, o fundo de investimento Bestifond F.I. passou a deter uma participação de 2.459.472 acções, representativas de 2,08% do capital social e dos direitos de voto e de 2,18% dos direitos de voto não suspensos da Semapa.

Lisboa, 20 de Novembro de 2008

A Administração

 


 

17 de Novembro de 2008 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a AXA Rosenberg Group LLC, em nome próprio e em nome de subsidiárias (adiante, o Grupo), comunicou à Semapa, na presente data, que, em 12 de Novembro de 2008 e em virtude de uma compra no mercado de 291.428 acções, o Grupo passou a deter uma participação qualificada de 2.529.282 acções, representativas de 2,14% do capital social e dos direitos de voto e de 2,24% dos direitos de voto não suspensos da Semapa.

Lisboa, 17 de Novembro de 2008

A Administração

 


 

30 de Outubro de 2008 - COMUNICADO - INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DOS PRIMEIROS 9 MESES DE 2008

Num contexto macroeconómico adverso, o volume de negócios do Grupo Semapa nos primeiros 9 meses do corrente ano cresceu 3% face ao período homólogo do ano anterior, cifrando-se em 1.089,2 milhões de euros.

O EBITDA total correspondeu a 274,1 milhões de euros, o que representa uma redução de 15%, em termos homólogos.

A sua evolução é explicada essencialmente por dois factores: i) o EBITDA do ano transacto incluía uma mais valia obtida com a alienação de acções EDP, no valor de 25,6 milhões de euros, item de carácter não recorrente e que não se verificou no período em análise; e ii) o EBITDA da Portucel registou uma redução de 11% face ao valor dos primeiros 9 meses de 2007, em resultado do agravamento do custo de alguns factores de produção com especial destaque para a madeira. A evolução favorável do EBITDA da Secil (+ 9%) não foi suficiente para compensar estes movimentos.

Clique aqui para saber mais.

 


 

24 de Outubro de 2008 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a Sodim, SGPS, SA, comunicou ontem a esta sociedade que a participação qualificada na Semapa imputável às sociedades Cimigest, SGPS, S.A., Cimo - Gestão de Participações, SGPS, S.A., Longapar, SGPS, S.A., Sonaca, SGPS, S.A., OEM - Organização de Empresas, SGPS, S.A., Sociedade Agrícola da Quinta da Vialonga, SA e Sodim, SGPS, S.A., por força do exercício coordenado do direito de voto na Semapa, foi reduzida para 59.164.175 acções, correspondentes a 49,998% do capital social e a 52,41% dos direitos de voto não suspensos, considerando o número de acções próprias detidas pela Semapa.

Clique aqui para saber mais.

 


 

21 de Outubro de 2008 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que, no dia 20 de Outubro de 2008, a Morgan Stanley comunicou à Semapa que, em virtude de uma transacção, que teve lugar no dia 3 de Outubro de 2008, a sua participação passou a corresponder a 229.420 acções representativas de 0,19% do capital social e de 0,20% dos direitos de voto não suspensos da Semapa e que, em virtude dessa transacção, as suas subsidiárias Morgan Stanley & Co. International plc. e Morgan Stanley & Co. Incorporated passaram a deter, respectivamente, 227.663 acções e 1.757 acções da Semapa.

A Morgan Stanley comunicou ainda à Semapa que a referida alteração de participação ocorreu em virtude de uma redução do número de acções emprestadas à Morgan Stanley & Co. International plc..

Lisboa, 21 de Outubro de 2008

A Administração

 


 

15 de Outubro de 2008 - INFORMAÇÃO PRIVILEGIADA - COMUNICADO

Nos termos e para os efeitos do art. 248º do Código dos Valores Mobiliários, e na sequência do anterior Comunicado do passado mês de Junho, a Semapa vem informar que foi nesta data concretizada a aquisição pela Verdeoculto – Investimentos, SGPS, S.A. (sociedade integralmente detida pela Semapa) da sociedade ETSA – Empresa de Transformação de Subprodutos Animais, S.A. e respectivas participadas (“Grupo ETSA”), em virtude de se terem verificado já todas as condições a que as Partes sujeitaram a conclusão da mencionada transacção.

Salienta-se que a realização deste negócio permitirá a entrada da Semapa no sector do ambiente, que constitui uma área emergente e em forte expansão, e a consequente diversificação do seu portfolio de investimentos.

Lisboa, 15 de Outubro de 2008

A Administração

 


 

21 de Agosto de 2008 - COMUNICADO - INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2008

Num contexto macro-económico adverso, o volume de negócios do Grupo Semapa do 1º semestre de 2008 cresceu 6% face ao período homólogo do ano anterior, cifrando-se em 746,1 milhões de euros.

O EBITDA total registado no final do primeiro semestre do corrente ano correspondeu a 185,1 milhões de euros representando, em termos homólogos, uma redução de 20%.

Clique aqui para saber mais.

 


 

6 de Junho de 2008 - COMUNICADO

A Verdeoculto – Investimentos, SGPS, S.A., Sociedade integralmente detida pela Semapa, acordou comprar o Grupo ETSA, que permitirá a entrada da Semapa no sector do ambiente, que constitui uma área emergente e em forte expansão, e a consequente diversificação do seu portfolio de investimentos.

Este Grupo oferece uma solução integral e ambientalmente sustentável no mercado de gestão de resíduos e é composto pelas sociedades ETSA - Empresa de Transformação de Subprodutos Animais, S.A., ABAPOR – Comércio e Industria de Carnes, S.A. BIOLOGICAL - Gestão de Resíduos Industriais, L.da, SEBOL – Comércio e Industria de Sebo, S.A., ITS – Indústria Transformadora de Subprodutos Animais, S.A., e AISIB – Aprovechamiento Integral de Subprodutos Ibéricos, S.A.

A ETSA concentra a sua actividade na detenção das participações das Sociedades atrás identificadas, sendo que a ABAPOR, SEBOL e ITS dedicam-se essencialmente à recolha, transporte, armazenamento, transformação e à valorização de subprodutos de origem animal. A BIOLOGICAL concentra a sua actividade na recolha e valorização de óleos alimentares usados com vista à sua utilização na produção de biodiesel e a AISIB actua na recolha de matérias-primas provenientes do mercado espanhol.

Durante o exercício de 2007, o Grupo ETSA registou um volume de negócios consolidado (não auditado) de 23,3 milhões de euros, um EBITDA de 3,9 milhões de euros e um endividamento bancário líquido de 8,6 milhões de euros. Salientamos ainda que este exercício não é totalmente representativo para efeitos de extrapolações atendendo ao facto de i) a ABAPOR não ter tido actividade durante parte do exercício, ii) uma fábrica do Grupo não ter iniciado a sua actividade, e iii) os preços das soft commodities terem vindo a alterar-se provocando efeitos positivos na actividade do Grupo ETSA.

A transacção será efectuada tendo por pressuposto um Valor da Empresa (Enterprise Value) de 59,9 milhões de euros, à data de 30 de Novembro de 2007, o que representa um valor dos Capitais Próprios (Equity Value), incluindo suprimentos, de 47,9 milhões de euros.

A concretização da transacção encontra-se sujeita a determinadas condições acordadas entre as partes, incluindo a realização de uma due diligence ao Grupo ETSA e a aprovação da aquisição pela Autoridade da Concorrência. Por sua vez, o preço final da aquisição sofrerá ajustamentos, resultantes da continuação da actividade do Grupo ETSA até à data da transmissão e da realização da referida due diligence, podendo as partes fazer cessar o contrato se tais ajustamentos ultrapassarem níveis pré-acordados.

Lisboa, 6 de Junho de 2008

A Administração

 


 

30 de Abril de 2008 - COMUNICADO - INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2008

O desempenho do Grupo SEMAPA no 1º trimestre de 2008 foi positivo, o que se reflectiu nos valores obtidos do Volume de Negócios Consolidado (373,0 milhões de euros), do EBITDA (94,7 milhões de euros) e dos Resultados Líquidos (24,4 milhões de euros), que permitiram a redução do nível de endividamento líquido (-26,4 milhões de euros).

Clique aqui para saber mais.

 


 

4 de Abril de 2008 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a sociedade UBS AG, Zurich and Basel comunicou à Semapa no dia 3 de Abril de 2008 que, no passado dia 28 de Março, alienou fora de mercado (“over the counter”) 5.235.720 acções desta sociedade, passando a deter uma participação não qualificada de 1.644.288 acções representativas de 1,39% do capital social e de 1,46% dos direitos de voto não suspensos. Informou ainda que:

  • 47.753 acções, representativas de 0,04% do capital social e de igual percentagem arredondada dos direitos de voto não suspensos, são detidas em nome do UBS AG por conta de vários clientes do UBS AG, sendo que nenhum deles tem uma posição que seja reportável nos termos das regras previstas no artigo 16.º do Código dos Valores Mobiliários, e
  • 1.596.535 acções, representativas de 1,35% do capital social e de 1,41% dos direitos de voto não suspensos, são detidas em nome do UBS AG.

Lisboa, 4 de Abril de 2008

A Administração

 


 

2 de Abril de 2008 - OBRIGAÇÕES SEMAPA 2006/2016 - PAGAMENTO DE JUROS - CUPÃO Nº 4

Informam-se os titulares de Obrigações SEMAPA 2006/2016, que a partir de 21 de Abril de 2008, estão a pagamento os juros correspondentes ao cupão nº 4, pelos seguintes montantes,

Valor Ilíquido 1.525,508333333330 €
IRC/IRS (20%) 305,101666666666 €
Valor Líquido 1.220,406666666660 €

Agente Pagador – Caixa Banco de Investimento, S.A.

O pagamento dos juros das obrigações será efectuado através da C.V.M. nos termos do seu regulamento, código C.V.M. - SEMCOE.

Para os obrigacionistas abrangidos pelos artigos 90º do código do IRC, deverá ser comprovada à entidade pagadora até ao dia de vencimento de juros, a isenção ou dispensa de retenção na fonte de IRC de que estes beneficiem.

Lisboa, 2 de Abril de 2008

SEMAPA – SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A.

 


 

2 de Abril de 2008 - COMUNICAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a sociedade UBS AG, Zurich and Basel comunicou à Semapa no dia 1 de Abril de 2008 que, no passado dia 27 de Março, adquiriu fora de mercado (“over the counter”) 5.748.516 acções desta sociedade passando a deter 6.889.647 acções representativas de 5,82% do capital social e de 6,10% dos direitos de voto não suspensos. Informou ainda que:

  • 47.753 acções, representativas de 0,04% do capital social e de igual percentagem arredondada dos direitos de voto não suspensos, são detidas em nome do UBS AG por conta de vários clientes do UBS AG, sendo que nenhum deles tem uma posição que seja reportável nos termos das regras previstas no artigo 16.º do Código dos Valores Mobiliários, e
  • 6.841.894 acções, representativas de 5,78% do capital social e de 6,06% dos direitos de voto não suspensos, são detidas em nome do UBS AG.

Lisboa, 2 de Abril de 2008

A Administração

 


 

20 de Março de 2008 - INFORMAÇÃO - PAGAMENTO DE DIVIDENDOS - EXERCÍCIO DE 2007

O pagamento de dividendos deliberado na assembleia geral anual da sociedade de dia 14 de Março de 2008 terá lugar a partir do próximo dia 9 de Abril nos termos seguintes:

Dividendo Ilíquido por acção EUR 0,255
IRS/IRC (20 %) por acção EUR 0,051
Dividendo Líquido por acção EUR 0,204

Os dividendos serão pagos através da Central de Valores Mobiliários, nos termos do respectivo regulamento, sendo o Agente Pagador nomeado para o efeito a Caixa Geral de Depósitos, S.A.

Mais informamos que para efeitos de isenção ou dispensa de retenção na fonte de IRS/IRC, os Senhores Accionistas devem confirmar a caracterização da sua situação fiscal junto das entidades depositárias das acções.

Lisboa, 20 de Março de 2008

A Administração

 


 

17 de Março de 2008 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a sociedade Bestinver Gestión, S.A. SGIIC comunicou à Semapa no passado dia 13 de Março que no dia 10 anterior as acções e direitos de voto desta sociedade detidos por entidades de investimento por si administradas e representadas ascendia a 5.928.783 acções. Este número de acções corresponde a 5,01% do capital social da Semapa e a 5,25% dos direitos de voto não suspensos.

A sociedade Bestinver Gestión, S.A. SGIIC comunicou ainda que aquela participação lhe é imputável através das seguintes entidades:

Entidade Nº acções % capital
BESTINVER BOLSA, F.I. 3.247.142 2,74%
BESTINFOND F.I. 1.350.332 1,14%
BESTINVER MIXTO, F.I. 623.742 0,53%
SOIXA SICAV, S.A. 261.153 0,22%
BESTINVER HEDGE VALUE FUND FIL 89.091 0,08%
BESTINVER RENTA, F.I. 79.115 0,07%
TEXRENTA INVERSIONES SICAV 53.757 0,05%
RODAON INVERSIONES, SICAV 22.649 0,02%
TIBEST CINCO, SICAV, S.A. 16.807 0,01%
INVERS, EN BOLSA SIGLO XXI, SICAV 16.762 0,01%
LOUPRI INVERSIONES 13.441 0,01%
ATON INVERSIONES SICAV, S.A. 12.439 0,01%
TIGRIS INVERSIONES, SICAV, S.A. 11.602 0,01%
CORFIN INVERSIONES SICAV 11.546 0,01%
MERCADAL DE VALORES, SICAV, S.A. 10.711 0,01%
H202 Inversiones SICAV 9.774 0,01%
DIVALSA DE INVERSIONES SICAV, S.A. 9.752 0,01%
ENTRECAR INVERSIONES, SICAV, S.A. 8.715 0,01%
PASGOM INVERSIONES, SICAV, S.A. 8.624 0,01%
CARTERA MILLENNIUM SICAV 7.420 0,01%
ZAMARRON SICAV 7.010 0,01%
ACCIONES, CUP. Y OBLI. SEGOVIANAS 6.947 0,01%
RENVASA 6.671 0,01%
ARTICA XXI, SICAV. SA 5.934 0,01%
CAMPO DE ORO, SICAV 5.380 0,00%
LINKER INVERSIONES, SICAV. SA 5.127 0,00%
TRASCASA 4.581 0,00%
TORDESILLAS DE INVERSIONES 4.359 0,00%
HELDALIN INVERSIONES SICAV 4.017 0,00%
MEZQUITA DE INVERSIONES 3.432 0,00%
TAWARZAR 2-S2 SICAV 3.074 0,00%
Opec Inversiones, SICAV 2.740 0,00%
JORICK INVESTMENT 2.489 0,00%
IBERFAMA SICAV, S.A. 2.448 0,00%
Soma: 5.928.783 5,01%

Lisboa, 17 de Março de 2008

A Administração

 


 

14 de Março de 2008 - INFORMAÇÃO - ASSEMBLEIA GERAL ANUAL

Informamos que na assembleia geral anual da sociedade, que teve lugar hoje às 16h00, foram tomadas as seguintes deliberações:

1. Aprovação do Relatório de Gestão, das Contas e dos demais documentos prestação de contas relativos ao exercício de 2007, individuais e consolidados, nos termos submetidos à apreciação dos Senhores Accionistas;

2. Aprovação da proposta do Conselho de Administração de aplicação dos Resultados Líquidos do exercício, com base no resultado líquido do exercício individual da Semapa (apurado segundo o normativo POC), no montante de EUR 121.950.560,81 conforme segue:

Dividendos às acções em circulação
  Por acção 25,5 cêntimos  
  Total de dividendos EUR 29.481.173,48
Reservas Livres EUR 35.181.477,69
Resultados Transitados EUR 57.287.909,64

3.Aprovação de um voto de confiança nos Órgãos de Administração e Fiscalização bem como nos respectivos membros;

4.Aprovação da proposta do Conselho de Administração no sentido de ser autorizado a adquirir e alienar acções e obrigações próprias pelo prazo de 18 meses, e

5.Eleição do Senhor Paulo Luís Ávila de Abreu como membro da Comissão de Remunerações da sociedade para exercer funções até ao final do mandato em curso dos restantes titulares dos órgãos sociais.

Lisboa, 14 de Março de 2008

A Administração

 


 

25 de Fevereiro de 2008 - INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DE 2007

A Semapa registou em 2007 um resultado líquido de 122,0 milhões de euros o que representa um acréscimo de 33,4% face ao período homólogo de 2006.

O Grupo continuou a crescer de forma sustentada, o que se traduziu em aumentos do volume de negócios (+9%), do EBITDA (+16%), das margens EBITDA e EBIT (+7% e 24% respectivamente) e do Cash Flow (+6%), que permitiram a redução do nível de endividamento líquido (-13%).

 


 

17 de Fevereiro de 2008 - OBRIGAÇÕES SEMAPA 1998-PAGAMENTO DO CUPÃO Nº 20 E AMORTIZAÇÃO FINAL

Informam-se os titulares de obrigações SEMAPA 1998, que se efectuará a partir do próximo dia 09 de Março o pagamento de juros referentes ao cupão nº 20, e a amortização final, sendo agente pagador principal o

BANCO PORTUGUÊS DE INVESTIMENTO, S.A.
Valor ilíquido (EUR) 0,00003013
IRC/IRS 0,00000603
Valor líquido (EUR) 0,00002410
Amortização 0,0010

Nos termos do regulamento da Central de Valores Mobiliários, o pagamento de juros das obrigações centralizadas será efectuado através daquela Central (Código C.V.M.SEMBOE).

Lisboa, 18 de Fevereiro de 2008

SEMAPA – SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A.

 


 

29 de Janeiro de 2008 - ASSEMBLEIA GERAL ANUAL - CONVOCATÓRIA

Convoco os Senhores Accionistas da SEMAPA - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. para reunirem em Assembleia Geral Anual no dia 14 de Março do corrente ano, pelas 16 (dezasseis) horas, no Hotel Ritz em Lisboa, na Rua Rodrigo da Fonseca, n.º 88, por a sede social não permitir a reunião em condições satisfatórias, com a seguinte ordem de trabalhos:

  1. Deliberar sobre o Relatório de Gestão, as Contas do Exercício, e demais documentos de prestação de contas individuais relativos ao ano findo de 2007;
  2. Deliberar sobre os documentos de consolidação de contas referentes ao mesmo exercício;
  3. Deliberar sobre a aplicação de resultados;
  4. Proceder à apreciação geral da administração e fiscalização da sociedade;
  5. Deliberar sobre uma proposta do Conselho de Administração para aquisição e alienação de acções e obrigações próprias, e
  6. Proceder à eleição de um membro da Comissão de Remunerações para exercer funções até ao final do mandato em curso dos restantes titulares dos órgãos sociais.

Informam-se os Senhores accionistas que, durante os quinze dias anteriores à data da Assembleia serão facultados à consulta dos mesmos, na sede social e no sítio da sociedade na Internet (www.semapa.pt), os elementos de informação preparatória previstos na lei e referidos no 289.º do Código das Sociedades Comerciais.

Informam-se, ainda, os Senhores accionistas, que são requisitos para participação e exercício do direito de voto, nos termos do Código das Sociedades Comerciais e do Artigo Nono do Contrato de Sociedade, os seguintes:

  • Só podem assistir e participar na Assembleia, além dos membros dos órgãos sociais e do representante comum dos obrigacionistas, os accionistas que possuam o minímo de 385 (trezentas e oitenta e cinco) acções, quantidade a que corresponde um voto, e que, até cinco dias antes da data agendada para a Assembleia Geral, apresentem documento comprovativo da titularidade das acções e do seu bloqueio até ao termo da reunião;
  • Podem também assistir à Assembleia Geral os accionistas que, não tendo direito de voto, se agrupem até perfazer pelo menos o número mínimo de acções e se façam representar por um dos agrupados;
  • Os accionistas podem fazer-se representar na Assembleia Geral por quem entenderem;
  • Os instrumentos de representação voluntária de accionistas, quer sejam pessoas singulares ou colectivas, deverão ser entregues ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral até cinco dias antes da data agendada para a Assembleia Geral;
  • Os accionistas podem obter um formulário de procuração através do sítio da sociedade na Internet (www.semapa.pt) ou mediante a sua solicitação na sede social.

Os Senhores accionistas podem, também, votar por correspondência, nos termos do Artigo 22º do Código dos Valores Mobiliários e do número Nove do Artigo Nono do Contrato de Sociedade, processando-se o voto da seguinte forma:

  • Deve ser dirigido ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral, e recebido na sede social até à véspera da Assembleia Geral, um sobrescrito contendo as declarações de voto;
  • O sobrescrito deve conter (1) carta dirigida ao Presidente da Mesa, com assinatura reconhecida, manifestando a vontade de votar, e (2) as declarações de voto, uma para cada ponto da Ordem de Trabalhos, em sobrescrito fechado e independente com a indicação exterior do ponto da Ordem de Trabalhos a que se destina;
  • Os votos emitidos são computados no momento de apuramento dos votos emitidos presencialmente na Assembleia Geral, valendo como votos negativos em relação às propostas apresentadas ulteriormente à sua emissão.

Lisboa, 29 de Janeiro de 2008

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral,

(José Pedro Aguiar-Branco)

 


 

22 de Novembro de 2007 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a sociedade Morgan Stanley comunicou ontem que detém nesta sociedade uma participação qualificada de 3.159.859 acções, que correspondem a 2,670% do capital social e dos direitos de voto e a 2,799% dos direitos de voto não suspensos. Aquela sociedade comunicou ainda o seguinte:

As acções em causa são detidas pelas sociedades Morgan Stanley & Co. Incorporated e Morgan Stanley & Co. International plc, de que é sociedade mãe a Morgan Stanley, a quem os votos são imputáveis.

A aquisição da participação qualificada ocorreu no dia 16 de Novembro de 2007 em virtude do aumento do número de acções emprestadas à Morgan Stanley & Co. International plc.

Lisboa, 22 de Novembro de 2007


A Administração

 


 

12 de Novembro de 2007 - COMUNICADO

OBRIGAÇÕES SEMAPA 2006 2ª Emissão
PAGAMENTO DO CUPÃO Nº 3

Informam-se os titulares de obrigações SEMAPA 2006, que se efectuará a partir do próximo dia 30 de Novembro o pagamento de juros referentes ao cupão nº 3, sendo agente pagador principal o

BANCO BPI, S.A.

Valor ilíquido (EUR)      27,95833333
IRC/IRS      5,59166667
Valor líquido (EUR)      22,36666666

Nos termos do regulamento da Central de Valores Mobiliários, o pagamento de juros das obrigações centralizadas será efectuado através daquela Central (Código C.V.M.SEMDOE).

Lisboa, 12 de Novembro de 2007


SEMAPA – SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A.

 


 

6 de Novembro de 2007 - COMUNICADO

INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS ATÉ SETEMBRO DE 2007

O desempenho do Grupo Semapa até Setembro de 2007 evidencia uma subida de 53% do resultado líquido atribuível aos Accionistas da Semapa face ao período homólogo de 2006, o qual se cifrou em EUR 97,3 M.

O Grupo continuou a crescer de forma sustentada, o que se traduziu em aumentos do volume de negócios (+8%), do EBITDA (+14%), das margens EBITDA e EBIT (+5% e 14% respectivamente) e do Cash Flow (+18%), que permitiram a redução do nível de endividamento líquido (-10%).

Clique aqui para saber mais.

 


 

29 de Outubro de 2007 - COMUNICADO

INFORMAÇÃO PRIVILEGIADA

Informamos que foi aprovada pelo Governo Angolano a nova linha de produção de cimento e clínquer já prevista para a Secil – Companhia de Cimentos do Lobito, S.A., sociedade detida a 51% pela nossa participada Secil – Companhia Geral de Cal e Cimento, S.A., linha essa que tem uma capacidade de produção de cimento prevista superior a 700.000 toneladas/ano e que poderá vir a ser duplicada numa segunda fase. O investimento desta primeira fase será de cerca de 90 milhões de euros, incluindo o investimento na produção de energia e em infra-estruturas.

Lisboa, 29 de Outubro de 2007


A Administração

 


 

1 de Outubro de 2007 - PAGAMENTO DO CUPÃO Nº 3

PAGAMENTO DO CUPÃO Nº 3

Informam-se os titulares de Obrigações SEMAPA 2006/2016, que a partir de 22 de Outubro de 2007, estão a pagamento os juros correspondentes ao cupão nº 3, pelos seguintes montantes

BANCO PORTUGUÊS DE INVESTIMENTO, S.A.

Valor ilíquido (EUR)      1.385,716666666670
IRC/IRS      277,143333333334
Valor líquido (EUR)      1.108,573333333340

Agente Pagador – Caixa Banco de Investimento, S.A.

O pagamento dos juros das obrigações será efectuado através da C.V.M. nos termos do seu regulamento, código C.V.M. - SEMCOE.

Para os obrigacionistas abrangidos pelos artigos 90º do código do IRC, deverá ser comprovada à entidade pagadora até ao dia de vencimento de juros, a isenção ou dispensa de retenção na fonte de IRC de que estes beneficiem.

Lisboa, 01 de Outubro de 2007


SEMAPA – SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A.

 


 

28 de Setembro de 2007 - INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2007

O desempenho do Grupo Semapa no primeiro semestre de 2007 foi positivo, o que se reflectiu no resultado líquido consolidado atribuível a Accionistas da Semapa de EUR 71,5 M, que representaram um aumento de 116% face ao primeiro semestre de 2006.

O EBITDA recorrente cresceu em termos homólogos e o endividamento registou uma redução face ao final do exercício de 2006.

Clique aqui para saber mais.

 


 

7 de Agosto de 2007 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, comunicamos que a sociedade Bestinver Gestión, S.A. SGIIC, prestou esclarecimentos sobre a sua participação qualificada na Semapa, complementares àqueles que antes prestou e que deram origem à divulgação da Semapa de 19 de Julho de 2007, através dos quais fomos informados que:

     a)   O facto que originou a aquisição de participação qualificada foi a compra, em 25 de Maio, por fundos e SICAVs administrados pela Bestinver Gestión, S.A. SGIIC, de 2.434.220 acções da Semapa, acções essas que correspondem a 2,06% do capital social e a 2,16% dos direitos de voto não suspensos. No dia 10 de Julho teve lugar, na Euronext Lisbon, a compra adicional de 62.608 acções da Semapa, acções essas que correspondem a 0,05% do capital social e a 0,06% dos direitos de voto não suspensos;

     b)   Nenhum dos fundos e SICAVs administrados pela Bestinver Gestión, S.A. SGIIC, detém, em nome próprio, ou através de qualquer outra entidade, uma participação qualificada e informação relevante sobre a Semapa;

     c)   O único accionista detentor de participação qualificada é a Bestinver Gestión. S.A. SGIIC, em nome dos fundos e das SICAVs;

     d)   Não existe nenhum acordo celebrado pela Bestinver Gestión. S.A. SGIIC, em nome dos fundos e das SICAVs, relativo ao exercício de direitos de voto na Semapa. A Bestinver Gestión. S.A. SGIIC, nas suas decisões de investimento, em nome dos fundos e das SICAVs, é absolutamente independente. Os investimentos da Bestinver Gestión. S.A. SGIIC, têm apenas uma finalidade financeira, sem intenção de aquisição de controlo.

Lisboa, 7 de Agosto de 2007

A Administração

 


 

3 de Agosto de 2007 - OBRIGAÇÕES SEMAPA

PAGAMENTO DO CUPÃO Nº 19

Informam-se os titulares de obrigações SEMAPA 1998, que se efectuará a partir do próximo dia 09 de Setembro o pagamento de juros referentes ao cupão nº 19, sendo agente pagador principal o

BANCO PORTUGUÊS DE INVESTIMENTO, S.A.

Valor ilíquido (EUR)      0,00002601
IRC/IRS      0,00000520
Valor líquido (EUR)      0,00002081

Nos termos do regulamento da Central de Valores Mobiliários, o pagamento de juros das obrigações centralizadas será efectuado através daquela Central (Código C.V.M.SEMBOE).

Lisboa, 03 de Agosto de 2007


SEMAPA – SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A.

 


 

19 de Julho de 2007 - COMUNICAÇÃO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a sociedade Bestinver Gestión, SGIIC, S.A. comunicou ontem a esta sociedade que no passado dia 11 de Julho lhe eram imputáveis 2.609.327 acções desta sociedade, acções essas que correspondem a 2,21% do capital social e a 2,31% dos direitos de voto não suspensos.

A sociedade Bestinver Gestión, SGIIC, S.A. comunicou ainda que aquela participação lhe é imputável através das seguintes entidades:

Entidade Nº acções % acções % dir. de voto não suspensos
Bestinver Gestión, SGIIC, SA   - -
BESTINVER BOLSA, F.I. 1.547.305 1,31% 1,37%
BESTINFOND F.I. 591.849 0,50% 0,52%
BESTINVER MIXTO, F.I. 260.945 0,22% 0,23%
SOIXA SICAV, S.A. 112.774 0,10% 0,10%
TEXRENTA INVERSIONES SICAV, S.A. 20.938 0,02% 0,02%
CORFIN INVERSIONES S.I.C.A.V., S.A. 9.450 0,01% 0,01%
RODAON INVERSIONES, SICAV, S.A. 7.993 0,01% 0,01%
TIBEST CINCO, SICAV, S.A. 6.880 0,01% 0,01%
INVERS, EN BOLSA SIGLO XXI, SICAV, S.A. 6.509 0,01% 0,01%
ATON INVERSIONES SICAV, S.A. 4.657 0,00% 0,00%
TIGRIS INVERSIONES, SICAV, S.A. 4.435 0,00% 0,00%
MERCADAL DE VALORES, SICAV, S.A. 4.179 0,00% 0,00%
H202 Inversiones SICAV, S.A. 3.850 0,00% 0,00%
DIVALSA DE INVERSIONES SICAV, S.A. 3.782 0,00% 0,00%
ENTRECAR INVERSIONES, SICAV, S.A. 3.395 0,00% 0,00%
PASGOM INVERSIONES, SICAV, S.A. 3.313 0,00% 0,00%
ACCIONES, CUP. Y OBLI. SEGOVIANAS, SICAV, S.A. 2.969 0,00% 0,00%
ZAMARRON SICAV, S.A. 2.487 0,00% 0,00%
Cartera Millennium SICAV, S.A. 2.483 0,00% 0,00%
CAMPO DE ORO, SICAV, S.A. 2.073 0,00% 0,00%
LINKER INVERSIONES, SICAV, S.A. 2.020 0,00% 0,00%
HELDALIN INVERSIONES SICAV, S.A. 1.462 0,00% 0,00%
Opec Inversiones, SICAV, S.A. 1.402 0,00% 0,00%
TAWARZAR 2-S2 SICAV, S.A. 1.211 0,00% 0,00%
IBERFAMA SICAV, S.A. 966 0,00% 0,00%
Soma: 2.609.327 2,21% 2,31%

Lisboa, 19 de Julho de 2007

A Administração

 


 

6 de Julho de 2007 - COMPRA DE ACÇÕES PRÓPRIAS

Damos conhecimento de que no dia 4 de Julho informámos a CMVM e a Euronext, nos termos do artigo 11º do Regulamento da CMVM n.º 4/2004, que a Semapa – Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. adquiriu nessa data, através de compra realizada em bolsa, 2.720.000 acções próprias, correspondentes a 2,30% do capital social, pelo preço unitário de 13,51€ por acção.

Considerando que a sociedade Seminv Investimentos, SGPS, S.A., integralmente dominada por esta sociedade, detinha já 2.727.975 acções da Semapa, o número total de acções sujeitas ao regime de acções próprias ascende agora a 5.447.975 acções, correspondentes a 4,60% do capital social.

Lisboa, 6 de Julho de 2007

 


 

25 de Maio de 2007 - COMUNICADO - INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2007

O desempenho do Grupo SEMAPA no 1º trimestre de 2007 foi positivo, o que se reflecte no nível alcançado pelos Resultados Líquidos após minoritários: 47.2 milhões de euros representando um aumento de 155% face ao trimestre homólogo do ano transacto, bem como na redução em cerca de 119 milhões de euros do nível de Endividamento Líquido do Grupo face ao final do exercício de 2006.

Clique aqui para saber mais.

 


 

15 de Maio de 2007 - OBRIGAÇÕES SEMAPA 2006 2ª EMISSÃO

PAGAMENTO DO CUPÃO Nº 2

Informam-se os titulares de obrigações SEMAPA 2006, que se efectuará a partir do próximo dia 31 de Maio o pagamento de juros referentes ao cupão nº 2, sendo agente pagador principal o

BANCO BPI, S.A.
Valor ilíquido (EUR) 25,27777778
IRC/IRS 5,05555556
Valor líquido (EUR) 20,22222222

Nos termos do regulamento da Central de Valores Mobiliários, o pagamento de juros das obrigações centralizadas será efectuado através daquela Central (Código C.V.M.SEMDOE).

Lisboa, 15 de Maio de 2007

SEMAPA – SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A.

 


 

4 de Maio de 2007 - COMUNICADO

Empréstimo Obrigacionista Semapa 2006/2016

Faça aqui o download do pdf.

 

 


 

 

11 de Abril de 2007 - COMUNICADO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a sociedade Credit Suisse International comunicou ontem a esta sociedade que no dia 4 de Abril de 2007 vendeu 19.279.477 acções da Semapa ao Credit Suisse, correspondentes a 16,29% do capital social e a 16,68% dos direitos de voto, tendo passado a deter 4.320.523 acções desta sociedade, correspondentes a 3,65% do capital social e a 3,74% dos direitos de voto, e que adicionalmente no mesmo dia o Credit Suisse emprestou as 19.279.477 acções da Semapa cujos votos lhe passaram a ser imputáveis ao Credit Suisse Securities (Europe) Limited, resultando numa imputação também a esta última sociedade de uma participação qualificada correspondente a 16,29% do capital social e a 16,68% dos direitos de voto. Esclareceu ainda aquela entidade que o Credit Suisse International e o Credit Suisse Securities (Europe) Limited são sociedades integrantes da área de banca de investimento do Credit Suisse. O Credit Suisse International encontra-se sob o domínio directo do Credit Suisse (International) Holding AG e o Credit Suisse Securities (Europe) Limited encontra-se sob o domínio directo do Credit Suisse Investment Holdings (UK). O Credit Suisse (International) Holding AG, o Credit Suisse Investment Holdings (UK) e o Credit Suisse encontram-se sob o domínio do Credit Suisse Goup. Destas informações e esclarecimentos resulta que é imputável ao Credit Suisse Group uma participação qualificada de 23.600.000 acções, correspondentes a 19,94% do capital e a 20,41% dos direitos de voto.

Lisboa, 12 de Abril de 2007

A Administração

 


 

29 de Março de 2007 - OBRIGAÇÕES SEMAPA 2006/2016

PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a sociedade Credit Suisse International comunicou ontem a esta sociedade que no dia 4 de Abril de 2007 vendeu 19.279.477 acções da Semapa ao Credit Suisse, correspondentes a 16,29% do capital social e a 16,68% dos direitos de voto, tendo passado a deter 4.320.523 acções desta sociedade, correspondentes a 3,65% do capital social e a 3,74% dos direitos de voto, e que adicionalmente no mesmo dia o Credit Suisse emprestou as 19.279.477 acções da Semapa cujos votos lhe passaram a ser imputáveis ao Credit Suisse Securities (Europe) Limited, resultando numa imputação também a esta última sociedade de uma participação qualificada correspondente a 16,29% do capital social e a 16,68% dos direitos de voto. Esclareceu ainda aquela entidade que o Credit Suisse International e o Credit Suisse Securities (Europe) Limited são sociedades integrantes da área de banca de investimento do Credit Suisse. O Credit Suisse International encontra-se sob o domínio directo do Credit Suisse (International) Holding AG e o Credit Suisse Securities (Europe) Limited encontra-se sob o domínio directo do Credit Suisse Investment Holdings (UK). O Credit Suisse (International) Holding AG, o Credit Suisse Investment Holdings (UK) e o Credit Suisse encontram-se sob o domínio do Credit Suisse Goup. Destas informações e esclarecimentos resulta que é imputável ao Credit Suisse Group uma participação qualificada de 23.600.000 acções, correspondentes a 19,94% do capital e a 20,41% dos direitos de voto.

Lisboa, 29 de Março de 2007

SEMAPA – SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A.

 


 

23 de Março de 2007 - INFORMAÇÃO - PAGAMENTO DE DIVIDENDOS - EXERCÍCIO DE 2006

O pagamento de dividendos deliberado na assembleia geral anual da sociedade do dia 21 de Março de 2007 terá lugar no dia 16 de Abril, nos termos seguintes:

Dividendo Ilíquido por acção      EUR 0,230
IRS/IRC (20,0%) por acção      EUR 0,046
Dividendo Líquido por acção      EUR 0,184

Os dividendos serão pagos através da Central de Valores Mobiliários, nos termos do respectivo regulamento.

Mais informamos que para efeitos de isenção ou dispensa de retenção na fonte de IRS/IRC, os Senhores Accionistas devem confirmar a caracterização da sua situação fiscal junto das entidades depositárias das acções.

Lisboa, 23 de Março de 2007


A Administração

 


 

22 de Março de 2007 - INFORMAÇÃO - ASSEMBLEIA GERAL ANUAL

Informamos que na assembleia geral anual da sociedade, que teve lugar no dia 21 de Março de 2007, foram tomadas as seguintes deliberações:

  1. Aprovação do Relatório de Gestão, Balanço e Contas do exercício de 2006, bem como do Relatório e Parecer do Conselho Fiscal, nos termos submetidos à apreciação dos Senhores Accionistas;
  2. Aprovação do Relatório Consolidado de Gestão, das Contas consolidadas e dos demais documentos de prestação de contas consolidadas relativos ao exercício de 2006, nos termos submetidos à apreciação dos Senhores Accionistas;
  3. Aprovação da proposta do Conselho de Administração de aplicação dos Resultados Líquidos do exercício, com base no resultado líquido do exercício individual da Semapa (apurado segundo o normativo POC e em conformidade com o Código das Sociedades Comerciais), no montante de EUR 91 399 271 conforme segue: 
    Dividendos às acções em circulação
    Por acção EUR 0,23
    Total de dividendos EUR 27 216 462,35
    Reservas Livres EUR 64 182 808,65
  4. Aprovação de um voto de louvor e confiança nos Órgãos de Administração e Fiscalização bem como nos respectivos membros;
  5. Aprovação da proposta do Conselho de Administração no sentido de ser autorizado a adquirir e alienar acções e obrigações próprias pelo prazo de 18 meses, e
  6. Eleição das seguintes pessoas para exercerem funções até ao final do mandato em curso dos restantes titulares dos órgãos sociais:
    Presidente da Mesa da Assembleia Geral Dr. José Pedro Aguiar-Branco
    Secretário da Mesa da Assembleia Geral Dr.ª Rita Maria Pinheiro Ferreira.

Lisboa, 22 de Março de 2007

A Administração

 


 

22 de Março de 2007 - INFORMAÇÃO - MESA DA ASSEMBLEIA GERAL

Informamos que na assembleia geral anual da sociedade, que teve lugar no dia 21 de Março de 2007, foram eleitas, para exercerem funções até ao final do mandato em curso dos restantes titulares dos órgãos sociais, as seguintes pessoas:

Presidente da Mesa da Assembleia Geral...................Dr. José Pedro Aguiar-Branco

Secretário da Mesa da Assembleia Geral: ..................Dr.ª Rita Maria Pinheiro Ferreira

Lisboa, 22 de Março de 2007 


A Administração

 


 

2 de Março de 2007 - INFORMAÇÃO PRIVILEGIADA - INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DE 2006 

Evolução dos negócios em 2006

A actividade do Grupo Semapa no exercício de 2006 evidencia o esforço de consolidação e reforço da posição nas duas áreas de negócio onde o Grupo desenvolve a sua actividade – Papel e Pasta de Papel e Cimentos e seus Derivados. Deste modo, o EBITDA recorrente cresceu 6%, o endividamento registou uma redução de 11%, o resultado líquido atingiu EUR 91,4 M e o título acumulou uma forte valorização bolsista, cerca de 30%.

Contribuição por segmentos de Negócio:

106 euros
  Pasta e Papel Cimentos Holdings Consolidado
Volume de Vendas 1.080,7 466,4 - 1.547,0
EBITDA Total 312,5 143,8 (12,7) 443,6
EBITDA Recorrente 311,0 133,2 (14,1) 430,1
   Amortizações e perdas por imparidade (103,2) (34,6) (0,1) (138,0)
   Provisões (reforços e reversões) (26,0) (4,1) (0,3) (29,9)
EBIT 183,2 105,0 (12,6) 275,7
   Resultados Financeiros (26,5) (5,2) (16,8) (48,5)
Resultados Antes de Impostos 156,8 99,8 (29,4) 227,2
   Impostos sobre Lucros (46,4) (22,8) 6,3 (62,9)
Lucros Retidos no Período 110,4 77,0 (23,1) 164,3
   Atribuível a accionistas da Semapa 75,0 39,4 (23,1) 91,4
   Atribuível a interesses minoritários 35,4 37,6 - 72,9
Cash-Flow 239,7 115,7 (23,2) 332,2
   Margem EBITDA (% Vol. Vendas) 28,9% 30,8%   28,7%
   Margem EBIT (% Vol. Vendas) 17,0% 22,5%   17,8%
Activo líquido total 2.379,0 848,5 308,4 3.535,9
Dívida Líquida 480,1 138,0 468,1 1.086,1

NOTAS:

  • Os valores dos indicadores por segmentos de negócio poderão diferir dos apresentados individualmente por cada Grupo, na sequência de ajustamentos de consolidação efectuados
  • EBITDA total = resultado operacional + amortizações e perdas por imparidade + provisões – reversão de provisões
  • Dívida líquida = dívida remunerada não corrente (líquida de encargos com emissão de empréstimos) + dívida remunerada corrente (incluindo dívida a accionistas) – caixa e seus equivalentes; em conformidade com o normativo IFRS

Volume de Vendas Consolidado: EUR 1 547,0 M

O valor de EUR 1 547,0 M representa um crescimento de 4% face ao valor registado em 2005.

  • Grupo PORTUCEL SOPORCEL (Papel e Pasta de Papel)

    O volume de negócios do Grupo em 2006, totalizou EUR 1 080,7 M, que se traduziu num incremento de 5% em relação a 2005.

    Tanto o volume de vendas de papel (1.004 mil toneladas), como o respectivo preço médio unitário de venda, evoluíram favoravelmente, pelo que o valor total das vendas deste segmento registou um crescimento de 6,1% face a 2005, área do papel esta que representou cerca de 70% do volume total de negócios do Grupo Portucel.

    O preço de venda unitário da pasta aumentou 7,6% no período em análise. Em virtude do maior nível de integração da pasta em papel, a quantidade de pasta disponível para venda no mercado (559 mil toneladas) foi ligeiramente inferior a 2005. Deste modo, o valor total das vendas de pasta aumentou cerca de 5,5%, representando uma contribuição de 24% para o volume global de negócios do Grupo Portucel.

    Os restantes 6% do volume de negócios foram gerados pela área da energia e outros serviços.

  • Grupo SECIL (Cimentos)

    As vendas acumuladas do Grupo Secil em 2006 totalizaram EUR 466,4 M, o que representou um acréscimo de 1% relativamente a 2005, uma evolução favorável tendo em conta que, a actividade do principal mercado do Grupo – Cimento no mercado nacional – foi bastante afectada pelo decréscimo sensível do consumo, resultante da recessão prolongada em que se encontra o sector da construção.

    Relativamente à actividade produtiva desenvolvida em Portugal, as vendas de cimento atingiram 3,8 milhões de toneladas, aumentando 2% em volume e diminuindo 1% em valor. A queda das vendas no mercado interno foi compensada com o aumento expressivo das exportações.

EBITDA consolidado: Valor total de EUR 443,6 M, dos quais EUR 430,1 M se revestem de natureza recorrente

  • Papel e Pasta de Papel: o EBITDA total acumulado atingiu EUR 312,5 M, o que traduz um crescimento de 17% face a 2005, fruto do esforço de melhoria de eficiência e de aumento de produtividade e da evolução dos preços de venda.
  • Cimentos: o EBITDA total acumulado ascendeu a EUR 143,8 M, o que representa uma redução de 7% relativamente a 2005; por sua vez, a quebra no EBITDA recorrente foi menor, i.e. 4%.
  • Holdings (Semapa SGPS e suas sub-holdings instrumentais): contribuição negativa de EUR 12,7 M que traduzem fundamentalmente os custos de estrutura.

Margem EBITDA Consolidada: 28,7%

  • Papel e Pasta de Papel: margem de 28,9%, que se traduz num crescimento de 3 pontos percentuais em relação a 2005.
  • Cimentos: margem de 30,8%, i.e. redução da margem em cerca de 2,7 pontos percentuais.

EBIT Consolidado: EUR 275,7 M

  • Papel e Pasta de Papel: 183,2 M, acréscimo de 27% face aos valores de 2005.
  • Cimentos: EUR 105,0 M, 12% inferior ao valor acumulado em Dezembro de 2005.
  • Holdings: contribuição negativa de EUR 12,6 M.

Dívida Líquida: EUR 1 086,1 M

O nível de endividamento líquido do Grupo SEMAPA continua a evidenciar uma tendência decrescente, que se traduziu numa redução de EUR 136,3 M face ao valor do final do exercício de 2005, o que revela o bom desempenho do Grupo ao nível dos cash flows gerados.

  • Grupo PORTUCEL SOPORCEL: redução de EUR 256,1 M desde o final de 2005, o que demonstra a forte capacidade desta área de negócios na geração de cash flows, bem como a gestão cuidadosa do fundo de maneio; em Maio de 2006, a Portucel procedeu à distribuição de dividendos referentes ao exercício de 2005 no montante de EUR 40,3 M; o nível de endividamento líquido do Grupo permitirá concretizar os seus planos de investimento e desenvolvimento estratégico.
  • Grupo SECIL: a dívida líquida registou uma redução de 30% relativamente a 31.12.2005, situando-se em EUR 138,0 M, pese embora o facto de a Secil ter distribuído dividendos de EUR 19,5 M no 1º trimestre de 2006 e EUR 16,1 M em Setembro.
  • Holdings: o endividamento líquido aumentou cerca de EUR 178 M, totalizando EUR 468,1 M no final de 2006, resultante fundamentalmente: i) da aquisição de 0,55% do capital social da EDP; e, ii) do reforço da posição do Grupo na Portucel em 4,7% no mês de Novembro.

Resultados Financeiros: EUR-48,5 M

Os resultados financeiros evidenciam uma melhoria substancial face ao valor acumulado de 2005, registando uma redução de 47%. Para esta evolução concorre essencialmente a redução dos encargos financeiros acumulados em 2006, decorrente da redução do endividamento médio do Grupo.

Resultados Líquidos Consolidados:EUR 91,4 M

O Resultado Líquido Consolidado antes de interesses minoritários foi de EUR 164,3 M, dos quais são atribuíveis aos accionistas da SEMAPA EUR 91,4 M.

Principais indicadores económicos-financeiros

A demonstração dos resultados consolidados comparativa de 2005 foi reexpressa, passando o resultado das operações do Grupo Enersis (alienado no último trimestre de 2005), nesse exercício, a constar numa rubrica autónoma de Unidades Operacionais Descontinuadas.

Salienta-se que i) foi gerada uma mais valia com a sua alienação de EUR 377 M, contabilizada no EBITDA Total, explicando assim a variação face a 2005 ii) a sua alienação só ocorreu no final de 2005, tendo sido utilizado o produto da venda para reembolsar passivo bancário, facto que explica a diminuição nos encargos financeiros em 2006 e, consequentemente, as variações nas rubricas de resultados líquidos e de cash flow. Já as rubricas de vendas, EBITDA recorrente e dívida líquida são directamente comparáveis e registam uma evolução favorável.

 

        106Euros
   2006   Reexpresso 2005

  Var.% 06/05

  Publicado 2005   Var. % 06/05
Volume de vendas   1.547,0   1.490,2   4%   1.529,7   1%
  Outros Proveitos   125,8   499,7   (75%)   445,8   (72%)
  Unid.Operacionais Descontinuadas   -   3,8      -   
  Gastos e Perdas   (1.229,2)   (1.288,7)   (5%)   (1.248,7)   (2%)
EBITDA TOTAL   443,6   705,1   (37%)   726,9   (39%)
EBITDA Recorrente   430,1   405,3   6%   427,1   1%
  Amortizações e perdas por imparidade   (138,0)   (155,7)   (11%)   (169,1)   (18%)
  Provisões (reforços e reversões)   (29,9)   (3,4)   775%   -   
EBIT   275,7   546,0   (50%)   557,8   (51%)
  Resultados Financeiros   (48,5)   (90,6)   (47%)   (99,0)   (51%)
Resultados Antes de Impostos   227,2   455,4   (50%)   458,8   (50%)
  Impostos sobre Lucros   (62,9)  (56,9)   11%   (60,1)   5%
Lucros retidos do exercício   164,3   398,5   (59%)   398,7   (59%)
  Atribuivel a Accionistas da Semapa   91,4  334,0   (73%)   334,2   (73%)
  Atribuivel a Interesses Minoritários   72,9  64,5   13%   64,5   13%
Cash-Flow   332,2   557,6   (40%)   567,8   (41%)

  Margem EBITDA  (% Vol. Vendas)

28,7%

   47,3% (39%)   47,5%
(40%)

  Margem EBIT  (% Vol. Vendas)

17,8%

   36,6% (51%)   36,5%
(51%)

Activo Líquido Total

  3.535,9   3.575,0   (1%)   3.473,6   2%
Dívida Líquida   1.086,1   1.222,4   (11%)   1.222,4   (11%)

 

NOTAS:

  • EBITDA total = resultado operacional + amortizações e perdas por imparidade + provisões – reversão de provisões
  • Dívida líquida = dívida remunerada não corrente (líquida de encargos com emissão de empréstimos) + dívida remunerada corrente (incluindo dívida a accionistas) – caixa e seus equivalentes; em conformidade com o normativo IFRS

Perspectivas para 2007

Sendo a Semapa SGPS uma sociedade cujo objecto é a gestão de participações sociais, as suas perspectivas de evolução dos negócios estão, em grande medida, dependentes da evolução da actividade das suas participadas. Assim:

Grupo PORTUCEL SOPORCEL

  • As perspectivas de evolução das condições de mercado em 2007, no seu fundamental determinadas pelos níveis de procura de pasta e papel, podem considerar-se moderadamente positivas. O desempenho do Grupo poderá, no entanto, ser fortemente influenciado pela evolução dos factores de incerteza como a evolução do preço do petróleo, do dólar e da taxa de juro.
  • O desempenho do Grupo será também influenciado pela necessidade de recurso a importação de madeira em volumes significativos, opção destinada a proporcionar, a médio prazo, melhores condições de sustentabilidade na floresta portuguesa de eucalipto.
  • Em 2006, o Conselho de Administração do grupo Portucel Soporcel aprovou o projecto de instalação de uma nova fábrica de papel no seu complexo industrial de Setúbal, com uma capacidade nominal de aproximadamente 500 mil ton/ano, num investimento de cerca de EUR 490 M.

    Este projecto permitirá, uma vez concluído, reforçar a competitividade do Grupo no mercado de papel, assegurando a capacidade de resposta necessária à crescente procura dos seus produtos e marcas no mercado internacional. Possibilitará, também, reforçar o papel estruturante do grupo Portucel Soporcel na fileira florestal do eucalipto e aumentar a sua contribuição para a economia portuguesa. É, aliás, grato registar que, já hoje, tal contribuição é muito expressiva, representando cerca de 2% do PIB industrial e 3% das exportações de mercadorias.

  • Os benefícios fiscais e financeiros a conceder pelo Estado português a este projecto, assim como à modernização da unidade fabril da Figueira da Foz, foram notificados à Comissão Europeia pelas autoridades nacionais, nos termos das regras sobre auxílios de Estado. Nesta data desconhece-se ainda a posição que virá a ser tomada pela Comissão Europeia relativamente àqueles benefícios.

Grupo SECIL

  • Consolidação do Grupo SECIL pelo método proporcional a partir de 2007: A partir de 2007 a manutenção do Chief Executive Officer e do Chief Financial Officer nomeados pela Semapa na Secil deixa de ser imposta pelos acordos celebrados com a CRH – accionista minoritário da Secil, pelo que a partir do exercício de 2007 a participação financeira na Secil de 51% será consolidada pelo método proporcional; isto não obstante o acordo prever a manutenção por parte da Semapa do direito de nomear a maioria dos membros do Conselho de Administração e da Comissão Executiva, bem como o Presidente do Conselho de Administração da sociedade.

    A consolidação por este método resultará na redução proporcional dos activos, passivos, proveitos e custos do Grupo SECIL apropriados pela Semapa, não tendo, contudo, qualquer impacto ao nível dos resultados líquidos ou dos capitais próprios da Semapa ou da capacidade em distribuir dividendos.

  • Portugal: no segmento de cimento e clínquer perspectiva-se para 2007 uma evolução ligeiramente desfavorável atendendo à conjuntura do sector; contudo, a Secil estima melhorar a sua performance através da racionalização dos custos de produção e de distribuição. Nas restantes áreas de negócio, incluindo betão-pronto, prefabricação em betão e cal hidráulica, prevê-se igualmente que evolua em sintonia com as expectativas para a actividade da construção; as argamassas deverão evoluir favoravelmente.
  • Tunísia: a evolução do consumo de cimento não se deve afastar da ocorrida em 2006; a Société des Ciments de Gabès espera obter uma sensível melhoria da sua performance fabril e comercial; permanece a incógnita quanto à atitude do Governo Tunisino no que respeita à liberalização dos preços; no segmento do betão-pronto, antevê-se uma evolução positiva essencialmente devido ao efeito de penetração.
  • Angola: as perspectivas de evolução do mercado são favoráveis quer ao nível do país quer ao nível da região Sul, o mercado natural da Secil-Lobito, dadas as expectativas existentes quanto à realização de um vasto conjunto de obras associadas ao processo de reconstrução do país; espera-se ainda, durante o primeiro trimestre de 2007, a aprovação pelo Conselho de Ministros do investimento na nova linha de produção, cujo projecto deverá ser executado ao longo de 3 anos e poderá obter uma capacidade de produção de cimento de 700 000 toneladas por ano, a qual poderá vir a ser duplicada num futuro próximo.
  • Líbano: Em finais de Janeiro de 2007 a Secil adquiriu uma participação adicional de 21,86% do capital da Sibline passando a deter uma participação de 50,5% no capital da sociedade; esta aquisição insere-se na estratégia de internacionalização da Secil que visa reforçar a presença em mercados com maior potencial de crescimento nos próximos anos. Estima-se que o mercado possa crescer, tendo em consideração a procura nos mercados próximos e a procura associada às obras de reconstrução e aos grandes projectos, dependendo da evolução da situação politica no país e na região do Médio Oriente.

Lisboa, 2 de Março de 2007

A Administração

 


 

16 de Fevereiro de 2007 - ASSEMBLEIA GERAL ANUAL - CONVOCATÓRIA

Convoco os Senhores Accionistas para reunirem em Assembleia Geral Anual no dia 21 de Março do corrente ano, pelas 11 horas, no Hotel Sana Lisboa, sito na Av. Fontes Pereira de Melo, nº 8, por a sede social não permitir a reunião em condições satisfatórias, com a seguinte ordem de trabalhos:

  1. Deliberar sobre o Relatório de Gestão, o Balanço e as Contas do exercício findo, bem como sobre o Relatório e Parecer do Conselho Fiscal;
  2. Deliberar sobre os documentos de consolidação de contas referentes ao mesmo exercício;
  3. Deliberar sobre a aplicação de resultados;
  4. Proceder à apreciação geral da administração e fiscalização da sociedade;
  5. Deliberar sobre uma proposta do Conselho de Administração para aquisição e alienação de acções e obrigações próprias, e
  6. Proceder à eleição do Presidente e do Secretário da Mesa da Assembleia Geral para exercerem funções até ao final do mandato em curso dos titulares dos restantes órgãos sociais.

Durante os quinze dias anteriores à data da Assembleia serão facultados à consulta dos Senhores Accionistas, na sede social e no sítio da sociedade na internet, os elementos de informação preparatória previstos na lei.

Requisitos para participação e exercício do direito de voto:

  • Só podem assistir e participar na Assembleia, além dos membros dos corpos sociais e do representante comum dos obrigacionistas, os accionistas que possuam o minímo de 385 acções, quantidade a que corresponde um voto, e que até cinco dias antes da data da reunião apresentem documento comprovativo da titularidade das acções e do seu bloqueio até ao termo desta.
  • Podem também assistir à Assembleia Geral os accionistas que não tendo direito de voto se agrupem até perfazer pelo menos o número mínimo de acções e se façam representar por um dos agrupados.
  • Os accionistas podem fazer-se representar na Assembleia Geral por quem entenderem.
  • Os instrumentos de representação voluntária de accionistas, quer sejam pessoas singulares ou colectivas, deverão ser entregues ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral até cinco dias antes do dia da reunião.

Os accionistas podem votar por correspondência nos termos do artigo 22º do Código dos Valores Mobiliários, processando-se a voto da seguinte forma:

  • Deve ser dirigido ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral, e recebido na sede social até à véspera da Assembleia Geral, um sobrescrito contendo as declarações de voto.
  • O sobrescrito deve conter (1) carta dirigida ao Presidente da Mesa, com assinatura reconhecida, manifestando a vontade de votar, e (2) as declarações de voto, uma para cada ponto da ordem de trabalhos, em sobrescrito fechado e independente com a indicação exterior do ponto da ordem de trabalhos a que se destina.
  • Os votos emitidos valem como votos negativos em relação às propostas apresentadas ulteriormente à sua emissão.

Lisboa, 15 de Fevereiro de 2007

O Presidente do Conselho Fiscal

(Duarte Nuno d'Orey da Cunha)

 


 

15 de Fevereiro de 2007 - OBRIGAÇÕES SEMAPA 1998 - PAGAMENTO DO CUPÃO Nº 18 E AMORTIZAÇÃO PARCIAL

Informam-se os titulares de obrigações SEMAPA 1998, que se efectuará a partir do próximo dia 09 de Março o pagamento de juros referentes ao cupão nº 18, e a amortização parcial, sendo agente pagador principal o

BANCO PORTUGUÊS DE INVESTIMENTO, S.A.
Valor ilíquido (EUR) 0,00008276
IRC/IRS 0,00001655
Valor líquido (EUR) 0,00006621
Amortização 0,00250000

Nos termos do regulamento da Central de Valores Mobiliários, o pagamento de juros das obrigações centralizadas será efectuado através daquela Central (Código C.V.M.SEMBOE).

Lisboa, 14 de Fevereiro de 2007

SEMAPA – SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A.

 


 

5 de Fevereiro de 2007 - INFORMAÇÃO - ÓRGÃOS SOCIAIS

Informamos que o Senhor Dr. Henrique Reynaud Campos Trocado, Presidente da Mesa da Assembleia Geral, e o Senhor Dr. Luís Duarte Silva Marçal, Secretário da Mesa da Assembleia Geral, renunciaram no dia 2 de Fevereiro de 2007 às funções que desempenhavam.

Lisboa, 5 de Fevereiro de 2007.

A Administração

 


 

31 de Janeiro de 2007 - COMUNICADO - SECIL ADQUIRE MAIORIA DO CAPITAL DA SOCIEDADE CIMENT DE SIBLINE SAL

Informa-se que a Secil – Companhia Geral de Cal e Cimento, SA (SECIL) através de uma subsidiária detida por ela em 100%, adquiriu uma participação adicional representativa de 21.86% do capital social e dos direitos de voto da Sociedade Ciment de Sibline SAL (SIBLINE) com sede em Beirute no Líbano por USD 37.3 milhões.

Com esta aquisição, a Secil passou a deter uma participação total de 50.5% dos direitos de voto e do capital social da SIBLINE.

A aquisição total desta participação – 50.5% - representou um Investimento de USD 65.1 milhões o que corresponde a um Equity Value de USD 128.9 milhões e a um Enterprise Value (EV) de USD 174.4 milhões. A transacção tem um múltiplo EV/EBITDA implícito de 7.45, considerando o valor estimado do EBITDA de 2006.

A SIBLINE tem uma capacidade anual de produção de clinquer e de cimento de respectivamente 950.000 e 1.200.000 toneladas/ ano. O múltiplo EV/ ton cap. anual de cimento foi de USD 145.3/ ton cap.

A Sociedade opera também na área do betão pronto através da sua participada Soime.

Lisboa, 31 de Janeiro de 2007

A Administração

 


 

23 de Janeiro de 2007 - INFORMAÇÃO - REPRESENTANTE COMUM DOS OBRIGACIONISTAS

Informamos que na assembleia geral de obrigacionistas que teve lugar na data de hoje, relativa à emissão “SEMAPA 2006/2016” no montante total de 175.000.000€, foi o Senhor Dr. José Sá Coutinho Carvalhosa designado representante comum, pelo período de 6 meses, renovável automática e sucessivamente por iguais períodos, se diferentemente não for deliberado pela assembleia.

Lisboa, 23 de Janeiro de 2007.

A Administração

 


 

2 de Janeiro de 2007 - COMUNICAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a sociedade Credit Suisse International, comunicou hoje a esta sociedade que no dia 28 de Dezembro de 2006 adquiriu 3.290.579 acções desta sociedade, correspondentes a 2,78% do capital social e a 2,85% dos direitos de voto não suspensos, tendo assim passado a deter uma participação total na Semapa de 23.600.000 acções, correspondentes a 19,94% do capital social e a 20,41% dos direitos de voto não suspensos. Comunicou igualmente que o Credit Suisse International integra a área de banca de investimento do Credit Suisse, com o qual se encontra em relação de domínio.

Lisboa, 2 de Janeiro de 2007

A Administração

 


 

22 de Dezembro de 2006 - COMUNICAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a sociedade BES VIDA, Companhia de Seguros, S.A. comunicou a esta sociedade que no dia 20 de Dezembro de 2006 alienou em Bolsa 250.000 acções da Semapa, correspondentes a 0,21% do capital social e a 0,22% dos direitos de voto não suspensos, reduzindo assim a partir dessa data a sua participação na Semapa abaixo de 2% dos direitos de voto não suspensos, para 1,93% do capital social.

Lisboa, 22 de Dezembro de 2006

A Administração

 


 

29 de Novembro de 2006 - INFORMAÇÃO - SECRETÁRIO DA SOCIEDADE

Informamos que, por deliberação do Conselho de Administração, de 27 de Novembro de 2006, foi designado Secretário da Sociedade Efectivo o Senhor Dr. António Duarte Serrão, mantendo-se como Secretário da Sociedade Suplente o Senhor Dr. Rui Tiago Trindade Ramos Gouveia.

Lisboa, 28 de Novembro de 2006

A Administração

 


 

28 de Novembro de 2006 - COMUNICADO - INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DO 3º TRIMESTRE DE 2006

O Grupo Semapa continua a evidenciar uma performance bastante dinâmica, que se traduziu num aumento de resultados líquidos de 120% até Setembro de 2006, comparativamente com o período homólogo do ano anterior.

Comparabilidade da informação:

A fim de permitir a comparabilidade de valores e indicadores entre períodos homólogos, apresenta-se, para além da versão que foi apresentada quando da divulgação dos resultados em 2005, uma versão reexpressadas contas consolidadas do Grupo Semapa referentes ao 3º trimestre de 2005, que não inclui a consolidação integral do Grupo Enersis estando contudo individualizado o resultado deste Grupo na rubrica “Unidades Operacionais em Descontinuação”.

Quadro de indicadores:

106 euros
   IFRS 
Setembro
2006
 Reexpresso
IFRS
Setembro
2005
 Var. %
06/05
 Original
IFRS
Setembro
2005
 Var. %
06/05
Volume de Vendas 1.150,9 1.090,7 6% 1.119,3 3%
   Outros Proveitos 91,8 72,9 26% 50,2 83%
   Unid. Operacionais
em Descontinuação
- 2,7   -  
   Gastos e Perdas (904,1) (863,9) 5% (851,6) 6%
EBITDA Total 338,7 302,5 12% 317,9 7%
EBITDA Recorrente* 327,7 284,4 15% 301,4 9%
   Amortizações e perdas
por imparidade
(106,1) (113,7) (7%) (124,8) (15%)
   Provisões (reforços
e reversões)
(13,7) (5,7) 143% -  
EBIT 218,9 183,1 20% 193,1 13%
   Resultados Financeiros (32,5) (61,1) (47%) (68,3) (52%)
Resultados Antes de Impostos 186,3 122,1 53% 124,8 49%
   Impostos sobre Lucros (67,0) (45,7) 46% (48,4) 38%
Lucros Retidos do Período 64,5 53,9 20% 54,0 19%
   Atribuível a Accionistas
da Semapa
63,6 28,9 120% 29,0 119%
   Atribuível a Interesses
Minoritários
55,8 47,4 18% 47,5 18%
Cash-Flow 239,2 195,7 22% 201,3 19%
           
Margem EBITDA
(% Vol. Vendas)
29,4% 27,7% 6% 28,4% 4%
Margem EBIT
(% Vol. Vendas)
19,0% 16,8% 13% 17,3% 10%

 

 

106 euros
   IFRS  
30.09.2006
 Reexpresso
IFRS
31.12.2005
 Var. %  Original
IFRS
31.12.2005
 Var. %
Activo líquido total 3.550,2 3.575,0 (1%) 3.473, 2%
Dívida líquida 1.094,1 1.222,4 (10%) 1.222,4 (10%)

 

 

Contribuição por segmentos de Negócio:

106 euros
  Cimentos Pasta e Papel Holdings Consolidado
Volume de Vendas 356,8 794,2 - 1.150,9
EBITDA Total 114,4 235,0 (10,7) 338,7
EBITDA Recorrente 105,6 232,8 (10,7) 327,7
   Amortizações e perdas por imparidade (26,5) (79,5) (0,1) (106,1)
   Provisões (reforços e reversões) (1,1) (12,6) (0,0) (13,7)
EBIT 86,8 142,9 (10,8) 218,9
   Resultados Financeiros (1,5) (20,6) (10,4) (32,5)
Resultados Antes de Impostos 85,3 122,2 (21,2) 186,3
   Impostos sobre Lucros (25,6) (41,7) 0,3 (67,0)
Lucros Retidos no Período 59,7 80,6 (20,9) 119,4
   Atribuível a accionistas da Semapa 30,4 54,0 (20,9) 63,6
   Atribuível a interesses minoritários 29,3 26,6 - 55,8
Cash-Flow 87,3 172,7 (20,8) 239,2
   Margem EBITDA (% Vol. Vendas) 32,1% 29,6%   29,4%
   Margem EBIT (% Vol. Vendas) 24,3% 18,0%   19,0%
Activo líquido total 914,3 2.332,1 303,8 3.550,2
Dívida Líquida 142,8 567,0 384,3 1.094,1

NOTA: Os valores dos indicadores por segmentos de negócio poderão diferir dos apresentados individualmente por cada Grupo, na sequência de ajustamentos de consolidação efectuados.

Vendas e Prestações de Serviços acumuladas Consolidadas: 1.150,9 milhões de euros

O valor de 1.150,9 milhões de euros representa um crescimento de 6% na comparação com o período homólogo de 2005.

  • Grupo SECIL (Cimentos)

    Apesar da quebra da procura de cimento no principal mercado do Grupo – mercado nacional - as vendas acumuladas do Grupo Secil a Setembro (356,8 milhões de euros) contrariaram esta tendência, uma vez que registaram um acréscimo de 3% relativamente ao período homólogo de 2005, decorrente fundamentalmente da boa performance das exportações, assim como de alterações do perímetro contabilístico. Refira-se que as vendas em volume de cimento aumentaram cerca de 1% face a idêntico período de 2005.

  • Grupo PORTUCEL SOPORCEL (Papel e Pasta de Papel)

    No período em análise venderam-se 734,4 mil toneladas de papel, mais 4% que em igual período do ano anterior, e 426,9 mil toneladas de pasta de papel, sensivelmente o mesmo volume que em igual período de 2005.

    Em termos homólogos os preços unitários do papel e da pasta de papel registaram aumentos de 3% e 10% respectivamente.

    O volume de negócios consolidado do papel e pasta de papel nos três trimestres de 2006 cifrou-se em 794,2 milhões de euros, o que traduz um crescimento de 7% face a igual período do ano transacto. Estes valores reflectem a evolução bastante favorável registada no volume de vendas do papel, como também dos preços unitários de vendas, quer do papel quer da pasta de papel.

EBITDA consolidado: Valor total de 338,7 milhões de euros, dos quais 327,7 milhões de euros se revestem de natureza recorrente

  • Cimentos: o EBITDA total acumulado ascendeu a 114,4 milhões de euros, o que representa uma redução de 8% face ao mesmo período de 2005;
  • Papel e Pasta de Papel: EBITDA total acumulado atingiu 235,0 milhões de euros, o que traduz num crescimento de 23% face a idêntico período de 2005;
  • Holdings (Semapa SGPS e suas sub-holdings instrumentais): contribuição negativa de 10,7 milhões de euros que traduzem os custos de estrutura suportados e que representam um desagravamento de 10% face aos custos do período homólogo anterior.

Margem EBITDA Consolidada: 29,4%

  • Cimentos: verificou-se uma redução da margem em cerca de 3,7 pontos percentuais, para 32,1% em termos homólogos;
  • Papel e Pasta de Papel: crescimento para 29,6%, o que representa um acréscimo de 16% relativamente ao período homólogo de 2005.

EBIT Consolidado: 218,9 milhões de euros

  • Cimentos: 86,8 milhões de euros, 9% inferior ao valor apresentado em Setembro de 2005;
  • Papel e Pasta de Papel: milhões de euros, acréscimo de 43% face aos valores do 3º trimestre de 2005;
  • Holdings: contribuição negativa de 10,8 milhões de euros.

Dívida Líquida: 1.094,1 milhões de euros

O nível de endividamento líquido do Grupo SEMAPA continua a evidenciar uma tendência decrescente, que se traduziu numa redução de 128,3 milhões de euros face ao valor do final do exercício de 2005, o que revela o bom desempenho do Grupo ao nível dos cash flows gerados.

  • Grupo SECIL: a dívida líquida regista uma redução de 27% relativamente a 31.12.2005, situando-se actualmente em 142,8 milhões de euros, pese embora o facto de a Secil ter distribuído dividendos de 19,5 milhões de euros no 1º trimestre de 2006 e 16,1 milhões de euros em Setembro;
  • Grupo PORTUCEL SOPORCEL: 3 redução de 169,1 milhões de euros desde o final de 2005, o que demonstra a forte capacidade desta área de negócios na geração de cash flows, bem como a gestão cuidadosa do fundo de maneio. De referir ainda que, no mês de Maio de 2006, a Portucel procedeu à distribuição de dividendos referentes ao exercício de 2005 no montante de 40,3 milhões de euros;
  • Holdings: o endividamento líquido situou-se nos 384,3 milhões de euros.

Resultados Financeiros: -32,5 milhões de euros

Os resultados financeiros evidenciam uma melhoria substancial face ao valor acumulado até Setembro de 2005, registando uma redução de 47%. Para esta evolução concorre essencialmente a redução dos encargos financeiros acumulados nos primeiros 9 meses de 2006, os quais reflectem a redução de 350 milhões de euros do endividamento do Grupo após a venda da participação na Enersis, em Dezembro de 2005, bem como a já mencionada capacidade de libertação de cash flow do Grupo.

Resultados Líquidos Consolidados: 63,6 milhões de euros

O Resultado Líquido Consolidado antes de interesses minoritários foi de 119,3 milhões de euros, dos quais são atribuíveis aos accionistas da SEMAPA 63,6 milhões de euros, o que representa um acréscimo de 120% relativamente ao valor registado no mesmo período de 2005.

Lisboa, 28 de Novembro de 2006

A Administração

 


 

13 de Novembro de 2006 - OBRIGAÇÕES SEMAPA 2006 2ª EMISSÃO - PAGAMENTO DO CUPÃO Nº 1

Informam-se os titulares de obrigações SEMAPA 2006, que se efectuará a partir do próximo dia 30 de Novembro o pagamento de juros referentes ao cupão nº 1, sendo agente pagador principal o

BANCO BPI, S.A.
Valor ilíquido (EUR) 22,23958333
IRC/IRS 4,44791667
Valor líquido (EUR) 17,79166666

Nos termos do regulamento da Central de Valores Mobiliários, o pagamento de juros das obrigações centralizadas será efectuado através daquela Central (Código C.V.M.SEMDOE).

Lisboa, 13 de Novembro de 2006

SEMAPA – SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A.

 


 

19 de Outubro de 2006 - INFORMAÇÃO - ESTRUTURA DE ADMINISTRAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DA SOCIEDADE - ÓRGÃOS SOCIAIS

Informamos que na assembleia geral da sociedade que teve lugar no dia de ontem foi deliberado manter a estrutura baseada na existência de um Conselho de Administração e de um Conselho Fiscal nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 278º do Código das Sociedades Comerciais e alterar a estrutura de fiscalização da sociedade que passou a ser composta por um conselho fiscal e um revisor oficial de contas ou sociedade de revisores oficiais de contas que não seja membro daquele órgão, nos termos da alínea b) do n.º 1 do artigo 413º do mesmo código.

Foi também deliberado o seguinte, no que respeita à Mesa da Assembleia Geral e fiscalização da sociedade:

  1. Eleger o Senhor Dr. Luís Duarte Silva Marçal para secretário da Mesa da Assembleia Geral da Sociedade;
  2. Manter em funções o Revisor Oficial de Contas da sociedade bem como o respectivo suplente sem serem membros do Conselho Fiscal;
  3. Alterar a posição do membro que se mantém em funções no Conselho Fiscal, Senhor Dr. Duarte Nuno d' Orey da Cunha, para Presidente do mesmo, elegendo como vogais os Senhores Dr. Miguel Camargo de Sousa Eiró e Dr. Gonçalo Nuno Palha Gaio Picão Caldeira e como suplente a Senhora Dr.ª Marta Isabel Guardalino da Silva Penetra;

A Mesa da Assembleia Geral, o Conselho Fiscal e o lugar de Revisor Oficial de Contas ficam pois com a seguinte composição:

Mesa da Assembleia Geral:
Presidente: Dr. Henrique Reynaud Campos Trocado
Secretário: Dr. Luís Duarte Silva Marçal

Conselho Fiscal:
Presidente: Dr. Duarte Nuno d’Orey da Cunha
Vogais efectivos:
Dr. Miguel Camargo de Sousa Eiró
Dr. Gonçalo Nuno Palha Gaio Picão Caldeira

Vogal Suplente: Dr.ª Marta Isabel Guardalino da Silva Penetra

Revisor Oficial de Contas:
Efectivo: PricewaterhouseCoopers & Associados – SROC, Lda, representada pelo Dr. Abdul Nasser Abdul Sattar ou pela Drª Ana Maria Ávila de Oliveira Lopes Bertão
Suplente: Dr. Jorge Manuel Santos Costa (ROC)

Foi ainda deliberado na mesma assembleia geral aumentar o número de membros do Conselho de Administração de onze para treze e eleger para exercerem funções de administração até ao final do mandato em curso dos restantes titulares dos órgãos sociais os Senhores Dr. José Miguel Pereira Gens Paredes e Dr. Paulo Miguel Garcês Ventura.

Lisboa, 19 de Outubro de 2006 


A Administração

 


 

29 de Setembro de 2006 - COMUNICADO - INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2006

No 1º semestre de 2006, o desempenho do Grupo SEMAPA pode-se considerar globalmente positivo, apesar do contexto macro-económico caracterizado por um crescimento moderado da economia europeia, e pelo fraco dinamismo evidenciado pela economia portuguesa. Os resultados líquidos da Semapa totalizaram cerca de 33,2 milhões de euros, o que traduz um aumento de 59% face ao registado no período homólogo do ano anterior.

Comparabilidade da informação:

Conforme foi oportunamente comunicado ao mercado, a Semapa alienou a participação de 89,9% que detinha do Grupo Enersis no final do ano transacto.

De forma a permitir a comparabilidade de valores e indicadores entre semestres homólogos, apresenta-se, para além da versão que foi originalmente apresentada quando da divulgação dos resultados em 2005, uma versão reexpressa das contas consolidadas do Grupo Semapa no 1º semestre de 2005 que não inclui a consolidação integral do Grupo Enersis estando contudo individualizado o resultado deste Grupo na rubrica “Unidades Operacionais em Descontinuação”. Adicionalmente, inclui ajustamentos decorrentes da alteração nas políticas de contabilização dos direitos de emissão de CO2 e de contratos com locação, que ocorreu no decurso do 1º semestre de 2006.

Quadro de indicadores:

106 euros
   IFRS 
1º Semestre
2006
 Reexpresso
IFRS
1º Semestre
2005
 Var. %
06/05
 Original
IFRS
1º Semestre
2005
 Var. %
06/05
Volume de Vendas 767,3 732,6 5% 751,4 2%
   Outros Proveitos 61,6 65,4 (6%) 42,8 44%
   Unid. Operacionais
em Descontinuação
- 1,8   -  
   Gastos e Perdas (618,1) (602,4) 3% (582,0) 6%
EBITDA Total 210,8 197,4 7% 212,2 (1%)
EBITDA Recorrente* 198,2 179,4 11% 194,2 2%
   Amortizações e perdas
por imparidade
(69,0) (80,0) (14%) (87,6) (21%)
   Provisões (reforços
e reversões)
(13,3) 0,3 (4657%) 0,3 (4657%)
EBIT 128,5 117,7 9% 124,9 3%
   Resultados Financeiros (22,5) (35,7) (37%) (39,9) (44%)
Resultados Antes de Impostos 106,1 82,0 29% 85,0 25%
   Impostos sobre Lucros (41,5) (28,1) 48% (31,0) 34%
Lucros Retidos do Período 64,5 53,9 20% 54,0 19%
   Atribuível a Accionistas
da Semapa
33,2 20,9 59% 20,9 59%
   Atribuível a Interesses
Minoritários
31,3 33,1 (5%) 33,1 (5%)
Cash-Flow 146,8 133,6 10% 141,3 4%
           
Margem EBITDA
(% Vol. Vendas)
27,5% 26,9% 2% 28,2% (3%)
Margem EBIT
(% Vol. Vendas)
16,8% 16,1% 4% 16,6% 1%

 

 

106 euros
   IFRS  
30.06.2006
 Reexpresso
IFRS
31.12.2005
 Var. %  Original
IFRS
31.12.2005
 Var. %
Activo líquido total 3.502,6 3.575,0 (2%) 3.473,6 1%
Dívida líquida 1.192,1 1.222,4 (2%) 1.222,4 (2%)

 

 

Contribuição por segmentos de Negócio:

106 euros
  Cimentos Pasta e Papel Holdings Consolidado
Volume de Vendas 237,8 529,5 - 767,3
EBITDA Total 70,4 149,1 (8,6) 210,8
EBITDA Recorrente 59,8 147,1 (8,6) 198,2
   Amortizações e perdas por imparidade (17,7) (51,2) (0,1) (69,0)
   Provisões (reforços e reversões) (2,0) (11,3) - (13,3)
EBIT 50,7 86,5 (8,7) 128,5
   Resultados Financeiros (0,3) (16,0) (6,2) (22,5)
Resultados Antes de Impostos 50,4 70,5 (14,9) 106,1
   Impostos sobre Lucros (16,3) (25,7) 0,4 (41,5)
Lucros Retidos no Período 34,1 44,9 (14,5) 64,5
   Atribuível à Semapa 17,6 30,1 (14,5) 33,2
   Atribuível a interesses minoritários 16,6 14,8 - 16,8
Cash-Flow 53,8 107,4 (14,4) 146,8
   Margem EBITDA (% Vol. Vendas) 29,6% 28,1%   27,5%
   Margem EBIT (% Vol. Vendas) 21,3% 16,3%   16,8%
Activo líquido total 916,5 2.300,1 286,1 3.502,6
Dívida Líquida 155,8 664,4 371,8 1.192,1

NOTA: Os valores dos indicadores por segmentos de negócio poderão diferir dos apresentados individualmente por cada Grupo, na sequência de ajustamentos de consolidação efectuados;

O goodwill da aquisição das participações na Secil e Portucel Soporcel, e os investimentos financeiros realizados pelas holdings (Semapa SGPS e Sub-holdings instrumentais) são responsáveis pela maior parte do valor do activo líquido das holdings.

Vendas e Prestações de Serviços Consolidados: 767,3 milhões de euros

  • Grupo SECIL (Cimentos)

    Apesar da forte queda da procura de cimento no principal mercado do Grupo - mercado nacional - as vendas acumuladas do Grupo a Junho – 237,8 milhões de euros - contrariaram esta tendência, tendo registado um acréscimo de 5% face ao período homólogo do ano anterior, decorrente fundamentalmente da boa performance das exportações, assim como de alterações do perímetro contabilístico. Refira-se que as vendas em volume de cimento aumentaram cerca de 1%.

  • Grupo PORTUCEL SOPORCEL (Papel e Pasta de Papel)

    As vendas de papel registaram um crescimento de 4,8% face ao período homólogo do ano anterior, decorrente: i) do aumento no volume de vendas, de 2,6%, totalizando cerca de 495 mil toneladas; e ii) da evolução favorável do preço médio de venda de 2,2%.

    As vendas de pasta, em volume, baixaram 3,2% relativamente ao período homólogo anterior, uma vez que, contrariamente ao que sucedeu no ano anterior, todas unidades fabris do Grupo Portucel / Soporcel efectuaram as respectivas paragens anuais programadas de manutenção no semestre em análise; no entanto, na sequência do aumento de 11,3% do preço médio da pasta ocorrido no 1º semestre de 2006 face a idêntico período de 2005, as vendas de pasta, em valor, cresceram 7,7%.

    No 1º semestre de 2006, as vendas consolidadas do Grupo Portucel totalizaram 530 milhões de euros, o que traduz um crescimento de 4,7% face ao período homólogo do ano anterior.

EBITDA consolidado e margem EBITDA: 210,8 milhões de euros milhões de euros de valor total, sendo 198,2 milhões de euros de carácter recorrente, e margem EBITDA total de 27,5%

  • Cimentos: o EBITDA total ascendeu a 70,4 milhões de euros, o que se traduziu numa quebra de 15% face a idêntico período do ano transacto; no entanto, esta rubrica inclui items de natureza não recorrente, nomeadamente ganhos com a alienação de activos não correntes - cerca de 12 milhões de euros em 2006 e de 17 milhões de euros em 2005; expurgando este efeito, obtemos o EBITDA recorrente o qual regista um decréscimo de 8%;
  • Papel e Pasta de Papel: o EBITDA total atingiu 149,1 milhões de euros; margem EBITDA total de 28,1% que se traduziu num crescimento de 4 pontos percentuais entre períodos homólogos;
  • Holdings (SEMAPA SGPS e sub-holdings instrumentais): contribuição negativa de 8,6 milhões de euros, o que reflecte os custos de estrutura suportados.

EBIT Consolidado: 128,5 milhões de euros

  • Cimentos: 50,7 milhões de euros;
  • Papel e Pasta de Papel: 86,5 milhões de euros; este valor inclui 11,3 milhões de euros de reforço de provisões;
  • Holdings: contribuição negativa de 8,7 milhões de euros.

Dívida Líquida: 1.192,1 milhões de euros

O nível de endividamento líquido do Grupo SEMAPA continua a evidenciar uma tendência decrescente, que se traduziu na redução de cerca de 30 milhões de euros face ao nível registado no final do exercício de 2005, o que demonstra a capacidade do Grupo de geração de fundos.

  • Grupo SECIL: a dívida líquida regista um decréscimo de cerca de 40 milhões de euros face aos níveis de 31.12.2005, pese embora o facto do Grupo ter distribuído dividendos no total de 19,5 milhões de euros, no decurso do 1º semestre de 2006;
  • Grupo PORTUCEL SOPORCEL: evidenciou uma redução cerca de 72 milhões de euros desde o final de 2005, o que traduz a forte capacidade de geração de cash flow e a gestão cuidadosa do fundo de maneio deste Grupo. No mês de Maio de 2006, a Portucel procedeu à distribuição de dividendos referentes ao exercício de 2005 no montante de 40,3 milhões de euros;

Resultados Financeiros: -22,5 milhões de euros

Os resultados financeiros evidenciam uma melhoria substancial face ao valor acumulado do 1º semestre de 2005, que se traduziu numa redução de 37%. Para esta evolução concorre essencialmente a redução dos encargos financeiros acumulados até Junho de 2006, os quais já reflectem a redução de 350 milhões de euros do endividamento do Grupo após a venda da participação na Enersis, em Dezembro de 2005.

Resultados Líquidos Consolidados: 33,2 milhões de euros

O Resultado Líquido Consolidado da SEMAPA foi de 33,2 milhões de euros, o que representa um acréscimo de 59% relativamente ao valor do 1º semestre do ano transacto.

Perspectivas para o 2º semestre de 2006 e eventos subsequentes:

Na ausência de alterações significativas no quadro económico das principais economias, não se prevê que o nível de desempenho do Grupo venha a alterar-se significativamente, no decurso do 2º semestre do ano em curso.

Com a publicação do Decreto-Lei 143/2006, de 28 de Julho, o Estado definiu o modelo para a terceira fase de privatização da Empresa, o qual consiste na alienação de acções representativas de até 25,72% do capital social da Portucel. A resolução do Conselho de Ministros nº 112/2006, de 12 de Setembro, fixou as condições finais e de carácter geral relativamente a cada uma das modalidades estabelecidas no Decreto-Lei mencionado anteriormente, encontrando-se ainda por fixar condições específicas.

Lisboa, 29 de Setembro de 2006

A Administração

 


 

29 de Setembro de 2006 - INFORMAÇÃO - ÓRGÃOS SOCIAIS

Informamos que o Senhor Dr. Rafael Caldeira Castel-Branco Valverde, vogal do Conselho Fiscal, e o Senhor Eng. Jorge Manuel de Mira Amaral, secretário da mesa da assembleia geral, renunciaram aos cargos que desempenhavam, em ambos os casos com efeitos a partir do próximo dia 18 de Outubro.

Lisboa, 29 de Setembro de 2006.
O Secretário da Sociedade
Paulo Miguel Garcês Ventura

 


 

12 de Setembro de 2006 - COMUNICADO

ASSEMBLEIA GERAL

CONVOCATÓRIA

Convoco os Senhores Accionistas para reunirem em Assembleia Geral no dia 18 de Outubro do corrente ano, pelas 11 horas, no Hotel Ritz, sito em Lisboa na Rua Rodrigo da Fonseca nº 88, por a sede social não permitir a reunião em condições satisfatórias, com a seguinte ordem de trabalhos:

  1. Deliberar sobre a estrutura da administração e fiscalização da sociedade a adoptar face às recentes alterações ao Código das Sociedades Comerciais aprovadas pelo Decreto-Lei n.º 76-A/2006 de 29 de Março;
  2. Deliberar sobre a alteração do n.º 2 do artigo 2º, do n.º 7 do artigo 9º, do n.º 1 do artigo 11º, do n.º 2 do artigo 14º, dos n.os 3, 4, 5 e 6 do artigo 15º, dos artigos 18º e 19º, e sobre a introdução de um n.º 9 no artigo 9º, um n.º 7 no artigo 15º e um novo artigo 22º, todos do contrato social;
  3. Deliberar, sendo caso disso, sobre a eleição dos membros da Mesa da Assembleia Geral, do Conselho Fiscal e Revisor Oficial de Contas, conforme se revele necessário face ao que for deliberado quanto à estrutura da administração e fiscalização da sociedade e face às vagas que venham a surgir em resultado do novo regime de incompatibilidades e independência que resulta das recentes alterações ao Código das Sociedades Comerciais, e
  4. Deliberar sobre o aumento do número de membros do conselho de administração de onze para treze e proceder à eleição de dois administradores para exercerem funções até ao fim do mandato em curso dos restantes titulares dos órgãos sociais.

Durante os quinze dias anteriores à data da Assembleia serão facultados à consulta dos Senhores Accionistas, na sede social e no sítio da sociedade na internet, os elementos de informação preparatória previstos na lei. A proposta relativa à alteração do contrato social fica desde já disponível.

Requisitos para participação e exercício do direito de voto:

  • Só podem assistir e participar na Assembleia, além dos membros dos Corpos Sociais e do representante comum dos obrigacionistas, os accionistas que possuam o minímo de 385 acções, quantidade a que corresponde um voto, e que até cinco dias antes da data da reunião apresentem documento comprovativo da titularidade das acções e do seu bloqueio até ao termo desta.
  • Podem também assistir à assembleia geral os accionistas que não tendo direito de voto se agrupem até perfazer pelo menos o número mínimo de acções e se façam representar por um dos agrupados.
  • Um accionista só pode fazer-se representar em assembleia geral por cônjuge, ascendente ou descendente, por um membro do conselho de administração ou por outro accionista, salvo os accionistas que forem pessoas colectivas, os quais poderão delegar a sua representação em quem entenderem.
  • Os instrumentos de representação voluntária de accionistas, quer sejam pessoas singulares ou colectivas, deverão ser entregues ao presidente da mesa da assembleia geral até cinco dias antes do dia da reunião.

Os accionistas podem votar por correspondência nos termos do artigo 22º do Código dos Valores Mobiliários, processando-se a voto da seguinte forma:

  • O subscrito contendo as declarações de voto deve ser dirigido ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral e entregue na sede social ou para aí enviado por carta registada com aviso de recepção;
  • Tal subscrito deve dar entrada na sociedade até três dias úteis antes da data da reunião;
  • O mesmo subscrito deve conter (1) as declarações de voto, uma para cada ponto da ordem de trabalhos, em subscrito fechado e independente com a indicação exterior do ponto da ordem de trabalhos a que se destina e (2) Carta dirigida ao Presidente da Mesa, com assinatura notarialmente reconhecida, manifestando a vontade de votar.

 

Lisboa, 8 de Setembro de 2006 


O Presidente da Mesa da Assembleia Geral
(Henrique Reynaud Campos Trocado)

 

 


 

16 de Agosto de 2006 - COMUNICADO

COMUNICADO

OBRIGAÇÕES SEMAPA 98

PAGAMENTO DO CUPÃO Nº 17

Informam-se os titulares de obrigações SEMAPA 98, que se efectuará a partir do próximo dia 09 de Setembro o pagamento de juros referentes ao cupão nº 17, sendo agente pagador principal o 

BANCO PORTUGUÊS DE INVESTIMENTO, S.A.
Valor ilíquido (EUR) 0,00007124
IRC/IRS 0,00001425
Valor líquido (EUR) 0,00005699

Nos termos do regulamento da Central de Valores Mobiliários, o pagamento de juros das obrigações centralizadas será efectuado através daquela Central (Código C.V.M.SEMBOE).

Lisboa, 16 de Agosto de 2006

SEMAPA – SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A.

 


 

13 de Julho de 2006 - COMUNICADO

COMUNICADO

INFORMAÇÃO

A Portucel – Empresa Produtora de Pasta e Papel, S.A., sociedade na qual a Semapa detém uma participação relevante, assinou, ontem, com a Agência Portuguesa para o Investimento quatro contratos de investimento, que têm por objecto a modernização das unidades fabris de Cacia, Figueira da Foz e Setúbal, com alcance de níveis de performance ambiental superiores ao legalmente exigível, bem como a construção de uma nova unidade industrial destinada ao fabrico de papel, localizada em Setúbal, com uma capacidade instalada não inferior a 500.000 toneladas/ ano. Os contratos referentes à modernização da unidade fabril da Figueira da Foz e à construção de nova unidade industrial incluem também, cada um deles, um contrato de concessão de benefícios fiscais e, portanto, apenas entrarão em vigor quando houver a notificação que a Comissão Europeia considerou o incentivo fiscal compatível com o Mercado Comum. O montante total dos incentivos, financeiros e fiscais, ascende a € 175 milhões, estando, todavia, a sua atribuição sujeita à verificação do cumprimento de objectivos contratuais. Em dois daqueles contratos foi também parte a Semapa nos termos do artigo 4,º n.º 1, do DL 203/2003, de 10 de Setembro.

Lisboa, 13 de Julho de 2006

A Administração

 


 

13 de Julho de 2006 - COMUNICADO

COMUNICADO

INFORMAÇÃO PRIVILEGIADA

Na assembleia geral da Portucel – Empresa Produtora de Pasta e Papel, S.A., sociedade na qual a Semapa detém uma participação relevante, foi, hoje, aprovada a alteração de diversos artigos dos estatutos, alterações essas que compreendem designadamente a eliminação de diferentes categorias de acções e a supressão de limitações de direitos de voto. No entanto, quanto a estas alterações em concreto, foi igualmente deliberado nessa assembleia que a entrada em vigor só terá lugar na data do termo do processo de reprivatização daquela sociedade, ou no dia 15 de Novembro de 2006, conforme o que ocorrer em primeiro lugar.

Lisboa, 13 de Julho de 2006

A Administração

 


 

 

 

27 de Junho de 2006 - COMUNICADO

 

 

COMUNICADO

INFORMAÇÃO
SECRETÁRIO DA SOCIEDADE

Informamos que, por deliberação do Conselho de Administração, foi designado Secretário da Sociedade Suplente o Senhor Dr. Rui Tiago Trindade Ramos Gouveia, mantendo-se em funções como Secretário da Sociedade Efectivo o Senhor Dr. Paulo Miguel Garcês Ventura.

Lisboa, 27 de Junho de 2006

O Secretário da Sociedade

Paulo Miguel Garcês Ventura

 


 

26 de Junho de 2006 - COMUNICADO

COMUNICADO

INFORMAÇÃO

Informamos que esta Sociedade contratou um programa de papel comercial até ao montante máximo de 175.000.000€, pelo prazo de 10 anos, junto de um sindicato bancário liderado pelo Banco Espírito Santo de Investimento, S.A. e pela Caixa – Banco de Investimento, S.A.

Com esta operação a Semapa concluiu o processo de reestruturação da sua dívida financeira.

Lisboa, 26 de Junho de 2006

A Administração

 


 

31 de Maio de 2006 - COMUNICADO

COMUNICADO

INFORMAÇÃO AO MERCADO

A SEMAPA - SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A. informa que procedeu, hoje, à emissão de um empréstimo obrigacionista no montante de 50.000.000 euros, por subscrição particular, o qual foi organizado pelo Banco BPI, S.A.

Esta emissão tem um prazo de 10 anos com reembolso numa única prestação e insere-se no programa de reestruturação da dívida financeira da Empresa , no sentido de um aumento significativo da sua maturidade.

Lisboa, 31 de Maio de 2006

A Administração

 


 

30 de Maio de 2006 - COMUNICADO

COMUNICADO

Informação sobre os resultados do primeiro trimestre de 2006

Comparabilidade da informação:

Conforme foi oportunamente comunicado ao mercado, a Semapa alienou a participação de 89,9% que detinha do Grupo Enersis no final do ano transacto.

Apesar da conjuntura económica particularmente difícil que a economia portuguesa está a atravessar, podemos considerar que o desempenho do Grupo SEMAPA, no 1º trimestre de 2006, foi globalmente positivo.

De forma a permitir a comparabilidade de valores e indicadores entre trimestres homólogos, apresenta-se, para além da versão que foi originalmente apresentada quando da divulgação dos resultados em 2005, uma versão reexpressa das contas consolidadas do Grupo Semapa no 1º trimestre de 2005 que não inclui a consolidação integral do Grupo Enersis estando contudo individualizado o resultado deste Grupo na rubrica “Resultado das actividades em descontinuação”.

Quadro de indicadores:

       106Euros
   IFRS 1º Trimestre 2006   Reexpresso IFRS 1ºTrimestre 2005

Var. % 06/05

  Original IFRS 1º Trimestre 2005   Var.06/05
Volume de vendas   373,9 356,1 5% 365,0 2%
  Outros Proveitos   7,3   6,2   18%   6,2   17%
  Resultado das Act. em Descontinuação   -   (1,4)     -  
  Gastos e Perdas   (279,4)   (266,4)   5%   (268,0)   4%
EBITDA Total   101,8   94,5   8%   103,2   (1%)
EBITDA Recorrente   101,8   95,9   6%   103,2   (1%)
  Amortizações e perdas por imparidades   (39,6)   (44,7)   (11%)   (50,2)   (21%)
EBIT   62,2   49,8   25%   52,9   17%
  Resultados Financeiros   (13,3)   (18,5)   (28%)   (21,8)   (39%)
Resultados antes dos Impostos   48,9   31,3   56%   31,1   57%
  Impostos sobre os Lucros   (14,0)   (8,7)   62%   (8,8)   60%
Lucros Retidos do Exercício   34,9   22,6   54%   22,3   56%
  Atribuível a Accionistas da Semapa   18,5    12,0   53%   12,0   53%
  Atribuível a Interesses Minoritários   16,4    10,6   55%   10,3   60%
Cash-Flow   74,5   67,3   11%   72,5   3%
           
Margem EBITDA (%Vol. Vendas)   27,2%    26,5%   3%   28,3%   (4%)
Margem EBIT (% Vol. Vendas)   16,6%    14,0%   19%   14,5%  15%
           

 

 106Euros
   31.03.2006   31.12.2005   Var. %
Activo líquido total
  3.372,2
  3.473,6
(3%)
Dívida Líquida
  1.184,1
1.222,4
(3%)

 

Quadro de indicadores:

  106Euros  
   Cimentos   Papel e Pasta   Holdings   Consolidado
Volume de vendas
  115,4
  258,5
  -
373,9
EBITDA Total
  29,1
76,8
(4,1)
101,8
  Amortizações e perdas por imparidade   
(8,3)
  
(31,2)
  
(0,0)
  
(39,6)
EBIT
  20,7
 45,5
  (4,1)
  62,2
  Resultados Financeiros   
(0,5)
  
(9,2)
  
(3,6)
  
(13,3)
Resultados Antes dos Impostos
  20,3
36,3
(7,7)
48,9
  Impostos sobre Lucros
  (5,8)
  (8,2)
  (0,0)
  (14,0)
Lucros retidos do exercício
  14,5
28,1
(7,7)
34,9
  Atribuível a Accionistas da Semapa
  7,3
  18,9
  (7,7)
  18,5
  Atribuível a Interesses Minoritários
  7,2
  9,2
  -
  16,4
Cash-Flow
  22,8
  59,3
  (7,7)
  74,5

  Margem EBITDA  (% Vol. Vendas)

25,2%

  
29,7%
 
27,2%

  Margem EBIT  (% Vol. Vendas)

18,0%

  
17,6%
 
16,6%

Activo Líquido Total

  
834,3
  
2.225,2
  
312,8
  
3.372,2
Dívida Líquida   
196,9
  
683,9
  
303,4
  
1.184,1

NOTA: Os valores dos indicadores por segmentos de negócio poderão diferir dos apresentados individualmente por cada Grupo, na sequência de ajustamentos de consolidação efectuados.

Vendas e Prestações de Serviços Consolidados:373,9 milhões de euros

q     Grupo SECIL (Cimentos)

Apesar da tendência de queda da procura do cimento no mercado interno (estima-se que o consumo no mercado interno tenha registado uma diminuição de cerca de 6% relativamente ao período homólogo de 2005), as vendas acumuladas a Março, atingiram 115,4 milhões de euros o que representa um crescimento de 9% relativamente ao período homólogo de 2005.

q     Grupo PORTUCEL SOPORCEL (Papel e Pasta de Papel)

No período em análise venderam-se 239,8 mil t de papel, mais 3,8% que em igual período do ano anterior, e 141,3 mil t de pasta de papel, o que traduz um declínio de 11% em termos comparativos. Neste trimestre, verificou-se uma ligeira recuperação nos preços médios de venda do papel em relação à tendência dos últimos meses, os quais, aumentaram cerca de 0,4% face aos preços registados no mesmo período de 2005. Na pasta, o preço de venda médio situou-se 19,4% acima do praticado em período equivalente de 2005.

O volume de negócios do papel e da pasta no 1º trimestre de 2005 cifrou-se em 258,5 milhões de euros, o que traduz um crescimento de 3,3% face ao período homólogo do ano anterior. As vendas nesta área de negócios foram favoravelmente afectadas pelo aumento do volume de vendas de papel e pelo aumento do preço da pasta.

EBITDA Consolidado : 101,8 milhões de euros

q      Cimentos: o EBITDA acumulado ascendeu a 29,1 milhões de euros, o que representa um declínio de 7% face ao mesmo período de 2005;

q      Papel e Pasta de Papel: o EBITDA acumulado atingiu 76,8 milhões de euros, o que se traduziu num crescimento de 17% entre períodos homólogos.

Margem EBITDA Consolidada 27,2%

q      Cimentos: verificou-se uma redução da margem para 25,2%

q      Papel e Pasta de Papel : um crescimento para 29,7%.

EBIT Consolidado: 62,2 milhões de euros

q      Cimentos: 20,7 milhões de euros, 13,8% acima dos valores acumulados até Março de 2005;

q      Papel e Pasta de Papel: 45,5 milhões de euros, acréscimo de 35% face aos valores do 1º trimestre de 2005;

q    Holdings: contribuição negativa de 4,1 milhões de euros.

Dívida Líquida: 1.184,1 milhões de euros

O nível de endividamento líquido do Grupo SEMAPA continua a evidenciar uma tendência decrescente, que se traduziu na redução de cerca de 38,3 milhões de euros face ao nível registado no final do exercício de 2005, o que demonstra a capacidade do Grupo de geração de fundos.

q      Grupo SECILa dívida líquida mantém-se praticamente inalterada face aos níveis de 31.12.2005, pese embora o facto do Grupo ter distribuído dividendos no total de 19,5 milhões de euros, no 1º trimestre de 2006;

q      Grupo PORTUCEL SOPORCELredução 52,3 milhões de euros desde o final de 2005, o que traduz a forte capacidade de geração de cash flow deste Grupo. De referir que, no mês de Maio de 2006, a Portucel procedeu à distribuição de dividendos referentes ao exercício de 2005 no montante de 40,3 milhões de euros;

q    Holdings: o endividamento líquido registou um acréscimo de 13,3 milhões de euros em relação ao final do exercício anterior.

Resultados Líquidos Consolidados: 18,5 milhões de euros

O Resultado Líquido Consolidado antes de interesses minoritários foi de 34,9 milhões de euros, dos quais são atribuíveis aos accionistas da SEMAPA 18,5 milhões de euros, o que representa um acréscimo de 53% relativamente ao valor do 1º trimestre do ano transacto.

Refira-se também que, a Assembleia Geral Anual da sociedade deliberou a distribuição de um dividendo de 42 cêntimos por acção, no total de 49 699 627 euros, a qual foi processada em Abril.

Lisboa, 30 de Maio de 2006

A Administração

 


 

21 de Abril de 2006 - COMUNICADO

COMUNICADO

Informação ao Mercado

A SEMAPA - SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A. informa que procedeu no dia 20 de Abril de 2006 à emissão de um empréstimo obrigacionista no montante de 175 000 000 euros, por subscrição particular.

Esta emissão tem um prazo de 10 anos com reembolso numa única prestação, a ocorrer em Abril de 2016.

O empréstimo obrigacionista destina-se a substituir dívida actual do Grupo SEMAPA e insere-se no programa de reestruturação da dívida financeira da Empresa, no sentido de um aumento significativo da sua maturidade.

A emissão foi liderada pelo Banco Espírito Santo de Investimento, S.A. e pela Caixa – Banco de Investimento, S.A..

A SEMAPA informa ainda que será requerida a admissão à negociação das obrigações ao Eurolist by Euronextda Euronext Lisbon – Sociedade Gestora de Mercados Regulamentados, S.A..

Lisboa, 21 de Abril de 2006

A Administração

 


 

17 de Abril de 2006 - COMUNICADO

COMUNICADO

Divulgação de informação privilegiada

Nos termos do artigo 248º do Código dos Valores Mobiliários, informa-se que os trabalhos da assembleia geral anual, de 17 de Abril de 2006, da Portucel – Empresa Produtora de Pasta e Papel, SA, na qual a Semapa participa em 67,1%, foram suspensos antes do ponto da ordem de trabalhos relativo a alterações a introduzir nos estatutos da Portucel, que, além do mais, prevêem a supressão da limitação dos votos dos accionistas detentores de acções ordinárias. A assembleia designou o dia 13 de Julho para continuação dos seus trabalhos.

Lisboa, 17 de Abril de 2006

A Administração

 


 

10 de Abril de 2006 - COMUNICADO

COMUNICADO

PAGAMENTO DE DIVIDENDOS

Informam-se os Senhores Accionistas que os dividendos relativos ao exercício de 2005, atribuídos por deliberação da Assembleia Geral de 3 de Abril de 2006, serão pagos no dia 27 de Abril, correspondendo o seguinte dividendo a cada acção:

Accionistas

Dividendo Ilíquido  0,420
IRS/ IRC (20%)     0,084
Dividendo Líquido  0,336

Os dividendos serão pagos através da Central de Valores Mobiliários, nos termos do respectivo regulamento. Para efeitos de isenção ou dispensa de retenção na fonte de IRS/ IRC, os Senhores Accionistas devem confirmar a sua caracterização fiscal junto das entidades depositárias das acções.

Lisboa, 10 de Abril de 2006

Semapa – Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A.

O Administrador

Assinatura ilegível

 


 

3 de Abril de 2006 - COMUNICADO

COMUNICADO

DESIGNAÇÃO DOS ÓRGÃOS SOCIAIS

Informamos nos termos da alínea f) do artigo 3º do regulamento da CMVM nº 4/2004 que na assembleia geral da sociedade que teve lugar no dia 3 de Abril de 2006 foram eleitos para o quadriénio que termina em 31-12-2009 os seguintes titulares para os cargos sociais:

Mesa da Assembleia Geral
Presidente – Dr. Henrique Reynaud Campos Trocado
Secretário - Eng. Jorge Manuel de Mira Amaral 

Conselho Fiscal
Presidente

  • PricewaterhouseCoopers & Associados – SROC, Lda, representada pelo Dr. Abdul Nasser Abdul Sattar ou pela Drª Ana Maria Ávila de Oliveira Lopes Bertão

Vogais efectivos

  • Dr. Rafael Caldeira Castel-Branco Valverde
  • Dr. Duarte Nuno D´Orey da Cunha

    Vogal Suplente

    • Dr. Jorge Manuel Santos Costa (ROC)

    Conselho de Administração 

    Presidente

    • Pedro Mendonça de Queiroz Pereira

    Vogais

    • Maria Maude Mendonça de Queiroz Pereira Lagos
    • Eng. Carlos Eduardo Coelho Alves
    • Dr. José Alfredo de Almeida Honório
    • Dr. Francisco José Melo e Castro Guedes
    • Drª Rita Maria Lagos do Amaral Cabral
    • Eng. António da Nóbrega de Sousa da Câmara
    • Dr. António Paiva de Andrada Reis
    • Dr. Carlos Maria Cunha Horta e Costa
    • Dr. Fernando Maria Costa Duarte Ulrich
    • Eng. Joaquim Martins Ferreira do Amaral

    Comissão de Fixação de Vencimentos: 
     

    • Dr. António Mota de Sousa Horta Osório
    • Egon Zehnder, representada por Dr. José Gonçalo Maury
    • Eng. Frederico José da Cunha Mendonça e Meneses

    Lisboa, 3 de Abril de 2006

    O Secretário da Sociedade

    Paulo Miguel Garcês Ventura

     


     

    3 de Abril de 2006 - COMUNICADO

    COMUNICADO

    DELIBERAÇÕES ASSEMBLEIA GERAL

    Informamos que na Assembleia Geral Anual de Accionistas desta sociedade, realizada em 3 de Abril de 2006, foram aprovados os documentos de prestação de contas individuais e consolidadas relativos ao exercício de 2005; foi deliberada a distribuição de um dividendo de 42 cêntimos por acção; foram eleitos os Corpos Sociais para o quadriénio de 2006-2009 e foi aprovada a alteração dos números 5 e 8, do artigo 9º do contrato social no sentido de permitir que a apresentação dos comprovativos de titularidade de acções e dos instrumentos de representação possa ser efectuada até 5 dias antes da data das assembleias gerais.

    Lisboa, 3 de Abril de 2006

    A Administração

     


     

    29 de Março de 2006 - COMUNICADO

    COMUNICADO

    ASSEMBLEIA GERAL PORTUCEL

    A Semapa decidiu não se fazer representar na Assembleia Geral da Portucel convocada para o dia 29 de Março, com vista a possibilitar o prosseguimento das negociações que vem a manter com o Estado sobre as alterações a introduzir nos estatutos da Portucel, negociações que não foi possível concluir até ao dia de hoje, ao contrário do que se esperava.

    Espera a Semapa poder concluir aquelas negociações até à próxima Assembleia Geral da Portucel, já convocada para o próximo dia 17 de Abril.

    Lisboa, 29 de Março de 2006

    A Administração

     


     

    17 de Março de 2006 - INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DE 2005

    INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DE 2005

    Evolução dos negócios em 2005

    No universo do Grupo SEMAPA, 2005 fica marcado pela alienação ao Grupo Babcock & Brown a totalidade da sua participação na subsidiária Enersis II, empresa que operava na área das energias renováveis, por um Enterprise Value de 1,005 biliões de euros, o qual gerou um encaixe para o Grupo de 420,8 milhões de euros e uma mais-valia de 384,6 milhões de euros No seguimento desta decisão, o Grupo concentrou a sua actividade em duas áreas de negócio: os Cimentos e seus Derivados e o Papel e Pasta de Papel. Continuou a apostar na consolidação e reforço da sua posição, orientando a sua actuação para a captura de ganhos de eficiência e produtividade, num contexto macro-económico que não pode ser considerado favorável.

    Principais indicadores económicos-financeiros

     

    Contributo por Segmentos de Negócio       106Euros
       Cimentos   Papel e Pasta

      Energias Renováveis

      Holdings   Consolidado
    Volume de vendas   461   1.029   39   -   1.530
    EBITDA TOTAL   153   261   33   280   727
    EBITDA Recorrente   137   261   33   (4)   427
      Amortizações e perdas por imparidade   (34)   (119)   (16)   (0)   (169)
    EBIT   119   143   17   279   558
      Resultados Financeiros   (4)   (46)   (10)   (39)   (99)
    Resultados Antes de Impostos   114   97   7   241   459
      Impostos sobre Lucros   (31)  (25)   (3)   (0)   (60)
    Lucros retidos do exercício   83   71   4   241   399
      Atribuivel a Accionistas da Semapa   82  71   4   177   334
      Atribuivel a Interesses Minoritários   0  (0)   (0)   64   65
    Cash-Flow   117   190   20   241   568

      Margem EBITDA Recorrente  (% Vol. Vendas)

    29,7%

       25,4% 83,9%  
    27,9%

    Activo Líquido Total

      865   2.299   -   310   3.474
    Dívida Líquida   196   736   -   290   1.222

     

    NOTA: Os valores dos indicadores por segmentos de negócio poderão diferir dos apresentados individualmente por cada Grupo, na sequência de ajustamentos de consolidação efectuados.

    Comparabilidade da informação

    As demonstrações financeiras consolidadas do Grupo SEMAPA de 2005 têm por base as normas internacionais de relato financeiro (IFRS).

    A comparabilidade da informação entre os exercícios de 2004 e 2005 encontra-se profundamente afectada pelas importantes alterações ocorridas no Grupo, nomeadamente:

    o Grupo SECIL: Consolidação de 51% da participação na Secil em 2005 vs. consolidação de 100% de Janeiro a Maio e 51% após Junho (inclusive) em 2004;

    o Grupo PORTUCEL / SOPORCEL: Consolidação integral em 2005 vs. consolidação pelo método da equivalência patrimonial de Junho até Setembro de 2004 e consolidação pelo método integral até ao final desse ano;

    o Grupo ENERSIS: Consolidação integral até Novembro de 2005 , vs. consolidação integral nos 12 meses de 2004.

    Assim sendo, optámos neste comunicado por não apresentar um quadro com os indicadores referentes a 2004.

     

    Dados operacionais(comparação com 2004)

    . Área de negócio Cimentos (Grupo SECIL)

    q      o A produção de cimento atingiu 4.713 mil tons tendo registado um decréscimo de 2% face ao ano anterior fruto essencialmente da conjuntura económica desfavorável.

    . Área de negócio Papel e Pasta de Papel (Grupo PORTUCEL / SOPORCEL)

    q      A produção de pastas brancas aumentou 2%, totalizando 1.279 mil tons;

    q      A produção de papel cresceu 1,5%, situando-se em 997 mil tons.

    Volume de Vendas consolidado: 1.530 milhões de euros

    q      Cimentos: 461 milhões de euros, o que traduz um acréscimo de 3% face a 2004;

    q      Papel e Pasta de Papel: cerca de 1.029 milhões euros, o que representa um crescimento de 5,2%.

    Registe-se também o contributo de 39 milhões de euros da área de negócios das Energias Renováveis.

    EBITDA consolidado e margem EBITDA: 727 milhões de euros de valor total, sendo 427 milhões de euros de carácter recorrente e margem de 28%

    q      Cimentos: 153 milhões de euros, margem de 33%;

    q      Papel e Pasta de Papel : 261 milhões de euros, margem de 25%;

    q      Holdings (SEMAPA SGPS e sub-holdings instrumentais): contribuição de 280 milhões de euros; este valor inclui i) a já referida mais-valia obtida com a venda da área de negócio das Energias Renováveis e ii) o reconhecimento da responsabilidade com serviços passados do fundo de pensões dos Administradores da SEMAPA no montante de 84 milhões de euros.

    * para efeitos de balanço, em 31 de Dezembro de 2005, já não estão incluídos os activos e passivos da Enersis

    As Energias Renováveis contribuíram com 33 milhões de euros para o EBITDA consolidado.

    A margem EBITDA da SECIL aumentou 3% e o EBITDA 16 milhões de euros devido essencialmente ao efeito positivo da incorporação no perímetro de consolidação das Demonstrações Financeiras de novas empresas.

    É de realçar que a PORTUCEL / SOPORCEL aumentou o EBITDA em cerca de 51 milhões de euros e a margem cresceu de 23% para 25% devido essencialmente à obtenção de importantes melhorias de eficiência na actividade do Grupo com especial incidência em aumentos de produtividade, redução de custos, gestão energética manutenção industrial e gestão florestal.

    Dívida líquida: 1.222 milhões de euros

    q      Grupo SEMAPA consolidado: encerrou o período com 1.222 milhões de euros de dívida líquida, o que representa um forte decréscimo face ao valor registado no final do exercício anterior (2.105 milhões de euros) pelas razões que explicamos seguidamente;

    q      Grupo SECIL: 196 milhões de euros, o que traduz uma redução de 6 milhões de euros. Esta evolução, conjuntamente com os investimentos efectuados e o pagamento de dividendos aos accionistas, revela a capacidade de geração de fundos deste Grupo;

    q      Grupo PORTUCEL / SOPORCEL: redução significativa do seu nível de endividamento líquido - 135 milhões de euros - situando-se em cerca de 736 milhões de euros devido à elevada capacidade de geração de cash flow no período (pese embora os dividendos distribuídos), bem como à gestão criteriosa do fundo de maneio;

    q      HOLDINGS: 290 milhões de euros (dívida contraída essencialmente para aquisição do Grupo Portucel/Soporcel) , tendo decrescido aproximadamente 407 milhões de euros, na sequência do encaixe obtido com a venda da Enersis. Adicionalmente refira-se, que a dívida líquida da subsidiária Enersis no final do exercício de 2004 era de 336 milhões de euros, a qual deixou de ser consolidada em Dezembro de 2005.

    Resultados Líquidos

    O Resultado Líquido Consolidado antes de interesses minoritários foi de 399 milhões de euros em 2005 sendo atribuível aos accionistas da SEMAPA o valor de cerca de 334 milhões de euros, que compara favoravelmente com o do ano anterior (189 milhões de euros) e engloba 51% do Resultado Líquido do Grupo SECIL, 67,1% do Resultado Líquido do Grupo PORTUCEL / SOPORCEL e 89,9% do Resultado Líquido do Grupo ENERSIS, este numa base de 11 meses, após efectuados ajustamentos de consolidação com vista, nomeadamente à harmonização de políticas contabilísticas.

    Perspectivas para 2006

    A Sociedade tem como objecto a gestão de participações sociais, e assim sendo a sua evolução está dependente sobretudo da das suas participadas. Salientamos que os resultados do exercício de 2006 dificilmente serão da magnitude dos registados em 2005 tendo em conta, como explicámos atrás, que são provenientes em grande parte das mais valias realizadas com a alienação da Enersis.

    Grupo SECIL

    q      Portugal: perspectiva-se uma tendência de decrescimento em 2006 atendendo às perspectivas gerais do sector da construção;

    q      Tunísia: prevê-se a continuação do abrandamento do mercado verificado em 2005, existindo, contudo, expectativas moderadamente positivas relativamente ao segmento da construção residencial. A evolução das receitas da Société des Ciments de Gabès continua condicionada pela atitude do governo tunisino no que respeita à liberalização dos preços;

    q      Angola: as perspectivas de evolução do mercado do cimento são favoráveis quer ao nível do país quer ao nível da região Sul, que é o mercado natural da Secil-Lobito, dado as expectativas existentes quanto à realização de um vasto conjunto de obras associadas ao processo de reconstrução do país;

    q      Líbano: a previsão para 2006 é de que o mercado poderá crescer tendo em consideração a procura nos mercados próximos, nomeadamente no Iraque e na Síria, e a procura associada a grandes projectos de construção promovidos por investidores árabes. A concretização desse cenário dependerá muito da resolução da actual crise política que afecta a região do Médio Oriente e o país. A possível adesão do Líbano à Organização Mundial do Comércio poderá levar o Governo Libanês a abdicar da imposição de licenças para importação, o que terá, naturalmente, efeitos sobre o mercado interno de cimento.

    Grupo PORTUCEL / SOPORCEL

    q      Na ausência de alterações significativas no quadro económico das principais economias, ou que a actual relação cambial se modifique acentuadamente, não se prevê que o nível de desempenho do Grupo, no horizonte próximo, venha a ser muito diferente do registado em 2005. O Grupo irá continuar a desenvolver políticas com vista à obtenção de melhorias de eficiência da sua actividade.

    q      O Conselho de Administração do Grupo PORTUCEL / SOPORCEL deliberou avançar com o projecto de instalação de uma nova fábrica de papel no seu complexo industrial de Setúbal, com uma capacidade nominal de 500 mil ton/ano, num investimento previsto de cerca de € 490 milhões que permitirá à Empresa reforçar, significativamente, a sua competitividade no mercado de papel, assumindo posição de liderança a nível europeu do mercado de papéis finos não revestidos (UWF). Prevê-se que a nova fábrica inicie a sua produção no segundo semestre de 2008.

    A concretização deste investimento está apenas dependente da formalização de um conjunto de incentivos a contratar com a Agência Portuguesa para o Investimento.

    Lisboa, 17 de Março de 2006

    A Administração

     


     

    24 de Fevereiro de 2006 - COMUNICADO

    Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários, informamos que a Millennium bcp – Gestão de Fundos de Investimentos, S.A., em representação dos fundos mobiliários por si geridos, comunicou a esta sociedade que, em 20 de Fevereiro de 2006, reduziu a sua participação na Semapa para 2.195.527 acções, que correspondem a 1,855% do capital social da Semapa e a 1,899% dos direitos de voto não suspensos.

    Mais fomos informados que esta participação resultou da venda em bolsa de 215.000 acções e que está repartida pelos seguintes fundos:

    Fundo

    Nº acções

    % capital

    % dir. de voto não suspensos

    Millennium PPA

    1.116.157

    0,943%

    0,965%

    Millennium Acções Portugal.

    1.079.370

    0,912%

    0,934%

    Lisboa, 24 de Fevereiro de 2006

    O Secretário da Sociedade

    Paulo Miguel Garcês Ventura

     


     

    23 de Fevereiro de 2006 - COMUNICADO

    COMUNICADO

    Na sequência das notícias vindas hoje a público o Conselho de Administração da Semapa esclarece que não existe qualquer decisão relativamente a uma futura alienação de parte da participação desta Sociedade na Portucel - Empresa Produtora de Pasta e Papel, SA em conjunto com o Estado numa eventual futura fase de privatização, não sendo de excluir, no entanto, a possibilidade de tal vir a suceder.

    Lisboa, 23 de Fevereiro de 2006

    A Administração

     


     

    14 de Fevereiro de 2006 - COMUNICADO

    OBRIGAÇÕES SEMAPA 98
    PAGAMENTO DO CUPÃO Nº 16
    E
    AMORTIZAÇÃO PARCIAL

     

    Informam-se os titulares de obrigações SEMAPA 98, que se efectuará a partir do próximo dia 09 de Março o pagamento de juros referentes ao cupão nº 16, e a amortização parcial, sendo agente pagador principal o

     

    BANCO BPI, S.A.
     
    Valor ilíquido (EUR)
    0,00010188
    IRC / IRS
    0,00002038
    Valor líquido (EUR)
    0,00008150
       
    Amortização
    0,00250000

    Nos termos do regulamento da Central de Valores Mobiliários, o pagamento de juros das obrigações centralizadas será efectuado através daquela Central (Código C.V.M.:SEMBOE)

    Lisboa, 14 de Fevereiro de 2006

    SEMAPA – SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A.

     


     

    10 de Fevereiro de 2006 - COMUNICADO

    COMUNICAÇÃO PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

    Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários informamos que a Caixagest – Técnicas de Gestão de Fundos, S.A., comunicou a esta sociedade que o conjunto de carteiras por si geridas diminuiu a participação na Semapa na sequência da venda em bolsa de 123.188 acções no dia 8 de Fevereiro de 2006, passando assim a deter 2.250.558 acções, correspondentes a 1,9019% do capital social e a 1,9468% dos direitos de voto não suspensos.

    Lisboa, 10 de Fevereiro de 2006.

    O Secretário da Sociedade

    Paulo Miguel Garcês Ventura

     


     

    6 de Fevereiro de 2006 - COMUNICADO

    Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários informamos que o Banco BPI, S.A. comunicou a esta sociedade o seguinte:

    1. A BPI Pensões – Sociedade Gestora de Fundos de Pensões, S.A., adquiriu, para fundos por si geridos, no passado dia 25 de Janeiro de 2006, 79.448 acções representativas do capital social da Semapa.

    2. Em virtude desta aquisição, passaram a ser imputáveis aos Fundos de Pensões geridos pela BPI Pensões – Sociedade Gestora de Fundos de Pensões, S.A., 10.362.388 acções, as quais, somadas às detidas por outras empresas do Grupo BPI, determinam que seja imputável ao Banco BPI, S.A. uma participação qualificada na Semapa correspondente a 10,019% do capital social. Tendo em conta a existência de 2.727.975 acções da Semapa sujeitas ao regime de acções próprias, aquela participação corresponde a 10,256% dos direitos de voto não suspensos, nos termos seguintes:

    Entidade

    Nº acções

    % capital

    % dir. de voto não suspensos

    Banco Português de Investimento, S.A. – carteira própria

    150.680

    0,127%

    0,130%

    BPI Vida - Companhia de Seguros de Vida, S.A.

    105.388

    0,089%

    0,091%

    Fundos de Pensões geridos pela BPI Pensões - Sociedade Gestora de Fundos de Pensões, S.A.

    10.362.388

    8,757%

    8,964%

    Fundos de Investimento geridos pela BPI Fundos – Gestão de Fundos de Investimento Mobiliário, S.A.

    1.237.518

    1,046%

    1,070%

    Soma:

    11.855.974

    10,019%

    10,256%

    Lisboa, 6 de Fevereiro de 2006

    O Secretário da Sociedade

    Paulo Miguel Garcês Ventura

     


     

    26 de Janeiro de 2006 - COMUNICADO

    COMUNICAÇÃO PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

    Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários comunicamos que o Crédit Suisse First Boston International, que agora usa Crédit Suisse International (“CSI”), prestou esclarecimentos sobre a sua participação qualificada na Semapa, complementares àqueles que antes prestou e que deram origem à divulgação da Semapa de 10 de Janeiro de 2006, dos quais resulta que:

    1. Antes da alienação que deu origem à comunicação, a CSI detinha na Semapa uma participação qualificada de 23.259.800 acções correspondentes a 19,66% do capital social e a 20,12% dos direitos de voto não suspensos;
    2. A participação qualificada foi reduzida como resultado de vendas ocorridas em 3 de Janeiro de 2006;
    3. O número total de acções alienadas em 3 de Janeiro foi de 164.000, numa transacção que não teve lugar em mercado regulamentado e resultou de uma operação de “hedging” originada por actividade de clientes, e
    4. No fim do dia 3 de Janeiro de 2006 a CSI detinha na Semapa uma participação de 23.095.800 acções correspondentes a 19,52% do capital social e a 19,98% dos direitos de voto não suspensos

    Lisboa, 25 de Janeiro de 2006.

    O Secretário da Sociedade

    Paulo Miguel Garcês Ventura

     


     

    18 de Janeiro de 2006 - COMUNICADO

    COMUNICAÇÃO PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

    Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários comunicamos que a Caixagest – Técnicas de Gestão de Fundos, S.A. informou esta sociedade de que o conjunto das carteiras por si geridas aumentou a participação na Semapa, na sequência da compra em bolsa de 70.000 acções no dia 12 de Janeiro de 2006, passando assim a deter 2.373.746 acções da Semapa, correspondentes a 2,0060% do capital social e a 2,0533% dos direitos de voto não suspensos.

    Lisboa, 18 de Janeiro de 2006.

    O Secretário da Sociedade

    Paulo Miguel Garcês Ventura

     


     

    10 de Janeiro de 2006 - COMUNICADO

    COMUNICAÇÃO PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

    Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários comunicamos que o Crédit Suisse First Boston International informou esta sociedade de que, através de alienações realizadas a 4 de Janeiro de 2006, e tendo em conta 2.727.975 acções próprias da Semapa, lhe são imputáveis os direitos de voto de 23.095.800 acções da Semapa, detidas directamente por si, correspondendo este número de acções a 19,52% do capital social e a 19,98% dos direitos de voto não suspensos. Esclarece também aquela entidade que se encontra sob o domínio directo do Crédit Suisse e que é uma sociedade integrante do “investment banking business” do Crédit Suisse.

    Lisboa, 10 de Janeiro de 2006.

    O Secretário da Sociedade

    Paulo Miguel Garcês Ventura

     


     

    3 de Janeiro de 2006 - COMUNICADO

    ALTERAÇÃO DE COMPOSIÇÃO DOS ÓRGÃOS SOCIAIS

    Nos termos da alínea f) do artigo 3º do Regulamento CMVM nº 04/2004 informamos que o Senhor Eng.º Gonçalo Allen Serras Pereira cessou o exercício de funções de administrador desta sociedade por renúncia que produziu efeitos no dia 31 de Dezembro de 2005.

    Lisboa, 3 de Janeiro de 2006.

    O Secretário da Sociedade

    Paulo Miguel Garcês Ventura

     


     

    16 de Dezembro de 2005 - FACTO RELEVANTE

    SEMAPA  ALIENA ENERSIS

    Enterprise Value da ENERSIS : cerca de 1, 005 Biliões de Euros

    Em cumprimento do disposto no artigo 248º, do Código dos Valores Mobiliários, torna-se público que a SEMAPA, através da sua subsidiária integral CMP Investments B.V, vendeu, nesta data, a uma sociedade do Grupo Babcock & Brown Ltd., a totalidade da participação social que possuía da ENERSIS II – Sociedade Gestora de Participações Sociais, S.A., representativa de 89,92% do respectivo capital social.
    A transacção teve por base um Enterprise Value da Enersis  de cerca de 1, 005 Biliões de Euros, tendo a Semapa obtido o montante de 420.851.500 euros pela venda da referida participação.
    A compra e venda, em apreço não ficou sujeita a quaisquer condições.

    Lisboa, 16 de Dezembro de 2005

    A Administração

     


     

    28 de Novembro de 2005 - INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DO TERCEIRO TRIMESTRE DE 2005

    INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DO 3 º TRIMESTRE DE 2005

    Principais indicadores económicos-financeiros

     

    Contributo por Segmentos de Negócio       106Euros
       Cimentos   Papel e Pasta

      Energias Renováveis

      Holdings   Consolidado
    Volume de vendas   346   744   29   -   1.119
    EBITDA   122   185   25   (15)   318
      Amortizações   (27)   (85)   (13)   (0)   (125)
      Provisões    -   -   -   -   -
    EBIT   95   100   12   (15)   193
      Resultados Financeiros   (3)   (34)   (8)   (23)   (68)
    Resultados Antes de Impostos   92   67   4   (38)   125
      Impostos sobre Lucros   (28)  (19)   (2)   (0)   (48)
      Interesses Minoritários   (1)   0   0   (47)   (47)
    Resultado Líquido do período   63   48   3   (85)   29
    Cash-Flow   90   133   15   (85)   154

      Margem EBITDA  (% Vol. Vendas)

    35%

       25% 87%  
    28%

    Activo Líquido Total

      846   2.224   571   247   3.887
    Dívida Líquida   202   779   469   697   2.147

     

    NOTA: Os valores dos indicadores por segmentos de negócio poderão diferir dos apresentados individualmente por cada Grupo, na sequência de ajustamentos de consolidação efectuados.

    A contribuição negativa das holdings para o resultado líquido de 85 milhões de euros reflecte essencialmente: i) resultados financeiros de (23) milhões de euros, resultantes fundamentalmente de encargos financeiros com a aquisição da Portucel; e ii) o valor dos interesses minoritários de (47) milhões de euros, o qual reflecte as participações dos minoritários nos negócios: 49% do Grupo SECIL, 32,9% Grupo PORTUCEL / SOPORCEL e 10,1% do Grupo ENERSIS.

    Desempenho do Grupo SEMAPA

    Num contexto caracterizado por uma conjuntura nacional e internacional adversa, considera-se que o desempenho do Grupo SEMAPA, até ao final do 3º trimestre de 2005, evoluiu de forma positivamente favorável. O Grupo tem vindo a alcançar com sucesso a sua estratégia de crescimento, revelando aumentos muito expressivos das principais rubricas operacionais.

    Neste período, destaque para a magnitude do volume de negócios de 1.119 milhões de euros, EBITDA de 318 milhões de euros e Resultado Líquido de 29 milhões de euros.

    Comparabilidade da informação

    A Empresa optou por não reexpressar as demonstrações financeiras do 3º trimestre de 2004 em base IFRS(International Financial Reporting Standards) tendo em conta que a comparabilidade da informação encontra-se afectada pela profunda alteração ocorrida no Grupo Semapa ocorrida no decurso do exercício de 2004 nomeadamente:

    o Realização de mais-valias no decurso do 1º semestre de 2004, resultantes da alienação das participações financeiras minoritárias na SECIL e na CIMPOR já referidas em anteriores comunicados;

    Alienação de cerca de 45% da Secil  em Maio de 2004; a SEMAPA consolidou 100% da participação de Janeiro a Maio e 51% da participação efectiva após Junho, inclusive;

    o Aquisição de 30% da Portucel em Junho de 2004. Até 30 de Setembro desse ano, a PORTUCEL era consolidada pelo método da equivalência patrimonial, e uma vez que o GRUPO aumentou a sua participação de 30% para 67,1% a partir do 4º trimestre de 2004, passou a consolidar a sua participação pelo método integral;

    o O investimento financeiro na ENERSIS era consolidado pelo método da equivalência patrimonial no período homólogo de 2004;

    o Houve aquisições, reforços de posições accionistas e outros movimentos que entretanto ocorreram, designadamente nos Grupos SECIL e ENERSIS.

    O Resultado Líquido Consolidado reportado pela SEMAPA nos primeiros nove meses de 2005, no valor de cerca de 29 milhões de euros, engloba 51% do Resultado Líquido do Grupo SECIL, 67,1% do Resultado Líquido do Grupo PORTUCEL / SOPORCEL e 89,9% do Resultado Líquido do Grupo ENERSIS, após efectuados ajustamentos de consolidação com vista, nomeadamente à harmonização de políticas contabilísticas.

    Apesar do que já foi mencionado relativamente às alterações na estrutura do Grupo Semapa, apresentamos a evolução dos principais indicadores em termos consolidados:

        106Euros
           

       Acumul. 3º trim.

         2005
    IFRS

              2004
    POC

    Volume de vendas   1.119          329
    EBITDA Total   318         90
    EBITDA Recorrente   301         90
      Amortizações e Provisões   (125)        (55)
    EBIT   193        34
      Resultados Financeiros   (68)        (9)
    Resultados Correntes   125       25
      Resultados Extraordinários   -       188
    Resultados Antes de Impostos   125       212
      Impostos sobre Lucros   (48)      (44)
      Intereses Minoritários   (47)      (6)
    Resultado Líquido so período   29      162
    Cash-Flow 
     
      154      218
    Margem EBITDA    28%       27%

     

     

      

      

     

    106Euros

         30.09.2005
    IFRS

       31.12.2004
    IFRS

    Activo Líquido Total   3.887   3.837
    Capitais Própios totais   927   884
    Dívida Líquida     2.147   2.105

     

    Dados operacionais

    . Área de negócio Cimentos (Grupo SECIL)

    q      A produção de cimento atingiu 3.608.000 tons tendo registrado um ligeiro decréscimo de 1% face ao ano anterior.

    . Área de negócio Energias Renováveis (Grupo ENERSIS)

    q      A potência instalada aumentou 85%, de 185 MW para 344 MW, sendo que:

    o        A potência dascentrais hidroeléctricas manteve-se nos 80 MW;

    o        A potência dos parques eólicos mais do que duplicou, passando de 106 MW para 264 MW.

    q      Apesar do aumento da potência instalada em 85%, a produção aumentou 23% para 313 GWh, devido i) às condições climatéricas adversas registadas ao longo deste período em que se verificou uma seca prolongada e ii) a entrada em funcionamento dos novos parques eólicos efectuou-se ao longo do período.

    . Área de negócio Papel e Pasta de Papel (Grupo PORTUCEL / SOPORCEL)

    q      A produção de pastas brancas aumentou 0,5%, totalizando 946,5 mil tons;

    q      A produção de papel decresceu 0,6%, situando-se em 730,4 mil tons.

    Volume de Vendas consolidado: 1.119 milhões deeuros

    q      Cimentos: 346 milhões de euros tendo crescido 5% versus igual período do ano anterior;

    q      Energias Renováveis: 29 milhões de euros, com um incremento de 31% face ao período homólogo pelas razões invocadas anteriormente

    q      Papel e Pasta de Papel: cerca de 744 milhões euros, o que representa um crescimento de 2,6% face a igual período do ano anterior.

    EBITDA consolidado e margem EBITDA: 318 milhões de euros e margem de 27%

    q      Cimentos: 122 milhões de euros, margem de 35%;

    q      Energias Renováveis: 25 milhões de euros, margem de 87%, valores influenciados pelo facto de ter sido efectuada uma prestação de serviços ocasional;

    q      Holdings (SEMAPA SGPS e sub-holdings instrumentais): contribuição negativa de 15 milhões de euros.

    Conforme referido, de acordo com os IFRS, as mais e as menos valias geradas por alienações de participações, são contabilizadas ao nível do EBITDA ao contrário do que sucedia no normativo POC em que eram contabilizadas como resultados extraordinários.

    Saliente-se que nos primeiros nove meses de 2005, dos 318 milhões de euros de EBITDA total, cerca de 301 milhões de euros revestem-se de carácter recorrente.

    Dívida líquida: comparação com o exercício findo em 31 de Dezembro de 2004 - IFRS

    q      Grupo SEMAPA consolidado: encerrou o período com 2.147 milhões de euros de dívida líquida, com um aumento de 42 milhões de euros;

    q      Grupo SECIL: manteve-se no mesmo nível, i.e. 202 milhões de euros. Esta evolução deveu-se essencialmente ao facto do cash flow gerado no período ter sido utilizado para efectuar investimentos e pagar dividendos aos accionistas;

    q      Grupo ENERSIS: aumento de 157 milhões de euros do endividamento líquido, totalizando 469 milhões de euros, devido essencialmente ao elevado montante de investimento efectuado ao longo deste período;

    q      Grupo PORTUCEL / SOPORCEL: redução de 92 milhões de euros cifrando-se em cerca de 779 milhões de euros devido à elevada geração de cash flow no período (pese embora os dividendos distribuídos): 133 milhões de euros

    q      HOLDINGS: 697 milhões de euros (dívida contraída essencialmente para aquisição do Grupo Portucel/ Soporcel), tendo decrescido 23 milhões de euros.

    Resultados Líquidos

    Os resultados líquidos consolidados do período cifraram-se em cerca de 29 milhões de euros, o que reflecte o bom desempenho do Grupo Semapa.

    Lisboa, 28 de Novembro de 2005

    A Administração

     


     

    4 de Novembro de 2005 - COMUNICADO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

    Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários comunicamos que o Credit Suisse First Boston International informou esta sociedade de que:

    • No dia 31 de Outubro de 2005, através de operação de compra e venda realizada fora de bolsa, comprou à Cimpor Portugal SGPS, S.A. 23.600.000 acções da Semapa – Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. (“Semapa”), acções que correspondem a 19,944% do seu capital social e a 20,414% dos seus direitos de voto não suspensos, tendo em atenção a existência de 2.727.975 acções da Semapa sujeitas ao regime de acções próprias.
    • Devem ser imputados ao Credit Suisse First Boston (Europe) Ltd, de acordo com o disposto no artigo 20.º do Código dos Valores Mobiliários, os direitos de voto de 220.387 acções da Semapa, que correspondem a 0,186% do seu capital social e a 0,191% dos seus direitos de voto não suspensos.
    • O Credit Suisse First Boston International e o Credit Suisse First Boston (Europe) Ltd são sociedades integrantes do “investment banking business” do Credit Suisse, sendo que o Credit Suisse First Boston International se encontra sob o domínio directo do Credit Suisse e o Credit Suisse First Boston (Europe) Ltd sob o domínio directo do Credit Suisse First Boston (UK) (International Holdings). Face ao exposto, serão actualmente imputáveis ao Credit Suisse, através do seu “investment banking business”, os direitos de voto de 23.820.387 acções da Semapa, correspondentes a 20,130% do seu capital social e a 20,605% dos seus direitos de voto não suspensos.

    Lisboa, 4 de Novembro de 2005
    O Secretário da Sociedade
    Paulo Miguel Garcês Ventura

     


     

    31 de Outubro de 2005 - COMUNICADO - PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

    Nos termos do artigo 17.º do Código dos Valores Mobiliários comunicamos que a Cimpor Portugal, SGPS, S.A., deu conhecimento a esta sociedade que:

    • A Cimpor Portugal, SGPS, S.A. alienou hoje, fora de bolsa, 23.695.611 acções da SEMAPA - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A., correspondentes a 20,02% do seu capital social e de 20,50% dos seus direitos de voto.
    • A Cimpor Portugal, SGPS, S.A., com sede na Rua Alexandre Herculano, n.º 35, 1250-009 Lisboa, pessoa colectiva n.º 502.400.200, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa sob o n.º 6764, é detida a 100% pela CIMPOR – Cimentos de Portugal, SGPS, S.A..
    • Após esta alienação a Cimpor Portugal, SGPS, S.A., deixou de deter acções da SEMAPA - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A., não sendo hoje imputável à CIMPOR – Cimentos de Portugal, SGPS, S.A. qualquer participação nesta sociedade.

    Lisboa, 31 de Outubro de 2005
    O Secretário da Sociedade
    Paulo Miguel Garcês Ventura

     


     

    12 de Outubro de 2005 - COMUNICADO

    Nos termos do artigo 17º do Código dos Valores Mobiliários comunicamos que o Banco BPI, S.A. deu conhecimento a esta sociedade que:

    1. A BPI Pensões – Sociedade Gestora de Fundos de Pensões, S.A. adquiriu, para fundos por si geridos, no passado dia 6 de Outubro de 2005, 1.043.301 acções representativas do capital social desta sociedade.

    2. Em virtude desta aquisição, os Fundos de Pensões geridos pela BPI Pensões – Sociedade Gestora de Fundos de Pensões, S.A. passam a deter 6.124.319 acções, que determinam que lhe seja imputável, individualmente, uma participação qualificada na Semapa de 5,18% do capital social. Este número de acções indicado pelo Banco BPI, S.A. corresponde a 5,30% dos direitos de voto tendo em atenção a inexistência de 2.727.975 acções da Semapa sujeitas ao regime de acções próprias.

    3. A participação imputável ao Banco BPI, S.A., nos termos do artigo 20º do Código dos Valores Mobiliários, é na presente data a seguinte:

    Entidade

    Nº acções

    % capital

    % dir. de voto não suspensos

    Banco Português de Investimento, S.A. – carteira própria

    160.580

    0,14%

    0,14%

    BPI Vida - Companhia de Seguros de Vida, S.A.

    77.481

    0,07%

    0,07%

    Fundos de Pensões geridos pela BPI Pensões - Sociedade Gestora de Fundos de Pensões, S.A.

    6.124.319

    5,18%

    5,30%

    Fundos de Investimento geridos pela BPI Fundos – Gestão de Fundos de Investimento Mobiliário, S.A.

    1.412.791

    1,19%

    1,22%

    Clientes Institucionais cuja carteira é gerida ao abrigo de gestão discricionária

    87.416

    0,07%

    0,08%

    Clientes particulares cuja carteira é gerida ao abrigo de gestão discricionária

    64.213

    0,05%

    0,06%

    Soma:

    7.926.800

    6,70%

    6,86%

    Lisboa, 12 de Outubro de 2005

    O Secretário da Sociedade

    Paulo Miguel Garcês Ventura

     


     

    30 de Agosto de 2005 - COMUNICADO

    INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DO 1º SEMESTRE DE 2005

     

    A informação financeira consolidada do primeiro semestre de 2005 tem por base os IFRS (International Financial Reporting Standards). A informação relativa ao primeiro semestre de 2004 foi reexpressa, por forma a reflectir a mesma base comparativa.

     

     

    Ainda assim, as demonstrações financeiras referentes ao primeiro semestre de 2005 não são directamente comparáveis com as do período homólogo do ano anterior devido essencialmente:

     

    • À realização de mais-valias, no decurso do 1º semestre de 2004, resultantes da alienação das participações financeiras minoritárias na SECIL e na CIMPOR já referidas em anteriores comunicados;

     

    • Alteração de percentagem detida

     

      • Reajustamento da participação accionista da SECIL, na sequência da venda de 45,125% ao grupo cimenteiro de origem irlandesa CRH em Maio de 2004; deste modo e nesse período, a SEMAPA consolidou 100% da participação de Janeiro a Maio e 51% da participação efectiva em Junho;

     

    • Alteração do método de consolidação

     

      • Em 30 de Junho de 2004, a PORTUCEL era consolidada pelo método da equivalência patrimonial, e uma vez que o GRUPO aumentou a sua participação de 30% para 67,1% no 4º trimestre de 2004, passou a consolidar a sua participação pelo método integral;

     

    • Alteração do perímetro da consolidação

     

      • Decorrente de aquisições, reforços de posições accionistas e outros movimentos que entretanto ocorreram, designadamente nos Grupos SECIL e ENERSIS.

     

    Assim sendo, o Resultado Líquido Consolidado reportado pela SEMAPA no 1º semestre de 2005, no valor de cerca de 21 milhões de euros, incorpora 51% do Resultado Líquido do Grupo SECIL, 67,1% do Resultado Líquido do Grupo PORTUCEL/ SOPORCEL e 89,9% do Resultado Líquido do Grupo ENERSIS.

     

    DESEMPENHO DO GRUPO SEMAPA

     

    Num contexto caracterizado por uma conjuntura nacional e internacional adversa, considera-se que o desempenho do Grupo SEMAPA, no 1º semestre de 2005, foi positivo. O Grupo tem alcançado com sucesso a sua estratégia de crescimento, revelando aumentos muito expressivos das principais rubricas operacionais, com destaque para o EBITDA recorrente que quase triplicou relativamente ao 1º semestre de 2004.

    Conforme já referido, a SEMAPA não consolidou integralmente a sua participação no grupo Portucel no primeiro semestre de 2004. Contudo apresentamos para efeitos comparativos a evolução dos principais indicadores nas várias áreas de negócio:

    Volume de Vendas consolidado : 751 milhões de euros

     

    • Cimentos (Grupo SECIL): 227 milhões de euros, tendo crescido 1,5% versus igual período do ano anterior;

     

    • Energias Renováveis (Grupo ENERSIS): 19 milhões de euros, com um incremento de 8,1% face ao período homólogo; note-se que, apesar do aumento da capacidade instalada de energia eólica em 95 MW, a performance deste semestre reflecte as condições climatéricas anormalmente adversas, tanto no âmbito dos recursos hídricos como nos eólicos;

     

    • Papel e Pasta de Papel (Grupo PORTUCEL/ SOPORCEL): cerca de 506 milhões euros tendo registado um crescimento de 3 milhões de euros face a igual período do ano anterior.

     

    EBITDA consolidado : 212 milhões de euros

     

    • Cimentos: 84 milhões de euros, crescimento de 18%;

     

    • Energias Renováveis: 18 milhões de euros, aumento de 40% influenciado pelo facto de ter sido efectuada uma prestação de serviços ocasional;
      • Decorrente de aquisições, reforços de posições accionistas e outros movimentos que entretanto ocorreram, designadamente nos Grupos SECIL e ENERSIS.

     

    Assim sendo, o Resultado Líquido Consolidado reportado pela SEMAPA no 1º semestre de 2005, no valor de cerca de 21 milhões de euros, incorpora 51% do Resultado Líquido do Grupo SECIL, 67,1% do Resultado Líquido do Grupo PORTUCEL/ SOPORCEL e 89,9% do Resultado Líquido do Grupo ENERSIS.

     

    DESEMPENHO DO GRUPO SEMAPA

     

    Num contexto caracterizado por uma conjuntura nacional e internacional adversa, considera-se que o desempenho do Grupo SEMAPA, no 1º semestre de 2005, foi positivo. O Grupo tem alcançado com sucesso a sua estratégia de crescimento, revelando aumentos muito expressivos das principais rubricas operacionais, com destaque para o EBITDA recorrente que quase triplicou relativamente ao 1º semestre de 2004.

    Conforme já referido, a SEMAPA não consolidou integralmente a sua participação no grupo Portucel no primeiro semestre de 2004. Contudo apresentamos para efeitos comparativos a evolução dos principais indicadores nas várias áreas de negócio:

    Volume de Vendas consolidado : 751 milhões de euros

     

    • Cimentos (Grupo SECIL): 227 milhões de euros, tendo crescido 1,5% versus igual período do ano anterior;

     

    • Energias Renováveis (Grupo ENERSIS): 19 milhões de euros, com um incremento de 8,1% face ao período homólogo; note-se que, apesar do aumento da capacidade instalada de energia eólica em 95 MW, a performance deste semestre reflecte as condições climatéricas anormalmente adversas, tanto no âmbito dos recursos hídricos como nos eólicos;

     

    • Papel e Pasta de Papel (Grupo PORTUCEL/ SOPORCEL): cerca de 506 milhões euros tendo registado um crescimento de 3 milhões de euros face a igual período do ano anterior.

     

    EBITDA consolidado : 212 milhões de euros

     

    • Cimentos: 84 milhões de euros, crescimento de 18%;

     

    • Energias Renováveis: 18 milhões de euros, aumento de 40% influenciado pelo facto de ter sido efectuada uma prestação de serviços ocasional;

     

    • Papel e Pasta de Papel: 120 milhões de euros, acréscimo de 21%;

     

    • Holdings (SEMAPA SGPS e sub-holdings instrumentais): -10 milhões de euros.

     

    De acordo com os IFRS, as mais e as menos valias geradas por alienações de participações, são contabilizadas ao nível do EBITDA ao contrário do que sucedia no normativo POC em que eram contabilizadas como resultados extraordinários.

     

    No 1º semestre de 2004, o EBITDA com carácter recorrente foi de 66 milhões de euros, e o EBITDA total incluía cerca de 147 milhões de euros não recorrentes - essencialmente mais-valias realizadas com a alienação de participações na Secil e na Cimpor anteriormente mencionadas.

     

    Saliente-se que no 1º semestre de 2005, o EBITDArecorrente totalizou 196 milhões de euros, praticamente triplicando face ao período homólogo do ano anterior.

     

    O EBITDA total de 2005 engloba cerca de 16,5 milhões de euros antes de impostos resultantes da contabilização do justo valor de uma dívida do Estado Angolano à Secil em resultado da nacionalização dos activos detidos pela Secil em Angola quando da independência.

     

    Margem EBITDA : 28%

    • Cimentos: Aumentou de 32% para 37%;
    • Energias Renováveis: Passou de 73% para 94% - influência da prestação de serviços ocasional referida anteriormente;
    • Papel e Pasta de Papel: Aumentou de 20% para 24%
    • Papel e Pasta de Papel: 120 milhões de euros, acréscimo de 21%;

     

    • Holdings (SEMAPA SGPS e sub-holdings instrumentais): -10 milhões de euros.

     

    De acordo com os IFRS, as mais e as menos valias geradas por alienações de participações, são contabilizadas ao nível do EBITDA ao contrário do que sucedia no normativo POC em que eram contabilizadas como resultados extraordinários.

     

    No 1º semestre de 2004, o EBITDA com carácter recorrente foi de 66 milhões de euros, e o EBITDA total incluía cerca de 147 milhões de euros não recorrentes - essencialmente mais-valias realizadas com a alienação de participações na Secil e na Cimpor anteriormente mencionadas.

     

    Saliente-se que no 1º semestre de 2005, o EBITDArecorrente totalizou 196 milhões de euros, praticamente triplicando face ao período homólogo do ano anterior.

     

    O EBITDA total de 2005 engloba cerca de 16,5 milhões de euros antes de impostos resultantes da contabilização do justo valor de uma dívida do Estado Angolano à Secil em resultado da nacionalização dos activos detidos pela Secil em Angola quando da independência.

     

    Margem EBITDA : 28%

    • Cimentos: Aumentou de 32% para 37%;

     

    • Energias Renováveis: Passou de 73% para 94% - influência da prestação de serviços ocasional referida anteriormente;

     

    • Papel e Pasta de Papel: Aumentou de 20% para 24%.

     

    Dívida líquida (comparação com o exercício findo em 31 de Dezembro de 2004)

     

    • Grupo SEMAPA consolidado: encerrou o período com 2.147 milhões de euros de dívida líquida, com um aumento de 42 milhões de euros;

     

    • Grupo SECIL: redução de 13 milhões de euros, encerrando o 1º semestre de 2005 em 189 milhões de euros;

     

    • Grupo ENERSIS: aumento de 110 milhões de euros do endividamento líquido, totalizando 445 milhões de euros, devido essencialmente ao investimento efectuado ao longo deste período no montante de 136 milhões de euros;

     

    • Grupo PORTUCEL/ SOPORCEL: decréscimo de 49 milhões de euros cifrando-se em cerca de 822 milhões de euros; saliente-se ainda que a Portucel procedeu à distribuição de dividendos no período no valor de 28,5 milhões de euros;

     

    • HOLDINGS: 690 milhões de euros (dívida contraída essencialmente para aquisição do Grupo PORTUCEL/ SOPORCEL), tendo decrescido 7 milhões de euros.

     

    Dados operacionais

    . Área de negócio Cimentos

    • A produção de clinquer atingiu 1.939.000 tons tendo registado um ligeiro decréscimo face ao ano anterior.

    . Área de negócio Energias Renováveis

     

    • A potência instalada aumentou 54%, de 176 MW para 271 MW , sendo que:
      • A potência das centrais hidroeléctricas manteve-se sem alteração nos 80 MW;
      • A potência dos parques eólicos praticamente duplicou, passando de 96 MW para 191 MW;
    • A produção manteve-se praticamente inalterada nos 207 GWh devido às condições climatéricas adversas registadas ao longo deste semestre.

     

     

    . Área de negócio Papel e Pasta de Papel

     

    • A produção de pastas brancas aumentou 1,3%, totalizando 623,6 mil tons;

      Dívida líquida (comparação com o exercício findo em 31 de Dezembro de 2004)

       

      • Grupo SEMAPA consolidado: encerrou o período com 2.147 milhões de euros de dívida líquida, com um aumento de 42 milhões de euros;

       

      • Grupo SECIL: redução de 13 milhões de euros, encerrando o 1º semestre de 2005 em 189 milhões de euros;

       

      • Grupo ENERSIS: aumento de 110 milhões de euros do endividamento líquido, totalizando 445 milhões de euros, devido essencialmente ao investimento efectuado ao longo deste período no montante de 136 milhões de euros;

       

      • Grupo PORTUCEL/ SOPORCEL: decréscimo de 49 milhões de euros cifrando-se em cerca de 822 milhões de euros; saliente-se ainda que a Portucel procedeu à distribuição de dividendos no período no valor de 28,5 milhões de euros;

       

      • HOLDINGS: 690 milhões de euros (dívida contraída essencialmente para aquisição do Grupo PORTUCEL/ SOPORCEL), tendo decrescido 7 milhões de euros.

       

      Dados operacionais

      . Área de negócio Cimentos

      • A produção de clinquer atingiu 1.939.000 tons tendo registado um ligeiro decréscimo face ao ano anterior.

      . Área de negócio Energias Renováveis

       

      • A potência instalada aumentou 54%, de 176 MW para 271 MW , sendo que:
        • A potência das centrais hidroeléctricas manteve-se sem alteração nos 80 MW;
        • A potência dos parques eólicos praticamente duplicou, passando de 96 MW para 191 MW;
      • A produção manteve-se praticamente inalterada nos 207 GWh devido às condições climatéricas adversas registadas ao longo deste semestre.

       

      . Área de negócio Papel e Pasta de Papel

       

      • A produção de pastas brancas aumentou 1,3%, totalizando 623,6 mil tons;
      • A produção de papel cresceu 0,6%, situando-se em 490,2 mil tons.
    106Euros
    Principais Indicadores Económico-Financeiros
      1º Semestre
         2004    2005
    Volume de vendas   751 241
    EBITDA   212 213
    Amortizações   (88)   (19)
    Provisões   - -
    EBIT 125   194
    Resultados Financeiros  (40) (8)
    Resultados Antes de Impostos  85   186
    Impostos sobre Lucros   (31) (54)
    Interesses Minoritários  (33) 4
    Resultado Líquido do período   21   136
    Cash Flow 
     
      109 155
    EBITDA Recorrente 196 66

     

    A diferença de valores dos EBITDA totais e recorrentes de 2004, resultam essencialmente das mais-valias obtidas nas alienações das participações na Secil e na Cimpor.

     

    A aquisição de 37,1% de acções da PORTUCEL no 4º trimestre de 2004 e a consequente contabilização desta participação pelo método da consolidação integral - tal como referido na primeira parte deste comunicado - é responsável, em grande parte, pela variação de magnitude das rubricas Volume de Vendas, EBITDA recorrente e Amortizações.

    As variações das restantes rubricas já decorrem deste efeito, e da própria actividade das sociedades.

      106Euros
        30.06.2005    31.12.2004
    Activo Líquido total
    3.861
    3.837
    Capitais Próprios totais
    915
    884
    Dívida Líquida
    2.147
    2.105

    Seguidamente apresenta-se um quadro com o contributo por segmentos de negócio.

    Note-se que os valores dos indicadores por segmentos de negócio poderão diferir dos apresentados individualmente por cada Grupo, na sequência de ajustamentos de consolidação efectuados.

    Principais Indicadores Económico-Financeiros      106Euros
       Cimentos
    Pasta e Papel

       Energias Renováveis

    Holdings
      Consolidado
    Volume de vendas
    227
    506
    19
      -
    751
    EBITDA total
    84
    120
    18
     (10)
    212
    Amortizações
    (20)
    (58)
      (9)  (0)
    (88)
    Provisões
    -
    -
    -
    -
    -
    EBIT
    64
    62
    9
    (10)
    125
    Resultados Financeiros
    (3)
    (16)
    (5)
    (15)
    (40)
    Resultados Antes de Impostos
    61
    46
    4
    (25)
    85
    Impostos sobre Lucros
    (14)
    (16)
    (2)
    (0)
    (31)
    Interesses Minoritários
    (0)
    0
    0
    (33)
    (33)
    Resultado Líquido do período
    47
    30
    2
    (58)
    21
    Cash Flow 
     
    67
    88
    11
    (58)
    109
    Margem EBITDA(% Vol. Vendas)
    37%
    24%
    94%
     
    28%
               
    Activo Líquido Total
    830
    2.255
    540
    236
    3.861
    Dívida Líquida
    189
    822
    445
    690
    2.147

     

    O valor dos interesses minoritários registado nas holdings de (33) milhões de euros reflecte as participações dos minoritários nos negócios de 49% do Grupo SECIL, 32,9% do Grupo PORTUCEL/ SOPORCEL e 10,1% do Grupo ENERSIS.

     

    Lisboa, 30 de Setembro de 2005

    A Administração

     


     

     

    23 de Agosto de 2005 - COMUNICADO

     

    OBRIGAÇÕES SEMAPA 98
    PAGAMENTO DO CUPÃO Nº 15

     

    Informam-se os titulares de obrigações SEMAPA 98, que se efectuará a partir do próximo dia 09 de Setembro o pagamento de juros referentes ao cupão nº 15, sendo agente pagador principal o

     

     
    Valor ilíquido (EUR)
    IRC / IRS
    Valor líquido (EUR)

    Nos termos do regulamento da Central de Valores Mobiliários, o pagamento de juros das obrigações centralizadas será efectuado através daquela Central (Código C.V.M.:SEMBOE)

    Lisboa, 23 de Agosto de 2005

    SEMAPA – SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A.

     


     

     

    10 de Agosto de 2005 - COMUNICADO

     

    ALTERAÇÃO DE COMPOSIÇÃO DOS ÓRGÃOS SOCIAIS

     

    Informamos nos termos da alínea f) do artigo 3º do Regulamento da CMVM nº 04/2004 que a sociedade Belarmino Martins, Eugénio Ferreira e Associados, Sociedade de Revisores Oficiais de Contas, Lda, representada pelo Senhor Dr. Abdul Nasser Abdul Sattar, que exercia as funções de Presidente do Conselho Fiscal, e o Senhor Dr. António Alberto Henrique Assis, suplente do Conselho Fiscal, renunciaram aos respectivos cargos no dia 29 de Julho de 2005, e que a Mesa da Assembleia Geral da sociedade designou no dia 8 de Agosto de 2005, nos termos do artigo 50º do DL 487/99 de 16 de Novembro, para Revisor Oficial de Contas efectivo a sociedade PricewaterhouseCoopers & Associados – Sociedade de Revisores Oficiais de Contas, Lda, inscrita na Ordem dos revisores Oficiais de contas sob o número 183, representada pelo Senhor Dr. Abdul Nasser Abdul Sattar, Revisor Oficial de Contas nº 958, ou pela Senhora Drª Ana Maria Ávila de Oliveira Lopes Bertão, Revisora Oficial de Contas nº 902, e para suplente o Senhor Dr. Jorge Manuel Santos Costa, Revisor Oficial de Contas nº 847, designações estas que nos termos da citada disposição serão submetidas a ratificação na próxima assembleia geral da sociedade.

     

    Lisboa, 10 de Agosto de 2005

    O Secretário da Sociedade

    Paulo Miguel Garcês Ventura

     


     

     

    4 de Julho de 2005 - COMUNICADO

     

    ALTERAÇÃO DE COMPOSIÇÃO DOS ÓRGÃOS SOCIAIS

     

    Nos termos da alínea f) do artigo 3º do Regulamento CMVM nº 04/2004 informamos que o Senhor Dr. Paulo Jorge Barreto de Carvalho Ventura cessou o exercício de funções de administrador desta sociedade por renúncia que produziu efeitos no dia 30 de Junho de 2005.

     

    Lisboa, 4 de Julho de 2005

    O Secretário da Sociedade

    Paulo Miguel Garcês Ventura

     


     

     

    30 de Maio de 2005 - FACTO RELEVANTE

     

    PRINCIPAIS IMPACTOS DA TRANSIÇÃO PARA AS IFRS NOS CAPITAIS PRÓPRIOS E NOS RESULTADOS LÍQUIDOS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004

    Conforme o Regulamento do Parlamento Europeu e do Conselho nº 1606/2002 de 19 de Julho, as demonstrações financeiras consolidadas do exercício a findar em 31 de Dezembro de 2005 serão apresentadas de acordo com as Normas Internacionais de Relato Financeiro (IFRS´s) adoptadas pela União Europeia e aplicáveis nessa data.

    A preparação das demonstrações financeiras de 2005 de acordo com o novo normativo resultou num conjunto de ajustamentos às demonstrações financeiras publicadas no exercício findo em 31 de Dezembro de 2004, preparadas de acordo com os princípios contabilísticos geralmente aceites em Portugal :

    - Capitais próprios aumentam 535 milhões de euros, dos quais 14 milhões de euros são atribuíveis ao Grupo SEMAPA, e 521 milhões de euros atribuíveis a Minoritários.

    - Resultados Líquidos aumentam 3 milhões de euros, correspondentes a 3,4 milhões de euros atribuíveis ao Grupo Semapa e (0,4) atribuíveis a minoritários.

     

    A informação apresentada neste comunicado deverá ser entendida como preliminar, uma vez que não foi auditada , podendo portanto não reflectir todas as possíveis alterações devido à introdução das IFRS´s, mas apenas as identificadas à data.

    Adicionalmente refira-se que a informação e os correspondentes ajustamentos foram elaborados com base em políticas contabilísticas definidas em conformidade com as IFRS´s em vigor em 31 de Dezembro de 2004, as quais poderão ainda registar alterações até à data de divulgação do primeiro conjunto completo de demonstrações financeiras em IFRS (compreendendo um balanço, uma demonstração de resultados, uma demonstração das alterações nos capitais próprios, uma demonstração dos fluxos de caixa, juntamente com informação comparativa, políticas contabilísticas e notas explicativas).

     

    BASES DE APRESENTAÇÃO

    Os impactos nos capitais próprios apresentados de seguida, líquidos de impostos e excluindo interesses minoritários, foram determinados de acordo com a IFRS 1 – Adopção pela primeira vez das Normas Internacionais de Relato Financeiro, a qual permite às entidades que apresentem pela primeira vez um conjunto completo de demonstrações financeiras em IFRS, certas isenções e excepções à aplicação retrospectiva de outras IFRS´s, em face do que foram tomadas as seguintes opções:

    Concentrações de Actividades Empresariais

    O Grupo Semapa optou por não alterar a relevação contabilística das aquisições efectuadas anteriormente à data de transição para os IFRS´s (1 de Janeiro de 2004), pelo que não procedeu a qualquer alteração ao valor líquido contabilístico dos activos e passivos identificados na data da aquisição e relevados pelo seu justo valor, nem do excesso do valor pago face a esses valores (goodwill), excepto os que resultem da aplicação das IAS 36 – Imparidade de Activos e IAS 21 – Os efeitos de alterações em Taxas de Câmbio à data da transição.

    Justo Valor ou Revalorização como custo considerado

    O Grupo Semapa optou por continuar a relatar os seus activos fixos tangíveis e intangíveis ao seu custo histórico reavaliado com base nos diplomas legais aplicáveis em Portugal, o qual constituirá o seu “deemed cost” ou custo depreciado para futuro, declinando assim a possibilidade de proceder em IFRS´s à revalorização destes activos ao seu justo valor à data da transição com o consequente aumento dos seus capitais próprios.

    Benefícios dos Empregados

    O Grupo Semapa optou por não adoptar o método do “corridor”, segundo o qual só são reconhecidos em resultados os desvios actuariais na parte em que excedam 10% do valor das responsabilidades ou dos activos, conforme o que for maior . Em conformidade com a opção tomada, e para efeitos da determinação dos justos valores dos activos e passivos adquiridos e do goodwill gerado na aquisição da Portucel, foi harmonizado o procedimento do Grupo Portucel/Soporcel com o da Semapa, anulando-se as perdas actuariais acumuladas ainda não reconhecidas em resultados.

    Diferenças de Transposição Cumulativas

    O Grupo Semapa optou por transferir para resultados transitados o valor acumulado, à data da transição, da Reserva de Conversão Cambial, após a actualização para a taxa de câmbio de fecho do Goodwill e dos Justos Valores dos activos e passivos de subsidiárias em moeda estrangeira adquiridos em concentrações empresariais. De salientar que esta decisão não tem qualquer impacto nos capitais próprios reportados.

    Aplicação da IAS 32 e IAS 39

    De acordo com a isenção prevista na IFRS 1, a adopção das IAS acima referidas podia ser diferida para o exercício com início em Janeiro de 2005, sem necessidade de apresentação de comparativos.

    O Grupo SEMAPA não utilizou esta isenção, tendo aplicado a IAS 32 e IAS 39 com efeitos a partir de 1 de Janeiro de 2004, sendo que os principais efeitos desta adopção são a valorização ao justo valor de títulos negociáveis e de instrumentos financeiros derivados (relativos a cobertura de taxa de juro e de câmbio) e a utilização do método da taxa efectiva para os passivos financeiros.

    As restantes isenções previstas na IFRS 1, designadamente as relativas a instrumentos financeiros compostos, activos e passivos de subsidiárias, associadas e empreendimentos conjuntos, a designação de instrumentos financeiros previamente reconhecidos, transacções de pagamento com base em acções, e contratos de seguro não eram aplicáveis ao Grupo Semapa na data da transição.

    QUANTIFICAÇÃO DOS IMPACTOS

    Apresenta-se de seguida a reconciliação dos capitais próprios consolidados do Grupo Semapa à data de transição para as IFRS´s (1 de Janeiro de 2004) e à data de encerramento do exercício findo em 31 de Dezembro de 2004 de acordo com as Normas Internacionais de Relato Financeiro face aos divulgados ao mercado de acordo com os princípios contabilísticos geralmente aceites em Portugal, identificando os principais ajustamentos materialmente relevantes de forma agregada:

    Milhares de euros

    Impactos líquidos de impostos diferidos
    Capitais próprios 2004/12/31
    R. Líquidos

    Exercício 2004

    Capitais próprios 2004/01/01
    POC (sem considerar Int Minoritários)
    384.425
    182.074
    237.625
    Justo valor de títulos negociáveis
    0
    (11.116)
     
    21.797
    Alteração de método de amortização dos activos fixos tangíveis
    905
    (6.594)
    12.208
    Desreconhecimento de activos e passivos
    (2.197)
    (3.710)
    (467)
    Gratificações de balanço
    (11.450)
    (9.100 )
    (2.235)
    Consolidação de entidades excluídas
    (1.390)
    (38)
    (2.666)
    Imparidade do Goodwill
    (1.179)
    6.917
    (15.876)
    Alterações de câmbio no Goodwill e Justo valor de subsidiárias estrangeiras
    829
    (916)
    (29563)
    Descontinuidade da amortização do goodwill
    27.989
    27.998
     
    0
    IFRS
    397.932
    185.514
    220.823
    Efeito dos ajustamentos para o Grupo
    13.507
    3.440
    (16.802)
    Interesses Minoritários
    521.181
    14.288
    13.092
    Capitais próprios e Res. Líquidos
    919.113
    199.802
    233.915

     

    DESCRIÇÃO DOS IMPACTOS

    Por fim apresentam-se de forma descritiva as principais diferenças entre as IFRS´s e os princípios contabilísticos geralmente aceites em Portugal, sendo certo que algumas das diferenças assinaladas (quando compatíveis com os princípios de contabilidade geralmente aceites em Portugal) foram adoptadas antecipadamente pelo Grupo Semapa no decurso do exercício de 2004 ou os activos que as originavam foram alienados. É o caso da alteração do método de amortização dos activos fixos tangíveis, imparidade do goodwill e alterações de câmbio no goodwill e justo valor de subsidiárias estrangeiras, conforme demonstrações financeiras de 2004 publicadas:

    Justo valor de títulos negociáveis/Instrumentos derivados

    As participações em empresas (essencialmente Cimpor) em que o Grupo Semapa não exerce (ou exercia, se já alienadas) controlo classificadas como títulos negociáveis foram registadas ao seu justo valor (cotação de mercado ainda que superior ao custo de aquisição), com impacto positivo nos capitais próprios já que se encontravam contabilizadas ao menor do preço de custo ou de mercado.

    Adicionalmente, foram registados ao Justo Valor os instrumentos derivados utilizados para cobertura de risco de taxa de juro e de câmbio, por contrapartida de resultados transitados na abertura e resultado líquido de 2004, uma vez que se consideraram não reunir as condições necessárias para serem classificados como de cobertura.

    Método de amortização dos activos fixos tangíveis

    À data de transição para as IFRS, foi revisto o método das quotas degressivas que até aí vinha sendo aplicado para determinadas categorias de activos fixos tangíveis, passando a ser adoptado o método das quotas constantes.

    Desreconhecimento de activos e passivos

    De acordo com as IFRS´s não qualificam como activos e passivos determinados activos e passivos como tal considerados nas demonstrações financeiras preparadas nas normas locais, designadamente activos intangíveis, como despesas de constituição e de investigação e desenvolvimentos, custos diferidos como despesas de conservação e reparação e encargos de financiamentos, bem como proveitos diferidos como “badwill”, os quais devem ser levados - no exercício em que ocorram - directamente a resultados do exercício ou deduzidos ás componentes de capital próprio e passivo a que respeitam, pelo foram abatidos ao balanço tais activos e passivos.

    Consolidação de entidades excluídas

    Ao contrário das normas nacionais as IFRS´s não prevêem a dispensa de consolidação de entidades dominadas que prossigam objecto diverso (Enersis, com impactos relevantes no aumento dos activos e passivos consolidados) ou por existirem restrições que podem prejudicar a transferência de fundos para o Grupo Semapa (Tecnosecil em Angola), pelo que foram consolidadas pela primeira vez as entidades referidas.

     

    Alterações de câmbio no Goodwill e Justo valor de subsidiárias estrangeiras

    De acordo com a IAS 21 – Os efeitos de alterações em taxas de câmbio o goodwill e os justos valores dos activos e passivos adquiridos em resultados de concentração de actividades empresariais ocorridas com subsidiárias estrangeiras devem ser tratados como activos da sociedade adquirida e expressos na respectiva moeda local e como tal convertidas para euros, à data de encerramento de cada exercício, sendo as correspondentes diferenças cambiais registadas em conta apropriada de capitais próprios, pelo foram ajustados os valores do goodwill e justo valor relativos a subsidiárias estrangeiras do Grupo Semapa.

     

    Gratificações de balanço

    As gratificações de balanço aprovadas pelos accionistas em Assembleia Geral de aprovação de contas e de aplicação de resultados são relevadas como reduções aos capitais próprios no exercício seguinte aquele a que respeitam os serviços prestados pela Administração e pelos colaboradores das empresas, devendo de acordo com as IFRS´s serem registadas como custos dos exercícios a que respeitam os serviços prestados através da constituição da correspondente provisão, pelo que foram ajustados os resultados do exercício de 2004 e os capitais próprios às datas de 31 de Dezembro de 2003 e 2004.

    Descontinuidade da Amortização do Goodwill

    De acordo com a IFRS 3, o goodwill resultante de concentrações de actividades empresariais deixa de ser objecto de amortização linear, conforme previsto nas normas nacionais, passando a ser sujeito a testes de imparidade, com periodicidade anual ou sempre que existam sinais de imparidade, conforme IAS 36 – Imparidade de Activos, pelo que foram ajustados os resultados do exercício de 2004 e os capitais próprios à data de 31 de Dezembro de 2004.


    Interesses minoritários

    Os interesses minoritários nas demonstrações financeiras preparadas de acordo com as IFRS´s são considerados como uma componente dos capitais próprios ao contrário do entendimento face às normas nacionais em que é considerado como uma categoria intermédia entre os capitais próprios e o passivo, pelo que foram reclassificados os interesses minoritários para capitais próprios.

    OUTRAS DIVERGÊNCIAS

    Existem ainda outras divergências face às normas nacionais que resultam tão somente numa reclassificação de activos, de passivos ou de componentes dos custos e proveitos pelo que nos dispensamos de as reportar por as entendermos não relevantes para os investidores e outros utilizadores das demonstrações financeiras.

    Lisboa, 30 de Maio de 2005

    A Administração

     


     

     

    30 de Maio de 2005 - COMUNICADO

     

    INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2005

     

    As demonstrações financeiras referentes ao primeiro trimestre de 2005 não são directamente comparáveis com as de igual período de 2004 devido essencialmente a:

     

     

     

    Assim sendo o Resultado Líquido Consolidado reportado pela SEMAPA no 1º trimestre de 2005, incorpora 51% do Resultado Líquido da SECIL, 67,1% do Resultado Líquido da PORTUCEL e 89,9% do Resultado Líquido da ENERSIS II. Salientamos que atingiu o valor de cerca de 12 milhões de euros (IFRS), enquanto que o Cash Flow, por sua vez, cresceu cerca de 114% para 62,2 milhões de euros.

    O desempenho do Grupo, no 1º trimestre, é globalmente positivo e os indicadores denotam crescimentos acentuados relativamente a igual período do ano anterior.

     

     

     

    Vendas e Prestações de Serviços consolidadas: 365 milhões de euros

     

     

     

     

     

    EBITDA consolidado: 103 milhões de euros

     

     

     

     

     

    Margem EBITDA: 28%

     

     

     

     

     

     

     

    Dívida líquida - comparação com o exercício findo em 31 de Dezembro de 2004:

     

     

     

     

     

     

     

    Produção

    . Área de negócio Cimentos:

     

     

     

     

     

     

    . Área de negócio Energias Renováveis

     

     

     

     

     

     

    . Área de negócio Papel e Pasta de Papel:

     

     

     

     

    Seguidamente apresentam-se os principais indicadores económico – financeiros os quais conforme referido anteriormente, não são comparáveis com os de igual período do ano anterior.

     

     

    Principais Indicadores Económico-Financeiros      106Euros
         2003    2004

       2004 Não Auditados
    Pró Forma

       1º Trim. 2005
    POC
       1º Trim. 2005
    IFRS
    Volume de vendas   418   700   1.427   107   365
    EBITDA   120   170   334   31   103
    Amortizações e Provisões   62   70   147   14   50
    Amortizações de Goodwill   17   40   53   4   
    EBIT   41   60   134   14   53
    Resultados Financeiros   -3   -28   -54   -2   -22
    Resultados Correntes   38   32   80   12   31
    Resultados Extraordinários   23   196   202   4   
    Resultados Antes de Impostos   61   228   282   16   31
    Impostos   20   31   53   4   9
    Interesses Minoritários   0   15   26   0   10
    Resultados Líquidos   40   182   203   12   12
    Cash Flow 
     
      120   292   403   29   62
    Activo Líquido Total   1.225   3.382   3.390   1.166   3.665
    Capitais Próprios   238   384   386   249   923
    Dívida Líquida   461   1.791   1.791   455   2.050
                     
    Margem EBITDA 29% 24% 23% 29%  

     

     

    * 2004 Não auditados pró-forma: Consolidação pelo método integral da Portucel/Soporcel nos 12 meses de 2004.
    Note-se que a Semapa adquiriu em 2004 do Grupo Portucel/Soporcel: 30% em Junho, 30% em Outubro e 7,1% em Novembro.

     

    1º trimestre de 2005 - IFRS
    Principais Indicadores Económico-Financeiros por Empresa      106Euros
         Secil    Portucel    Enersis    Consolidado
    Volume de vendas   106   250   9   365
    EBITDA   32   66   5   103
    Amortizações e Provisões   15   32   4   50
    EBIT   17   34   2   53
    Resultados Financeiros   0   -11   -3   -22
    Resultados Correntes   17   23   -2   31
    Resultados Extraordinários   1      0   
    Resultados Antes de Impostos   18   23   -2   31
    Impostos   6   7   0   9
    Interesses Minoritários   -1      0   10
    Resultados Líquidos   13   16   -1   12
    Cash Flow 
     
      28   48   2   62
    Activo Líquido Total   793   2.225   428   3.665
    Capitais Próprios   350   1.059   28   923
    Dívida Líquida   199   844   310   2.050
               
    Margem EBITDA 30% 26% 59% 28%  

     

    Lisboa, 30 de Maio de 2005

    A Administração

     


     

     

    29 de Abril de 2005 - COMUNICADO

     

    PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

     

    Nos termos do artigo 17º do Código dos Valores Mobiliários comunicamos que a Companhia de Seguros Tranquilidade Vida, S.A. deu agora conhecimento a esta sociedade de que nas seguintes operações de Bolsa realizadas no mês de Fevereiro de 2003 procedeu à aquisição de um total de 2.529.248 acções da Semapa, acções essas que ainda detém:

     

    Data

    Nº de acções

    03-02-2003

    500.000

    04-02-2003

    500.000

    05-02-2003

    500.000

    06-02-2003

    529.535

    07-02-2003

    499.713

    Aquele número total de acções corresponde a 2,1374% do capital social da Semapa e, devido ao número de acções próprias detidas pela sociedade, a 2,1878% dos direitos de voto não suspensos.

    Informou também a Companhia de Seguros Tranquilidade Vida, S.A. que nos termos do artigo 20º do Código dos Valores Mobiliários os direitos de voto destas acções, por força do domínio da Companhia de Seguros Tranquilidade Vida, SA pela BESPAR, SA, desta pela Espírito Santo Financial (Portugal), SA, desta pela Espírito Santo Financial Holding e desta pela Espírito Santo International, são imputados à Espírito Santo International

     

    Lisboa, 29 de Abril de 2005

    O Secretário da Sociedade

    Paulo Miguel Garcês Ventura

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     


     

    15 de Abril de 2005 - COMUNICADO

    PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

     

    Nos termos do artigo 17º do Código dos Valores Mobiliários comunicamos que o Banco Espírito Santo, S.A. deu agora conhecimento a esta sociedade de que, numa acção de controlo interno sobre a verificação de conformidade de procedimentos e cumprimento de formalidades legais, a ESAF – Espirito Santo Fundo de Pensões, S.A. verificou não ter sido atempadamente comunicado, para posterior divulgação ao mercado, a existência de uma participação qualificada no capital social da Semapa.

     

    Em consequência, nos termos e para os efeitos do disposto no artigo 16º do Código dos Valores Mobiliários e do Regulamento da CMVM nº 04/2004, veio o Banco Espirito Santo, S.A. informar o seguinte:

    1. No passado dia 7 de Maio de 2003, o Fundo de Pensões BES, gerido pela ESAF- Espírito Santo Fundos de Pensões, S.A. adquiriu em bolsa 7.790.253 acções representativas do capital social da Semapa. Com esta aquisição o Fundo de Pensões BES passou a deter 6,5834% do capital social desta sociedade.

    2. No passado dia 21 de Dezembro de 2004, o Fundo de Pensões BES alienou 1.915.400 acções representativas do capital social da Semapa. Com esta alienação o referido Fundo de Pensões BES passou a deter 4,2679% do capital social desta sociedade.

    3. Em 21 de Dezembro de 2004, a ESAF- Espírito Santo Fundo de Pensões, S.A., em representação de outros fundos de pensões por si geridos, adquiriu em bolsa 1.279.005 acções representativas do capital social da Semapa. Com esta aquisição, a ESAF- Espírito Santo Fundos de Pensões, S.A., em representação dos fundos de pensões por si geridos, passou a deter 5,3510% do capital social desta sociedade.

    4. Por outro lado os Fundos de Investimento Mobiliário geridos pela ESAF – Espirito Santo Fundos de Investimento Mobiliário, S.A. são detentores de 748.191 acções da Semapa.

    5. Acresce ainda que clientes que estão sob gestão da ESAF – Espirito Santo Gestão de Patrimónios, S.A. possuem 2.500 acções da Semapa.

    Assim, nos termos do artigo 20º do Código dos Valores Mobiliários, com as operações referidas, passaram a ser imputados ao Banco Espírito Santo os direitos de voto de 7.012.006 acções da Semapa, correspondentes a cerca de 5,9256% do capital social, nos termos seguintes:
     

    Entidade

    Nº acções

    % capital

    % dir. de voto não suspensos

    Fundo de Pensões do BES gerido pela ESAF - Espírito Santo Fundo de Pensões, S.A.

    4.982.310

       4,2104%

    4,3098%

    Outros Fundos geridos pela ESAF - Espírito Santo Fundo de Pensões, S.A.

    1.279.005

    1,0809%

    1,1064%

    Fundos geridos pela ESAF - Espírito Santo Fundos de Investimento Mobiliário, S.A.

    748.191

    0,6323%

    0,6472%

    Clientes sob gestão da ESAF - Espírito Santo Gestão de Patrimónios, S.A.

    2.500

    0,0021%

    0,0022%

    Soma:

    7.012.006

    5,9256%

    6,0655%

    Lisboa, 15 de Abril de 2005

    O Secretário da Sociedade

    Paulo Miguel Garcês Ventura

     


     

    12 de Abril de 2005 - COMUNICADO

    PAGAMENTO DE DIVIDENDOS

     

    Informam-se os Senhores Accionistas que os dividendos relativos ao exercício de 2004, atribuídos por deliberação da Assembleia Geral de 30 de Março de 2005, serão pagos no dia 28 de Abril, correspondendo o seguinte dividendo a cada acção:
     

     

    Accionistas Residentes Accionistas não Residentes
     
    Dividendo Ilíquido 0,1100 Dividendo Ilíquido 0,1100
    IRS/IRC (15%) 0,0165 IRS/IRC (25%) 0,0275
    Dividendo Líquido 0,0935 Dividendo Líquido 0,0825

    Os dividendos serão pagos através da Central de Valores Mobiliários, nos termos do respectivo regulamento.
    Para efeitos de isenção ou dispensa de retenção na fonte de IRS/IRC, os Senhores Accionistas devem confirmar a sua caracterização fiscal junto das entidades depositárias das acções.

    Lisboa, 12 de Abril de 2005

    Semapa – Sociedade de Investimento e Gestão SGPS, S..A.

    O Administrador

     


     

    11 de Abril de 2005 - COMUNICADO

    PARTICIPAÇÃO QUALIFICADA

     

    Nos termos do artigo 17º do Código dos Valores Mobiliários comunicamos que o Banco BPI, S.A. deu agora conhecimento a esta sociedade que:

     

    1. Em 6 de Agosto de 2002, então com a firma BPI – SGPS, S.A., e em virtude de alienações efectuadas por clientes particulares cuja carteira é gerida por entidades do Grupo BPI ao abrigo de contrato de gestão discricionária (29.764 acções), a participação qualificada que lhe era imputável na Semapa – Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A., calculada em termos de direitos de voto, de acordo o artigo 20º do Código dos Valores Mobiliários, e considerando que naquela data o número de acções próprias detidas pela Semapa era de 2.653.280, tinha baixado dos 5%, passando a ser de 4,98%, nos termos seguintes:
     

    Entidade

    Nº acções

    % capital

    % dir. de voto não suspensos

    Banco Português de Investimento, S.A.

    193.308

    0,16%

    0,17%

    Fundos Geridos pela BPI Pensões - Sociedade Gestora de Fundos de Pensões, S.A.

    4.123.863

    3,48%

    3,56%

    Fundos Geridos pela BPI Fundos – Gestão de Fundos de Investimento Mobiliário, S.A.

    976.679

    0,83%

    0,84%

    BPI Vida - Companhia de Seguros de Vida, S.A.

    7.555

    0,01%

    0,01%

    Clientes Institucionais cuja carteira é gerida ao abrigo de gestão discricionária

    50.634

    0,04%

    0,04%

    Clientes particulares cuja carteira é gerida ao abrigo de gestão discricionária

    406.373

    0,34%

    0,35%

    Soma:

    5.758.412

    4,87%

    4,98%

     

    2. Em 2 de Fevereiro de 2005, e em virtude da aquisição de 92.500 acções efectuada na esfera de Gestão de Activos Grupo BPI por Fundos de Investimentos geridos pela BPI Fundos – Gestão de Fundos de Investimento Mobiliário, S.A., a participação qualificada que lhe era imputável na Semapa – Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A., calculada em termos de direitos de voto, de acordo com o artigo 20º do Código dos Valores Mobiliários, e considerando que naquela data o número de acções próprias detidas pela Semapa era de 2.727.975, passou a ser de 5,03%, nos termos seguintes:
     

     

    Entidade

    Nº acções

    % capital

    % dir. de voto não suspensos

    Banco Português de Investimento, S.A.

    42.490

    0,04%

    0,04%

    Fundos Geridos pela BPI Pensões - Sociedade Gestora de Fundos de Pensões, S.A.

    4.195.830

    3,55%

    3,63%

    Fundos Geridos pela BPI Fundos – Gestão de Fundos de Investimento Mobiliário, S.A.

    1.404.121

    1,19%

    1,21%

    BPI Vida - Companhia de Seguros de Vida, S.A.

    33.546

    0,03%

    0,03%

    Clientes Institucionais cuja carteira é gerida ao abrigo de gestão discricionária

    70.016

    0,06%

    0,06%

    Clientes particulares cuja carteira é gerida ao abrigo de gestão discricionária

    71.458

    0,06%

    0,06%

    Soma:

    5.817.461

    4,92%

    5,03%

     

    3. Em 4 de Abril de 2005 aquela posição mantinha-se globalmente inalterada.

     

    4. As 4.195.830 acções detidas por Fundos de Pensões geridos pela BPI Pensões – Sociedade Gestora de Fundos de Pensões, S.A. determinam que lhe seja imputável, individualmente, uma participação qualificada na Semapa – Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A, calculada em termos de direitos de voto, de acordo com o artigo 20º do Código de Valores Mobiliários, e considerando as 2.727.975 acções próprias detidas pela Semapa, de 3,63%

    Da comunicação agora recebida resulta que não estavam correctas as informações relativas à participação qualificada do Banco BPI na Semapa, publicadas em anexo às contas do exercício de 2002, do primeiro semestre de 2003, do exercício de 2003 e do primeiro semestre de 2004.

    Lisboa, 11 de Abril de 2005

    O Secretário da Sociedade

    Paulo Miguel Garcês Ventura

     


     

    31 de Março de 2005 - COMUNICADO

    SEMAPA INFORMA SOBRE DELIBERAÇÕES DA ASSEMBLEIA GERAL DE 30.03.2005

     

    Informamos que na Assembleia Geral anual de accionistas desta sociedade realizada em 30 de Março de 2005 foram aprovados os documentos de prestação de contas apresentados relativos ao exercício de 2004; foi deliberada a distribuição de um dividendo de 11 cêntimos por acção e foi aprovada a alteração proposta ao artigo 11º nº 1 do contrato social no sentido de permitir que o Conselho de Administração da sociedade possa ser composto por um número ímpar de membros entre 3 e 15.

     

    Lisboa, 31 de Março de 2005

    A ADMINISTRAÇÃO

     


     

    15 de Março de 2005 - COMUNICADO

    INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DO EXERCÍCIO DE 2004

    Operações mais relevantes efectuadas durante o exercício:
     

    • Aquisição de participação de controlo (67,1%) no Grupo Portucel Soporcel representando um investimento antes de despesas e encargos de cerca de 775 milhões de euros;
    • Alienação de uma participação de 45,1% do capital social da Secil ao grupo cimenteiro de origem Irlandesa CRH PLC por cerca de 327 milhões de euros tendo a Semapa realizado uma mais valia de cerca de 144 milhões de euros;
    • Alienação pelo Grupo Secil à Semapa do Grupo Enersis;
    • Alienação da participação de cerca de 9% do capital social da Cimpor por cerca de 251 milhões de euros originando uma mais valia de cerca de 27,5 milhões de euros líquida de impostos diferidos.

    Atendendo às operações realizadas, o desempenho do Grupo Semapa no exercício de 2004 foi muito positivo: o resultado líquido positivo de 182 milhões de euros foi substancialmente superior aos registados em anos anteriores o que se justifica essencialmente pelas mais valias geradas nas alienações das participações Secil e Cimpor referidas anteriormente.

    O Grupo Semapa passou a ter três áreas de negócio:

    • Cimento e seus derivados através do Grupo Secil;
    • Energias renováveis através do Grupo Enersis II;
    • Papel e pasta de papel através do Grupo Portucel Soporcel

    As alterações de participações accionistas do Grupo Semapa ocorridas ao longo de 2004, e anteriormente referidas, determinam uma significativa alteração do perímetro de consolidação e não permitem a comparabilidade tal qual entre os exercícios de 2003 e 2004 ao nível dos principais indicadores e magnitudes.

    A alteração mais importante ocorrida foi a inclusão do Grupo Portucel Soporcel no perímetro de consolidação de acordo com as normas contabilísticas em vigor:

    • Consolidação pelo método integral daquele Grupo desde Outubro até Dezembro.
    • Apropriação pela Semapa de 30 % do resultado líquido da Portucel de Junho a Setembro, de 60% em Outubro e de 67,1 % de Novembro a Dezembro.

    Por seu turno, com a alienação de parte da Secil ocorrida em Junho, a Semapa consolidou 100% deste Grupo até Maio inclusive e 51% de Junho a Dezembro.

    O Grupo Enersis II, continua, tal como o procedimento já adoptado no exercício anterior, a ser incluído nas demonstrações financeiras consolidadas da Semapa valorizado pelo método de equivalência patrimonial, pelo que não afecta a comparabilidade dos exercícios.

    Dada a necessidade de os Agentes Económicos efectuarem comparações e previsões, apresentam-se as principais rubricas do balanço consolidado e da demonstração de resultados consolidados pró forma e não auditados com a consolidação integral da Portucel nos 12 meses do ano.

    Da análise dos indicadores das demonstrações pró forma e não auditados destaca-se a evolução dovolume de vendas para cerca de 1.426 milhões de euros e do EBITDA para cerca de 333 milhões de euros.

     
    Principais Indicadores Económico-Financeiros      106Euros
         2001    2002    2003    2004 2004 Não Auditados
    Pró Forma
    Volume de vendas   500,6   491,1   417,8   700,0   1.426,6
    EBITDA   162,4   168,1   120,4   170,1   333,6
    Amortizações e Provisões   54,1   55,0   62,3   70,5   147,4
    Amortizações de Goodwill   8,1   11,6   17,3   39,6   52,7
    EBIT   100,3   101,5   40,8   60,1   133,5
    Resultados Financeiros   -10,2   -22,4   -2,8   -27,7   -50,5
    Resultados Correntes   90,1   79,2   37,9   32,3   83,0
    Resultados Extraordinários   -1,8   2,5   22,9   195,9   201,9
    Resultados Antes de Impostos   88,3   81,7   60,8   228,2   285,0
    Impostos   4,3   21,2   20,5   31,5   53,2
    Interesses Minoritários   39,8   29,7   0,3   14,7   25,8
    Resultados Líquidos   44,1   30,8   40,1   182,1   205,9
    Cash Flow 
     
      106,3   97,4   119,7   292,1   406,0
    Activo Líquido Total   1.003,0   1.068,5   1.225,5   3.349,0   3.354,0
    Capitais Próprios   211,1   224,5   237,6   384,4   389,4
    Dívida Líquida   230,5   162,3   461,1   1.790,7   1.790,7
    Margem EBITDA 32% 34% 29% 24%
    23%
     

    A margem EBITDA registou uma diminuição, pelo facto da Portucel SA ter uma margem inferior à da Secil a qual se manteve nos 29%. Por sua vez a margem na Portucel foi penalizada por factores exógenos tais como a depreciação do USD face ao Euro e a redução significativa dos preços médios de venda do Papel e da Pasta no mercado internacional provocando uma quebra da margem que registou a seguinte evolução: 31% ; 26% e 22% respectivamente nos exercícios de 2002 , 2003 e 2004.

    Produção

    A área de negócio Cimento caracterizou-se por:

    • Manutenção da capacidade produtiva em 5.630.000 ton de cimento;
    • Aumento das vendas de cimento em 13% passando para 4.744.000 tons;
    • Aumento de 32% das vendas de clinquer cifrando-se em 275.000 tons;
    • Aumento de 15% das vendas de betão pronto atingindo 2.564.000 m3;
    • Acréscimo de 7% das vendas de Inertes totalizando 2.966.000 m3;
    • Aumento de 2% das vendas de pré fabricados;
    • Contracção das vendas de cal hidráulica, de Cimento cola e de Argamassas em 6%, 8% e 6% respectivamente.

    A área de negócio do Papel e da Pasta de Papel caracterizou-se por:

    • Aumento da produção em 2,5 % da Pasta Branca atingindo as 1.254.000 tons;
    • Aumento da produção em 4,3 % do Papel de Impressão e Escrita atingindo as 984.000 tons;
    • Aumento de 11% das vendas de pasta para mercado alcançando as 608.000 tons;
    • Vendas de Papel de Impressão e Escrita aumentaram 4,1% e representaram 976.000 tons.

    Por fim a área de negócio das Energias Renováveis caracterizou-se essencialmente por:

    • Aumento da capacidade instalada passando de 152 MW para 198 MW em 2004;
    • Diminuição da produção: 414 GWh em 2003 versus 370 GWh em 2004 devido às condições atmosféricas extremamente desfavoráveis, uma vez que o ano de 2004 foi um ano de baixo regime de hidraulicidade.

    Lisboa, 15 de Março de 2005

    A ADMINISTRAÇÃO

     


     

    7 de Março de 2005 - COMUNICADO

    ASSEMBLEIA GERAL PORTUCEL

    A SEMAPA Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, SA accionista da PORTUCEL - Empresa Produtora de Pasta e Papel, SA, informa que foi realizada hoje, a Assembleia Geral desta Sociedade, de cuja Convocatória constavam diversos assuntos, entre os quais a alteração parcial dos estatutos desta Sociedade, pelo que vem tornar público o seguinte:
     

    1- A SEMAPA propôs e votou favoravelmente a retirada da dita proposta de alteração dos estatutos, que figurava como ponto 2 da ordem de trabalhos daquela Assembleia Geral, e que será submetida a uma próxima Assembleia Geral.
     
    2- A retirada da proposta de alteração dos estatutos que se verificou faz parte do acordo a que chegaram a PORTUCEL, SGPS e as sociedades do Grupo Semapa accionistas da PORTUCEL, SA, quanto ao alcance das participações que detêm na PORTUCEL, SA.
     
    3- Para que tal sucedesse, foi negociado e acordado com a PORTUCEL, SGPS, o texto de um acordo parassocial que confere uma protecção adequada aos interesses que o Estado – através da PORTUCEL, SGPS – mantém na PORTUCEL, SA, incluindo a atribuição àquela de um conjunto de direitos e garantias relativos à sua representação e intervenção no Conselho de Administração e na Assembleia Geral da sociedade, e o modo de assegurar a prazo uma maior dispersão do capital social da PORTUCEL, SA, salvaguardando, contudo, os direitos do Grupo SEMAPA, enquanto accionista maioritário da PORTUCEL, SA.
     
    4- Tendo em conta o processo de mudança do Governo, foi acordado que a formalização do acordo parassocial supra referido aguardaria decisão do próximo Governo.

    Lisboa, 7 de Março de 2005

    SEMAPA - SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A.

     


     

    3 de Março de 2005 - COMUNICADO

    ALTERAÇÃO DA SEDE SOCIAL

    Informamos que por deliberação do Conselho de Administração da sociedade de 28 de Fevereiro de 2005 foi deslocada a sede da sociedade para a Av. Fontes Pereira de Melo, nº 14, 10º andar, em Lisboa.

    Lisboa, 2 de Março de 2005

    O Secretário da Sociedade

    Paulo Miguel Garcês Ventura

     


     

    17 de Fevereiro de 2005 - PAGAMENTOS DE JUROS

    OBRIGAÇÕES SEMAPA 98

    PAGAMENTO DO CUPÃO Nº 14 E AMORTIZAÇÃO PARCIAL

    Informam-se os titulares de obrigações SEMAPA 1998, que se efectuará a partir do próximo dia 09 de Março o pagamento de juros referentes ao cupão nº 14, sendo agente pagador principal o BANCO PORTUGUÊS DE INVESTIMENTO, S.A.

    Valor ilíquido (EUR) 0.00013784
    IRC/IRS (EUR) 0.00002757
    Valor líquido (EUR) 0.00011027
       
    Amortização 0.00200000

    Nos termos do regulamento da Central de Valores Mobiliários, o pagamento de juros das obrigações centralizadas será efectuado através daquela Central (Código C.V.M.SEMBOE).

    Lisboa, 17 de Fevereiro de 2005

    SEMAPA - SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A.

     


     

    14 de Fevereiro de 2005 - CONVOCATÓRIA ASSEMBLEIA GERAL ANUAL

    CONVOCATÓRIA ASSEMBLEIA GERAL ANUAL

    Convoco os Senhores Accionistas para reunirem em Assembleia Geral em Lisboa, na Av. das Forças Armadas, nº 125, 13º C, no dia 30 de Março do corrente ano, pelas 11 horas, com a seguinte ordem de trabalhos:

    1. Deliberar sobre o Relatório de Gestão, o Balanço e as Contas do exercício de 2004, bem como sobre o Relatório e Parecer do Conselho Fiscal;
    2. Deliberar sobre os documentos de consolidação de contas referentes ao mesmo exercício;
    3. Deliberar sobre a aplicação de resultados;
    4. Proceder à apreciação geral da administração e fiscalização da Sociedade;
    5. Deliberar sobre uma proposta do Conselho de Administração para aquisição e alienação de acções e obrigações próprias;
    6. Deliberar sobre o aumento do número de membros do conselho de administração de nove para onze;
    7. Proceder à eleição de dois administradores para preenchimento das vagas abertas em função do que for deliberado sob o anterior ponto da ordem de trabalhos, para exercerem funções até ao fim do mandato em curso dos restantes titulares dosórgãos sociais;
    8. Deliberar sobre o regulamento do regime dereforma por velhice ou invalidez dos administradores nos termos do artigo 17º do contrato social e do artigo 402º nº 4 do Código das Sociedades Comerciais, e
    9. Deliberar sobre a alteração do artigo 11º nº 1 do contrato social no sentido de permitir que o conselho de administração possa ser composto por número ímpar de membros entre três e quinze.

    Durante os quinze dias anteriores à data da Assembleia serão facultados à consulta dos Senhores Accionistas, na sede social e no sítio da sociedade na internet, os elementos de informação preparatória previstos na lei. A proposta relativa à alteração do contrato social fica desde já disponível.

    Requisitos para participação e exercício do direito de voto:

    • Só podem assistir e participar na Assembleia, além dos membros dos Corpos Sociais e do representante comum dos obrigacionistas, os accionistas que possuam o minímo de 385 acções, quantidade a que corresponde um voto, e que até oito dias antes da data da reunião apresentem documento comprovativo da titularidade das acções desde pelo menos o trigésimo dia anterior à data da Assembleia e do seu bloqueio até ao termo desta.
    • Podem também assistir à assembleia geral os accionistas que não tendo direito de voto se agrupem até perfazer pelo menos o número mínimo de acções e se façam representar por um dos agrupados.
    • Um accionista só pode fazer-se representar em assembleia geral por cônjuge, ascendente ou descendente, por um membro do conselho de administração ou por outro accionista, salvo os accionistas que forem pessoas colectivas, os quais poderão delegar a sua representação em quem entenderem.
    • Os instrumentos de representação voluntária de accionistas, quer sejam pessoas singulares ou colectivas, deverão ser entregues ao presidente da mesa da assembleia geral até oito dias antes do dia da reunião.

    Os accionistas podem votar por correspondência nos termos do artigo 22º do Código dos Valores Mobiliários, processando-se a voto da seguinte forma:

    • O subscrito contendo as declarações de voto deve ser dirigido ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral e entregue na sede social ou para aí enviado por carta registada com aviso de recepção;
    • Tal subscrito deve dar entrada na sociedade até três dias úteis antes da data da reunião;
    • O mesmo subscrito deve conter (1) as declarações de voto, uma para cada ponto da ordem de trabalhos, em subscrito fechado e independente com a indicação exterior do ponto da ordem de trabalhos a que se destina e (2) Carta dirigida ao Presidente da Mesa, com assinatura notarialmente reconhecida, manifestando a vontade de votar.

    Lisboa, 14 de Fevereiro de 2005

    O Presidente da Mesa da Assembleia Geral

    Henrique Reynaud Campos Trocado

     


     

    26 de Janeiro de 2005 - COMUNICADO

    Informação ao Mercado: Alienação da participação accionista na ENCE – Grupo Empresarial Ence, S.A.

    Comunicamos que, na presente data, foi alienada a totalidade da participação social detida na ENCE – Grupo Empresarial Ence, S.A. correspondente a 2.037.600 acções representativas de 8,00% do respectivo capital social, pelo montante de cerca de 46 milhões de euros. A referida alienação foi efectuada através das sociedades dominadas pela SEMAPA Sociedade de Investimento e Gestão SGPS, SA., SEINPAR INVESTMENTS BV, que alienou o lote de 1.018.800 acções de que era titular e PORTUCEL – Empresa Produtora de Pasta e Papel, SA, que alienou um lote de 1.018.800 acções adquiridas na presente data.

    26 de Janeiro de 2005

    A Administração

     


     

    3 de Janeiro de 2005 - COMUNICADO

    Informação ao Mercado: Aquisição de participação accionista na ENCE – Grupo Empresarial Ence, SA

    Nos termos e para efeitos do Código dos Valores Mobiliários comunicamos que a SEINPAR INVESTMENTS BV, sociedade participada integralmente pela SEMAPA – Sociedade de Investimentos e Gestão SGPS, SA, adquiriu em Bolsa, no dia 28 de Dezembro de 2004, 1.018.800 acções da ENCE – Grupo Empresarial Ence SA, uma sociedade de nacionalidade espanhola, correspondendo a 4% do capital social desta empresa, pelo montante de 22.797.393 Euros (vinte e dois milhões, setecentos e noventa e sete mil, trezentos e noventa e três Euros).

    A Administração

     


     

    26 de Novembro de 2004 - COMUNICADO

    INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DO TERCEIRO TRIMESTRE DE 2004

    Como é do conhecimento do mercado, a Semapa adquiriu em Junho do corrente ano 30% do capital social da Portucel – Empresa Produtora de Pasta e Papel SA por cerca de 334 milhões de euros.

    Durante o terceiro trimestre, a Semapa Investments BV uma subsidiária da Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão SGPS, SA lançou uma OPA sobre as acções da Portucel.

    Já após o termo do trimestre - a 4 de Outubro - em resultado da OPA, a Semapa Investments BV procedeu à liquidação financeira das acções Portucel correspondente a 30,37% do capital, pelo montante de cerca de 361milhões de euros. As acções adquiridas em OPA e o correspondente passivo bancário, não estão contabilizadas nas demonstrações financeiras em análise por a operação ter ficado concluída após 30 de Setembro.

    Assim, nas Demonstrações Financeiras referentes ao 3º trimestre, e à semelhança do 1º semestre, o Grupo Semapa utilizou o método da equivalência patrimonial na relevação contabilística da participação financeira de 30% na Portucel em resultado da privatização, sendo essa a razão principal do aumento do valor da rubrica dos Investimentos Financeiros Consolidados relativamente a igual período do ano anterior. Esta aquisição originou um aumento do endividamento bruto.

    A alienação pelo Grupo Semapa (1º semestre de 20004) ao grupo CRH de 45,1% do capital social da Secil por cerca de 333 milhões de euros sujeitos a ajustamento, é responsável pelo aumento da rubrica Interesses Minoritários nas Demonstrações Financeiras Consolidadas. Esta operação originou ainda uma diminuição do endividamento bruto e um proveito extraordinário de cerca de 139.1 milhões de euros.

    Procedeu-se igualmente à alienação das acções da Cimpor (cerca de 9%) naquele semestre por cerca de 251 milhões de euros, o que se reflectiu nas demonstrações financeiras provocando uma diminuição do endividamento bruto e um proveito extraordinário de cerca de 39.4 milhões de euros.

    SEMAPA CONSOLIDADA
    Principais Indicadores Económico-Financeiros   103Euros
         2003    3º Trim. 03    3º Trim. 04    Var.
    Vendas   417.821   319.942   329.316   2.93%
    EBITDA   119.675   92.280   91.722   -0.60%
    Amortizações e Provisões   62.276   41.956   44.451   5.95%
    Amortizações de Goodwill   17.326   12.300   13.159   6.99%
    EBIT   40.760   38.024   34.112   -10.29%
    Resultados Financeiros   (2.827)   (1.565)   (9.470)   505.22%
    Resultados Correntes   37.933   36.459   24.642   -32.41%
    Resultados Extraordinários   22.889   16.277   187.734   1053.35%
    Resultados Antes de Impostos   60.822   52.736   212.375   302.71%
    Impostos   20.490   23.317   44.002   88.71%
    Interesses Minoritários   259   243   6.056   2389.82%
    Resultados Líquidos   40.073   29.176   162.317   456.33%
    Cash Flow 
     
      119.675   83.432   219.927   163.60%
    Activo Líquido Total   1.225.485   1.152.786   1.307.428   13.41%
    Capitais Próprios   237.626   236.280   386.573   63.61%
    Dívida Líquida   461.127   481.534   424.795   -11.78%
    Margem EBITDA 29% 29% 28%  

    Globalmente, o desempenho do Grupo Semapa no 3º trimestre foi positivo.

    As Vendas e Prestações de Serviços Consolidadas, à data de 30 de Setembro , atingiram 329,3 milhões de euros e apresentam um crescimento de 3% relativamente ao período homólogo do ano transacto. Esta performance nas Vendas é, essencialmente, devida ao crescimento nas Vendas de cimento e clínquer.

    O EBITDA decresceu ligeiramente (0.6%) quando comparado com igual período do ano devido essencialmente aos custos incorridos pela Semapa com a operação de aquisição da Portucel. Com efeito as Demonstrações Financeiras Consolidadas do Grupo Secil evidenciam crescimento de 1% do EBITDA.

    O agravamento dos Resultados Financeiros, relativamente a igual período do ano anterior, é explicado essencialmente pelo não recebimento de dividendos da Cimpor devido à alienação desta participação, como referido anteriormente, em data anterior ao respectivo pagamento.

    O Cash- Flow acumulado no 3º trimestre ascendeu a 219,9 milhões de euros, que compara com 83,4 milhões no período homólogo de 2003. Em termos acumulados os Resultados Líquidos atingiram 162,3 milhões de euros contra 29.1 milhões de euros em igual período do ano anterior. O aumento tanto do Cash-Flow como dos Resultados Líquidos é explicado essencialmente pelas mais-valias realizadas com as alienações das participações accionistas na Secil e na Cimpor referidas anteriormente.

    Dado o endividamento inerente à aquisição da participação na Portucel - Empresa Produtora de Pasta e Papel, SA, e sem prejuízo da decisão que venha a ser tomada pela Assembleia Geral, não se prevê que estes resultados dêem origem a uma distribuição de dividendos superior à dos anos anteriores.

    Lisboa, 26 de Novembro de 2004

    A Administração

     


     

    29 de Setembro de 2004 - FACTO RELEVANTE

    INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2004

    O desempenho do Grupo SEMAPA no 1º semestre foi globalmente positivo, tendo as Vendas e Prestações de Serviços consolidadas atingido o valor de 220 milhões de Euros, o que representa um crescimento de 3% relativamente ao 1º semestre de 2003. Este é um reflexo da melhoria verificada na área do Cimento. Com efeito, relativamente ao 1º semestre de 2003, as vendas do Grupo Secil cresceram 3,1%, o EBITDA cresceu 6,6% e o EBIT 9,3%.

    O EBITDA consolidado do Grupo SEMAPA apresenta um decréscimo de 1% relativamente ao período homólogo do ano anterior por efeito de custos pontuais e não recorrentes na rubrica de fornecimentos e serviços externos atribuíveis à estrutura holding.

    Os Resultados Operacionais, com um valor de 22,7 milhões de Euros, apresentam, no período, um acréscimo de 1,5% em comparação com o período homólogo do ano anterior.

    A alienação da participação accionista na Cimpor em data anterior ao pagamento dos dividendos, aliada aos encargos com o financiamento decorrente do novo investimento realizado e a quebra apresentada no semestre nos Resultados Líquidos de algumas empresas participadas, justificam a evolução apresentada pelos Resultados Financeiros consolidados.

    Os Resultados Extraordinários Líquidos consolidados foram positivos no montante de 185,4 milhões de Euros, fruto das mais valias apuradas na venda das participações accionistas minoritárias na Secil e na Cimpor.

    A SEMAPA encerrou, assim, o 1º semestre com um Resultado Líquido consolidado, após Interesses Minoritários, de 154,6 milhões de Euros.

    O endividamento líquido do Grupo ascendia, no final do 1º semestre de 2004, a 430,2 milhões de Euros, comparado com 484,4 milhões de Euros, no período homólogo de 2003, o que representa uma redução de 11,2%, apesar do investimento efectuado até à data com a operação de privatização da Portucel. Esta redução é fruto dos desinvestimentos efectuados com a venda de 49% da Secil e de cerca de 9% da Cimpor.

    Lisboa, 29 de Setembro de 2004.

    A ADMINISTRAÇÂO

    CLIQUE AQUI PARA VER O DOCUMENTO COMPLETO 

     

     

     


     

     

     

     

    21 de Setembro de 2004 - ANÚNCIO

     

    REPRESENTANTE PARA AS RELAÇÕES COM O MERCADO E COM A CMVM

    Nos termos da alínea h), do artigo 3º do Regulamento da CMVM n.º 04/2004, torna-se público que no dia 15 de Setembro de 2004 foi deliberado nomear, em substituição do Senhor Dr. José Alfredo de Almeida Honório, o Senhor Dr. José Miguel Pereira Gens Paredes como representante da Sociedade para as relações com o mercado e com a CMVM, com efeitos a partir da data da mencionada deliberação.

    Lisboa, 21 de Setembro de 2004

    O Secretário da Sociedade

    Paulo Miguel Garcês Ventura

     


     

     

    23 de Agosto de 2004 - PAGAMENTOS DE JUROS

     

    OBRIGAÇÕES SEMAPA 98

    PAGAMENTO DO CUPÃO Nº 13

    Informam-se os titulares de obrigações SEMAPA 1998, que se efectuará a partir do próximo dia 09 de Setembro o pagamento de juros referentes ao cupão nº 13, sendo agente pagador principal oBANCO PORTUGUÊS DE INVESTIMENTO, S.A.

    (EUR) 0.00013260
    IRC/IRS 0.00002652
    Valor líquido (EUR) 0.00010608

    Nos termos do regulamento da Central de Valores Mobiliários, o pagamento de juros das obrigações centralizadas será efectuado através daquela Central (Código C.V.M.SEMBOE).

    Lisboa, 23 de Agosto de 2004

     


     

     

    17 de Agosto de 2004 - COMUNICADO - ANÚNCIO DE LANÇAMENTO PELA SEMAPA INVESTMENTS B.V. DE UMA OFERTA PÚBLICA DE AQUISIÇÃO GERAL DE ACÇÕES EMITIDAS PELA PORTUCEL – EMPRESA PRODUTORA DE PASTA E PAPEL, S.A. 

     

    Nos termos e para os efeitos do disposto no artigo 123º do Código dos Valores Mobiliários (“CVM”), torna-se público o lançamento pela SEMAPA Investments B.V. de uma Oferta Pública Geral de Aquisição de acções representativas do capital social da Portucel – Empresa Produtora de Pasta e Papel, S.A. (abreviadamente designada por “Oferta”), nas condições constantes do presente anúncio e dos demais documentos da Oferta.

     


     

     

    7 de Julho de 2004 - COMUNICADO

     

    ANÚNCIO PRELIMINAR DE LANÇAMENTO DE OFERTA PÚBLICA GERAL DE AQUISIÇÃO DE ACÇÕES EMITIDAS PELA PORTUCEL – EMPRESA PRODUTORA DE PASTA E PAPEL, S.A.

    (Rectificação à identificação da SEMAPA Investments B.V.)

    Pela presente procede-se à rectificação da identificação da SEMAPA Investments B.V. constante do ponto 1 do anúncio preliminar de lançamento de oferta pública geral de aquisição de acções emitidas pela Portucel – Empresa Produtora de Pasta e Papel, S.A., o qual passa a ter a seguinte redacção;

    1. A Oferente é a SEMAPA Investments B.V., sociedade de direito holandês com sede em Strawinskylaan 3.105, Atrium 7º, 1.077ZX Amesterdão, com o capital social subscrito e realizado de € 18.000, matriculada na Câmara de Comércio e Indústrias de Amesterdão sob o nº 34196211 (abreviadamente designada por “Oferente”).

    Lisboa, 7 de Julho de 2004

     


     

     

    6 de Julho de 2004 - COMUNICADO

     

    ANÚNCIO PRELIMINAR DE LANÇAMENTO DE OFERTA PÚBLICA GERAL DE AQUISIÇÃO DE ACÇÕES EMITIDAS PELA ORTUCEL – EMPRESA PRODUTORA DE PASTA E PAPEL, S.A.

    Torna-se pública a decisão de lançamento pela SEMAPA Investments B.V., adiante melhor identificada, de uma Oferta Pública Geral de Aquisição de acções representativas do capital social da Portucel – Empresa Produtora de Pasta e Papel, S.A. (abreviadamente designada por “Oferta”), nos termos e nas condições do presente anúncio preliminar:

    1. A Oferente é a SEMAPA Investments B.V, sociedade de direito holandês com sede em Starwinskylaan 3.105, 7º, 1.077ZX, com o capital social integralmente subscrito e realizado de € 90.000, matriculada na Câmara de Comércio e Indústrias de Amesterdão sob o nº 33.232.905 (abreviadamente designada por “Oferente”).

    2. A Sociedade Visada é a Portucel – Empresa Produtora de Pasta e Papel, S.A , Sociedade Aberta, com sede na Península da Mitrena, Freguesia do Sado, em Setúbal, com o capital social integralmente subscrito e realizado de 767.500.000 Euros, pessoa colectiva nº 503.025.798, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Setúbal sob o número 05.888/200001204 (abreviadamente designada por “Sociedade Visada”).

    3. Os Intermediários Financeiros responsáveis pela assistência à Oferta Pública de Aquisição, nos termos e para os efeitos do disposto nos artigos 113.º e 337.º do Código dos Valores Mobiliários, são o Caixa - Banco de Investimento, S.A. com sede social na Rua Barata Salgueiro, nº 33, em Lisboa, com o capital social integralmente subscrito e realizado de € 81.250.000, pessoa colectiva com o número 501.898.417, matriculado na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa sob o número 67.081 e o Banco Espírito Santo de Investimento, S.A. com sede social na Rua Alexandre Herculano nº 38, Edifício Quartzo, com o capital social integralmente subscrito e realizado de € 70.000.000, pessoa colectiva com o número 501.385.932, matriculado na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa sob o número 57.825.

    4. Os valores mobiliários objecto da Oferta são a totalidade das acções, escriturais e nominativas, com o valor nominal de € 1 (um Euro) cada, representativas do capital social da Sociedade Visada e que não sejam detidas pela Oferente ou por entidades que com ele se encontrem em relação de domínio ou de grupo, integralmente realizadas, com os respectivos direitos patrimoniais e/ou sociais a elas inerentes e que se encontrem livres de quaisquer ónus ou encargos, bem como de quaisquer limitações ou vinculações, nomeadamente quanto aos respectivos direitos patrimoniais e/ou sociais ou à sua transmissibilidade.As acções representativas do capital social da Sociedade Visada encontram-se admitidas à negociação no Mercado de Cotações Oficiais da Euronext Lisbon – Sociedade Gestora de Mercados Regulamentados, S.A..

    5. A contrapartida da Oferta é de € 1,55 (um Euro e cinquenta e cinco cêntimos) por cada acção representativa do capital social da Sociedade Visada, a pagar em numerário.

    6. A Oferente não detém directamente quaisquer acções, representativas do capital social e dos direitos de voto da Sociedade Visada.

    7. A SEINPART – Participações, SGPS, S.A. participada em 49% pela Oferente e integralmente detida, por via indirecta, pela SEMAPA - Sociedade de Investimento e Gestão SGPS, S.A., é titular de 230.250.000 acções representativas de 30% do capital social e dos direitos de voto da Sociedade Visada. A CMVM comunicou à SEMAPA - Sociedade de Investimento e Gestão SGPS, S.A, sociedade que é titular da totalidade do capital social da Oferente, ser seu entendimento que são imputáveis à referida SEMAPA - Sociedade de Investimento e Gestão SGPS, S.A, pelo menos, 55% dos direitos de voto na Sociedade Visada, aí se considerando os direitos de voto inerentes às acções actualmente detidas pela SONAE WOOD PRODUCTS B.V., que a CMVM considera serem detidas em nome próprio pela SONAE WOOD PRODUCTS B.V., mas por conta da SEMAPA - Sociedade de Investimento e Gestão SGPS, S.A..

    8. A presente Oferta Pública de Aquisição é geral, obrigando-se a Oferente, em consequência, nos termos e condições do presente Anúncio, a adquirir a totalidade das acções que, até ao termo do prazo desta, forem objecto de declarações de aceitação pelos seus destinatários.

    9. Poderão ser abrangidas pelas aceitações da Oferta todas as acções que, até ao termo do prazo da Oferta, reúnam as necessárias condições de alienabilidade.

    10. O lançamento da Oferta fica condicionado ao registo prévio junto da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, nos termos do disposto no artigo 114.º do Código dos Valores Mobiliários e à não oposição ou autorização pela Autoridade da Concorrência, nos termos da Lei nº 18/2003 de 11 de Junho, à aquisição pela Oferente, e/ou por sociedades que consigo se encontrem em relação de domínio ou de grupo, da maioria do capital social e dos direitos de voto da Sociedade Visada.

    Lisboa, 6 de Julho de 2004

     


     

     

    5 de Julho de 2004 - FACTO RELEVANTE

     

    A SEMAPA – Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, SA (SEMAPA) vem pela presente informar o mercado que a CMVM lhe comunicou ser seu entendimento, do qual discorda e contra o qual se reserva o direito de reagir através dos meios legais ao seu dispor, que considera como imputáveis à SEMAPA, pelo menos, 55% dos direitos de voto na PORTUCEL – Empresa Produtora de Pasta e Papel, S.A., (PORTUCEL), aí se considerando os direitos de voto inerentes às acções actualmente detidas pela SONAE WOOD PRODUCTS B.V..

    A SEMAPA pretende igualmente afirmar que cumprirá, como foi sempre sua intenção, as obrigações legais que entende para si decorrerem do Código dos Valores Mobiliários.

    Nesta mesma data foi dado conhecimento à PORTUCEL, para efeitos de comunicação de participações qualificadas, do entendimento transmitido pela CMVM.

    Lisboa, 5 de Julho de 2004

    A Administração

     


     

     

    4 de Junho de 2004 - COMUNICADO

     

    No seguimento da nossa comunicação de 1 de Junho de 2004 relativa à aquisição pela SEMAPA através da sua participada Seinpart – Participações SGPS, SA, de 230.250.000 acções representativas da Portucel - Empresa Produtora de Pasta de Papel, SA, vimos esclarecer que o número de acções adquiridas corresponde a uma participação de 30% no capital social da Portucel, e a igual percentagem de direitos de voto, só podendo no entanto estes serem exercidos até ao limite de 25% por virtude de disposição estatutária que assim estabelece.

    Lisboa, 4 de Junho de 2004

    A Administração

     


     

     

    3 de Junho de 2004 - COMUNICADO

     

    Torna-se público que a SEMAPA, na sequência da aprovação do negócio pela Comissão Europeia, concluiu na presente data a venda à sociedade CRH PLC (CRH), de uma participação de 45,125% no capital social da SECIL que atribuirá à CRH 49% dos direitos sobre aquela sociedade.

    Conforme anteriormente anunciado, a compra e venda em apreço foi feita tendo por pressuposto um valor da empresa (Enterprise Value) à data de 31 de Dezembro de 2003, de 900 milhões de Euros para a sua totalidade. Na sequência da distribuição de dividendos ocorrida, a dívida líquida na data de fecho da transacção ascendia a 220 milhões de Euros. Assim, o valor final de venda da participação em questão ascendeu a 333 milhões de Euros.

    Lisboa, 3 de Junho de 2004

    A Administração

     


     

     

    1 de Junho de 2004 - ANÚNCIO

     

    Na sequência da informação oportunamente divulgada ao mercado, a SEMAPA através da sua participada Seinpart – Participações SGPS, SA, vem informar que procedeu hoje ao pagamento do preço para efeitos da aquisição do lote de 230.250.000 acções representativas de 30% do capital social da Portucel – Empresa Produtora de Pasta de Papel, SA. de acordo com o previsto na Resolução do Conselho de Ministros nº 194/2003 de 30 de Dezembro.

    A Admnistração

     


     

     

    5 de Maio de 2004 - COMUNICADO

     

    A Semapa tomou conhecimento, com grande satisfação, do comunicado da Comissão Permanente do Conselho de Ministros do Governo de Angola segundo o qual este Governo aprovou um memorando de entendimento no qual se prevê a privatização de 51% do capital da fábrica de cimento angolana ENCIME a atribuir à sua participada SECIL - Companhia Geral de Cal e Cimento, S.A., com vista a ultrapassar o diferendo resultante da nacionalização dos activos de que a mesma Secil era titular em Angola à data da independência deste país.
     

    Lisboa, 5 de Maio de 2004


     

    29 de Abril de 2004 - INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2004

     

    O desempenho do Grupo manteve-se acima do verificado em igual período do ano anterior, tendo as vendas e prestações de serviços registado um crescimento de 3% tendo-se situado nos cerca de 106,5 milhões de euros. Chamamos no entanto a atenção para o facto das condições climatéricas registadas no primeiro trimestre de 2003, terem sido extremamente adversas sendo responsáveis por uma forte quebra da actividade, condições essas que não ocorreram este ano. 

    O EBITDA do período foi de cerca de 31 milhões de euros, tendo aumentado cerca de 4,5% acompanhando assim a tendência de crescimento das vendas e prestações de serviços.

    Os resultados líquidos obtidos no trimestre ascenderam a 11,7 milhões de euros representando cerca de 2,4 vezes os registados no ano anterior tendo sido influenciados positivamente pelos seguintes factores:

    • Aumento significativo dos resultados líquidos da participada Enersis SGPS,SA os quais são registados pelo método da equivalência patrimonial.
    • Obtenção de um resultado extraordinário positivo pela venda de um terreno que a subsidiária Secil era proprietária no Porto.

    A dívida líquida no montante de 455 milhões de euros registou uma diminuição de 6 milhões de euros relativamente a 31 de Dezembro do ano transacto.

    Conforme oportunamente comunicado ao mercado, a Semapa acordou vender à sociedade CRH PLC (CRH), uma participação no capital social da SECIL. Tendo em atenção o número de acções da SECIL consideradas próprias, a CRH irá adquirir 45,126% da totalidade do seu capital social a que correspondem 49% dos direitos sobre aquela sociedade. A compra e venda em apreço será feita tendo por pressuposto um valor da empresa (Enterprise Value) à data de 31 de Dezembro de 2003, de 900 milhões de Euros para a sua totalidade. O valor final de venda da participação em questão estará dependente do valor da dívida liquida que vier a ser apurado na data de fecho da transacção.

    Já após o encerramento do período, ocorreram dois factos relevantes:

    • a Semapa através das suas subsidiárias Semapa Investments B.V, Secilpar, SL e Ciminpart, SGPS, SA, sociedades por ela detidas directa e indirectamente a 100%, alienou a totalidade da sua participação social na Cimpor – Cimentos de Portugal, SGPS, SA, representativa de 8.77 % do respectivo capital social. (Durante o trimestre tinha procedido à alienação de cerca de 0.22% do capital social da Cimpor em várias operações de Bolsa, pelo que actualmente o Grupo já não detém acções daquela Sociedade). Estas alienações foram realizadas por um valor global de 251 milhões de euros.
    • A Sociedade tomou conhecimento, com grande satisfação, das notícias divulgadas pela comunicação social, sobre a decisão tomada pelo Conselho de Ministros, no sentido de ter sido, através da sua participada Seinpart – Participações SGPS, SA, declarada a vencedora do Concurso Público para privatização de uma participação de 30% no capital social da Portucel – Empresa Produtora de Pasta de Papel, SA.

     


     

     

    27 de Abril de 2004 - ALTERAÇÃO DE COMPOSIÇÃO DOS ÓRGÃOS SOCIAIS

     

    Informamos nos termos da alínea d) do nº 1 do artigo 3º do regulamento da CMVM nº 11/2000 que na assembleia geral do dia 16 de Abril de 2004 o Senhor Dr. Duarte Nuno d’Orey da Cunha foi eleito para exercer funções de vogal do Conselho Fiscal da sociedade até ao final do mandato em curso dos restantes membros dos órgãos sociais.

    Lisboa, 27 de Abril de 2004

    O Secretário da Sociedade

    Paulo Miguel Garcês Ventura

     


     

     

    27 de Abril de 2004 - PAGAMENTO DE DIVIDENDOS

     

    Informam-se os Senhores accionistas que os dividendos relativos ao exercício de 2003, atribuídos por deliberação da Assembleia Geral de 16 de Abril de 2004, serão pagos no dia 13 de Maio, correspondendo o seguinte dividendo a cada acção:

    Accionistas Residentes Accionistas não Residentes
    Dividendo Ilíquido 0,100 Eur Dividendo Ilíquido 0,100 Eur
    IRS/IRC (15%) 0,015 Eur IRS/IRC (25%) 0,025 Eur
    Dividendo Líquido 0,085 Eur Dividendo Líquido 0,075 Eur

    Os dividendos serão pagos através da Central de Valores Mobiliários, nos termos do respectivo regulamento.

    Para efeitos de isenção ou dispensa de retenção na fonte de IRS/IRC, os senhores accionistas devem confirmar a sua caracterização fiscal junto das entidades depositárias das acções.

    Lisboa, 26 de Abril de 2004

    SEMAPA - SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A.

    O Administrador

     


     

     

    26 de Abril de 2004 - COMUNICADO

     

    A Semapa ao tomar conhecimento da decisão do Conselho de Ministros relativa ao concurso público de privatização da Portucel, congratula-se com o desfecho do processo e declara-se preparada para assumir integralmente as responsabilidades que agora lhe são atribuídas.

    A Semapa, tal como já sucedeu em casos anteriores, cumprirá rigorosamente tudo aquilo a que se comprometeu na sua proposta. Trata-se de um compromisso inviolável, não apenas com o Estado Português, mas também com todos os restantes accionistas da Portucel e com a própria empresa.

    A credibilidade de que à partida o Concurso se revestiu foi factor decisivo para a participação da Semapa. Verifica-se agora, concluído o processo, que essa expectativa se confirmou e que a forma transparente e profissional como decorreu honrará certamente todos os que nele participaram e também os que o conduziram e decidiram. A Semapa verifica que a sua proposta sai vencedora exclusivamente porque pelo júri do Concurso foi considerada a melhor nos termos e segundo os critérios do próprio concurso público internacional, e o Governo decidiu em conformidade.

    Sem prejuízo da estratégia que se propôs apoiar na Portucel, a Semapa não deixará de considerar no futuro, nos limites das suas responsabilidades, o estudo de novas parcerias com terceiros, que se revelem úteis para a Portucel e que não colidam em nenhum aspecto com a proposta apresentada em concurso. O interesse que o próprio Concurso despertou, por parte de importantes empresas do sector, é uma garantia à partida de que esta é uma via a explorar.

    Lisboa, 26 de Abril de 2004

    A Administração

     


     

     

    26 de Abril de 2004 - FACTO RELEVANTE

     

    A SEMAPA tomou conhecimento, com grande satisfação, das notícias divulgadas pela comunicação social, sobre a decisão tomada pelo Conselho de Ministros, no sentido de ter sido, através da sua participada Seinpart – Participações SGPS, SA, declarada a vencedora do Concurso Público para privatização de uma participação de 30% no capital social da Portucel – Empresa Produtora de Pasta de Papel, SA.

    A confirmarem-se aquelas notícias, formalizada que seja a referida decisão através da publicação da Resolução do Conselho de Ministros que a declare adjudicatária do Concurso, a SEMAPA manifesta, desde já, a sua intenção de cumprir as obrigações que para ela emergem do facto anunciado, nomeadamente as que se referem à prestação atempada de garantias, ao pagamento do preço e à execução das formalidades legais exigidas para a aquisição do lote de 230.250.000 acções representativas do capital social da Portucel – Empresa Produtora de Pasta de Papel, SA.

    Lisboa, 26 Abril 2004

    A Administração

     


     

     

    15 de Abril de 2004 - FACTO RELEVANTE
    Em conformidade com o disposto no artigo 248º do Código dos Valores Mobiliários, torna-se público que a SEMAPA, através das suas subsidiárias Semapa Investments B.V, Secilpar, SL e Ciminpart, SGPS, SA, sociedades por ela detidas directa e indirectamente a 100%, alienou a totalidade da sua participação social na Cimpor – Cimentos de Portugal, SGPS, SA, representativa de 9 % do respectivo capital social pelo valor global de cerca de 251 milhões de euros. 

    Na presente data foram alienadas, através de operação realizada em bolsa, acções representativas de 8,77% do capital social, tendo sido objecto de alienação, nos últimos dois meses, através de várias operações realizadas em bolsa, acções representativas de 0,22% do capital social da referida sociedade. 

    Lisboa, 15 de Abril de 2004

    A Administração

     


     

    31 de Março de 2004 - PROPOSTAS DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO PARA A ASSEMBLEIA GERAL ANUAL

     

    Disponível em "Investidores e accionistas" / "Assembleias Gerais" as Propostas do Conselho de Administração, incluindo o relatório de gestão relativo às contas consolidadas e demais documentos de consolidação de contas relativos ao exercício de 2003, a serem submetidos à apreciação dos Senhores Accionistas.

     


     

     

    22 de Março de 2004 - FACTO RELEVANTE - SEMAPA INFORMA SOBRE ACORDO DE VENDA À SOCIEDADE CRH PLC (CRH), DE UMA PARTICIPAÇÃO NO CAPITAL SOCIAL DA SECIL

     

    Em cumprimento do disposto no artigo 248º do Código dos Valores Mobiliários, torna-se público que a SEMAPA acordou vender à sociedade CRH PLC (CRH), uma participação no capital social da SECIL que atribuirá à CRH 49% dos direitos sobre aquela sociedade. Tendo em atenção o número de acções da SECIL consideradas próprias, a CRH irá adquirir 45,126% da totalidade do capital social da SECIL.

    O grupo CRH é um grupo internacional que desenvolve actividades na área de materiais de construção, com sede na Irlanda e que desenvolve a sua actividades em 23 países, a qual se distribui pelas seguintes principais áreas de negócio:

       a)  Cimento, betão pronto, inertes e asfalto;
    b)  Materiais de construção de valor acrescentado;
    c)  Distribuição de materiais especializados de construção.

    Em 2003 os investimentos do Grupo CRH em aquisições totalizaram EUR 1,6 mil milhões dispersos por 41 transacções.

    A CRH registou em 2003 um volume de vendas de EUR 11.080 milhões e teve um lucro operacional antes de amortização do goodwill de EUR 1.045 milhões e um lucro antes de impostos de EUR 864 milhões.

    A CRH encontra-se cotada nas Bolsas de Dublin e de Londres e tem ADRS admitidos à negociação no NASDAQ.

    Na data em que ocorrer a concretização da compra e venda antes referida será celebrado entre a SEMAPA e a CRH um acordo parassocial a fim de regular as relações entre as partes no âmbito do controlo da SECIL. Até essa data a SECIL irá transmitir para a SEMAPA ou para sociedade controlada por esta, as participações que detém na Cimpor e no Grupo Enersis.

    A compra e venda em apreço será feita tendo por pressuposto um valor da empresa (Enterprise Value) à data de 31 de Dezembro de 2003, de 900 milhões de Euros para a sua totalidade. O valor final de venda da participação em questão estará dependente do valor da dívida liquida que vier a ser apurado na data de fecho da transacção.

    A concretização da compra e venda encontra-se sujeita à obtenção da competente autorização pela autoridade comunitária da concorrência e à realização de uma ”final due diligence” à empresa por parte do comprador.

    É convicção da SEMAPA que o presente negócio permitirá o aproveitamento de sinergias entre os dois grupos e contribuirá para um reforço da posição da SECIL no mercado internacional de cimento. 

    Lisboa, 22 de Março de 2004

    A ADMINISTRAÇÃO

     


     

     

    19 de Março de 2004 - INFORMAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DO EXERCÍCIO DE 2003

     

    A Semapa encerrou o exercício com um resultado líquido de aproximadamente 40 milhões de Euros e um resultado líquido consolidado de igual montante, o que representa um aumento de cerca de 30%, relativamente ao ano anterior.

    Esta melhoria é consequência de uma maior apropriação do resultado da Secil resultante da aquisição por uma subsidiária da Semapa da participação que as sociedades dinamarquesas Højgaard Holding A/S e FLS Industries A/S detinham no capital social da Secil.

    As vendas e prestação de serviços consolidadas totalizaram 418 milhões de Euros. O resultado operacional consolidado antes de amortizações e provisões (EBITDA) foi de 120 milhões de Euros, sendo o cash flow consolidado de igual montante.

    Em termos operacionais, o desempenho das empresas do Grupo Semapa no ano de 2003 foi inferior ao verificado no ano anterior o que se deve, essencialmente, à diminuição sensível da actividade do sector da construção em Portugal que afectou significativamente os negócios do Grupo ligados a esse sector, nomeadamente, o cimento, o betão-pronto, os inertes, a prefabricação em betão e os aglomerantes e argamassas.

    Assinalam-se positivamente as melhorias de produtividade obtidas nas principais fábricas do Grupo em Portugal e na Tunísia que, no entanto, apenas permitiram atenuar ligeiramente o factor negativo acima mencionado.

    A Enersis, participada da Semapa que opera na área da produção de energia com fontes renováveis, apresentou igualmente um bom desempenho traduzido num acréscimo de 28,8% da sua produção ( em relação ao ano anterior ) que totalizou 411 GWh.

    A dívida líquida consolidada do Grupo a 31 de Dezembro de 2003 totalizou 461 milhões de Euros versus os 162 milhões de Euros no ano anterior. A alteração do montante da dívida líquida deveu-se essencialmente à contratação e utilização de uma facilidade de crédito de 290 milhões de Euros para financiamento da aquisição de 41.06% do capital social da Secil referida anteriormente, aos investimentos adicionais efectuados pelo Grupo e ao cash flow gerado no período.

    Principais Indicadores Económico-Financeiros Consolidados 106 Eur

       1999 2000 2001 2002 2003
      
    Volume de Vendas 395 465 501 491 418
    EBITDA 161 165 162 168 120
    Amortizações e Provisões 44 54 54 55 62
    Amortizações do Goodwill 8 8 8 12 17
    EBIT 109 104 100 102 41
    Resultados Financeiros 1 (16) (10) (22) (3)
    Resultados Correntes 110 88 90 79 38
    Resultados Extraordinários 3 11 (2) 2 23
    Resultados Antes de Impostos 113 99 88 82 61
    Impostos 49 40 4 21 20
    Interesses Minoritátios 31 29 40 30 0
    Resultados Líquidos 33 31 44 31 40
    Cash-Flow 85 92 106 97 120
    Activo Líquido Total 598 953 1.003 1.068 1.225
    Capitais Próprios 189 194 211 225 238
    Dívida Líquida 114 253 230 162 461
    Margem EBITDA 41% 36% 32% 34% 29%
     

    A participação financeira, de cerca de 9% do capital da Cimpor SGPS, S.A., representada por 60.459.700 acções, anteriormente relevada em investimentos financeiros, foi reclassificada a 30 de Junho de 2003 como títulos negociáveis, por forma a reflectir mais apropriadamente a natureza do referido investimento.


     

    11 de Março de 2004 - EMPRÉSTIMO OBRIGACIONISTA SEMAPA/98 - REEMBOLSOS ANTECIPADOS

     

    Informamos que, por solicitação de obrigacionistas nos termos das condições de emissão do empréstimo Semapa/98, foi efectuado em 9-3-2004 o reembolso antecipado de 149.639.459 obrigações, ficando assim a emissão reduzida a um total de 2.244.590.447 obrigações.

    Lisboa, 11 de Março de 2004
    A Adminisração

     


     

     

    5 de Março de 2004 - EMPRÉSTIMO OBRIGACIONISTA SEMAPA/98 - ALTERAÇÕES DAS CONDIÇÕES DO EMPRÉSTIMO

     

    Informamos que na assembleia geral de obrigacionistas Semapa/98 que teve lugar no dia 5 de Março de 2004 foram aprovadas as seguintes alterações à ficha técnica do empréstimo:

    1. Eliminação da cláusula “Reembolso antecipado (Call-Option)”
    2. Alterar a redacção da cláusula “Reembolso antecipado (Put-Option)” para: “Reembolso antecipado (Put Option): Os subscritores poderão solicitar o reembolso antecipado do empréstimo ou do remanescente do capital em dívida (Put-Option), ao par, na data de vencimento do 12º cupão.”
    3. Alteração da redacção da cláusula “Taxa de juro” a partir da data de vencimento do 12º cupão para: “Taxa de Juro: correspondente à média aritmética das taxas “EURIBOR 6 meses” em vigor nos cinco dias úteis TARGET anteriores à data de início de cada um dos períodos de contagem de juros, acrescida de 1.25% ao ano, e arredondada, se necessário, à terceira casa decimal de ponto percentual imediatamente superior.

    Por “EURIBOR 6 meses” entende-se a taxa patrocinada pela Federação Bancária Europeia em associação com a Associação Cambista Internacional resultante do cálculo da média das taxas de depósitos interbancários para o prazo de 6 meses denominados em Euro, oferecidas na zona da União Económica e Monetária entre bancos de primeira linha, cotada para valor spot (TARGET + 2), na base Actual/360, e divulgada cerca das 11 horas de Bruxelas, na página EURIBOR01 da REUTERS, ou noutra página que a substitua, ou no caso de a REUTERS cessar a divulgação, na página de outra agência que a divulgue. Para este efeito, são considerados “dias úteis TARGET” aqueles em que o sistema de pagamentos TARGET (Trans-European Automated Real Time Gross Settlement Express Transfer) esteja em funcionamento.”

    Esclarece-se os Senhores Obrigacionistas que tenham comunicado à sociedade a intenção de exercício da Put-Option no 12º cupão que poderão, caso assim o entendam, face às alterações das condições do empréstimo acima referidas, comunicar à sociedade a revogação da sua intenção de exercício da Put-Option até ao dia 8 de Março de 2004.

     


     

     

    25 de Fevereiro de 2004 - FACTO RELEVANTE-SEMAPA INFORMA SOBRE APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA NO ÂMBITO DO CONCURSO PÚBLICO PARA EXECUTAR A SEGUNDA FASE DE REPRIVATIZAÇÃO DA PORTUCEL

     

    Em cumprimento do disposto no artigo 248º do Código dos Valores Mobiliários, torna-se público que a Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A., através da sua participada Seinpart – Participações, SGPS, S.A., apresentou, na presente data, uma proposta de compra de um lote de 230.250.000 acções nominativas, com valor nominal de € 1 cada uma, representativas de 30 % do capital social da Portucel – Empresa Produtora de Pasta e Papel, S. A no âmbito do Concurso Público destinado a executar a segunda fase de reprivatização do capital desta sociedade.

    Mais se informa que nem a Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A nem qualquer sociedade que consigo se encontre em relação de domínio ou de grupo celebrou qualquer acordo com accionistas da Portucel - Empresa Produtora de Pasta e Papel, S. A., susceptível de determinar, em consequência do estatuído no artigo 20º do Código dos Valores Mobiliários, uma imputação de direitos de voto inerentes a acções representativas do capital social desta sociedade, ou que lhe atribua um direito a adquirir, manter ou reforçar uma participação qualificada na referida sociedade.

    Lisboa 25 de Fevereiro de 2004

    A Administração,

    Representante das Relações com o Mercado: Dr. José Honorio – Telef. (21 792 71 20)

     


     

     

    20 de Fevereiro de 2004 - ASSEMBLEIA GERAL ANUAL - RECTIFICAÇÃO DE CONVOCATÓRIA 

     

    Informo os Senhores accionistas que a Assembleia Geral Anual desta sociedade terá lugar em Lisboa, na Av. das Forças Armadas, nº 125, 13º C, no dia 16 de Abril do corrente ano, pelas 11 horas, e não no dia 6 de Abril como por lapso consta da convocatória aqui publicada.

    Lisboa, 19 de Fevereiro de 2004

    O Presidente da Mesa da Assembleia Geral

    Henrique Reynaud Campos Trocado

     


     

     

    16 de Fevereiro de 2004 - OBRIGAÇÕES SEMAPA 98 - AMORTIZAÇÃO PARCIAL E PAGAMENTO DE JUROS REFERENTES AO CUPÃO Nº 12 

     

    Informam-se os titulares de obrigações SEMAPA 1998, que se efectuará a partir do próximo dia 09 de Março o pagamento de juros referentes ao cupão nº 12, e a amortização parcial, sendo agente pagador principal o

    BANCO PORTUGUÊS DE INVESTIMENTO, S.A.
    Valor ilíquido (EUR) 0.00011990
    IRC/IRS 0.00002398
    Valor líquido (EUR) 0.00009592

    Amortização

    0.00200000

    Nos termos do regulamento da Central de Valores Mobiliários, o pagamento de juros das obrigações centralizadas será efectuado através daquela Central (Código C.V.M.SEMBOE).

    Lisboa, 16 de Fevereiro de 2004

    SEMAPA - SOCIEDADE DE INVESTIMENTO E GESTÃO, SGPS, S.A.

     


     

     

    16 de Fevereiro de 2004 - CONVOCATÓRIA ASSEMBLEIA GERAL ANUAL

     

    Ao abrigo do disposto no nº 1 do artigo 376º e no nº 6 do artigo 377º, ambos do Código das Sociedades Comerciais, convoco os Senhores Accionistas para reunirem em Assembleia Geral em Lisboa, na Av. das Forças Armadas, nº 125, 13º C, no dia 16 de Abril do corrente ano, pelas 11 horas, com a seguinte ordem de trabalhos:

    1. Deliberar sobre o Relatório de Gestão, o Balanço e as Contas do exercício de 2003, bem como sobre o Relatório e Parecer do Conselho Fiscal;
    2. Deliberar sobre os documentos de consolidação de contas referentes ao mesmo exercício;
    3. Deliberar sobre a aplicação de resultados;
    4. Proceder à apreciação geral da administração e fiscalização da Sociedade;
    5. Deliberar sobre uma proposta do Conselho de Administração para aquisição e alienação de acções e obrigações próprias;
    6. Deliberar sobre a ratificação da designação dos Revisores Oficiais de Contas efectivos e suplentes efectuada nos termos do nº 3 do artigo 50º do DL 487/99 de 16 de Novembro.
    7. Proceder à eleição para preenchimento de uma vaga no Conselho Fiscal até ao final do mandato em curso.

    Durante os quinze dias anteriores à data da Assembleia serão facultados à consulta dos Senhores Accionistas, na sede social, os elementos de informação preparatória previstos na lei.

    Requisitos para participação e exercício do direito de voto:

    • Só podem assistir e participar na Assembleia, além dos membros dos Corpos Sociais e do representante comum dos obrigacionistas, os accionistas que possuam o minímo de 385 acções, quantidade a que corresponde um voto, e que até oito dias antes da data da reunião apresentem documento comprovativo da titularidade das acções desde pelo menos o trigésimo dia anterior à data da Assembleia e do seu bloqueio até ao termo desta.
    • Podem também assistir à assembleia geral os accionistas que não tendo direito de voto se agrupem até perfazer pelo menos o número mínimo de acções e se façam representar por um dos agrupados.
    • Um accionista só pode fazer-se representar em assembleia geral por cônjuge, ascendente ou descendente, por um membro do conselho de administração ou por outro accionista, salvo os accionistas que forem pessoas colectivas, os quais poderão delegar a sua representação em quem entenderem.
    • Os instrumentos de representação voluntária de accionistas, quer sejam pessoas singulares ou colectivas, deverão ser entregues ao presidente da mesa da assembleia geral até oito dias antes do dia da reunião.

    Os accionistas podem votar por correspondência nos termos do artigo 22º do Código dos Valores Mobiliários, processando-se a voto da seguinte forma:

    • O subscrito contendo as declarações de voto deve ser dirigido ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral e entregue na sede social ou para aí enviado por carta registada com aviso de recepção;
    • Tal subscrito deve dar entrada na sociedade até três dias úteis antes da data da reunião;
    • O mesmo subscrito deve conter (1) as declarações de voto, uma para cada ponto da ordem de trabalhos, em subscrito fechado e independente com a indicação exterior do ponto da ordem de trabalhos a que se destina e (2) Carta dirigida ao Presidente da Mesa, com assinatura notarialmente reconhecida, manifestando a vontade de votar;

    Lisboa, 10 de Fevereiro de 2004

    O Presidente da Mesa da Assembleia Geral

    Henrique Reynaud Campos Trocado

     


     

     

    13 de Fevereiro de 2004 - INFORMAÇÃO - PARTICIPAÇÕES QUALIFICADAS

     

    Nos termos e para os efeitos do nº 1 do art.º 17º do Código dos Valores Mobiliários torna-se público ter a AF Investimentos – Fundos Mobiliários, S.A., em representação dos fundos mobiliários por si geridos, comunicado a esta sociedade, através de telecópia recebida na presente data, que em 11 de Fevereiro de 2004 aumentou, por via de aquisição, a sua participação na Semapa para 2.468.900 acções correspondentes a 2,09% do respectivo capital. Considerando o número de acções da sociedade que, na presente data, se encontram sujeitas ao regime de acções próprias, tal participação corresponde a 2.14 % dos direitos de voto não suspensos da sociedade.

     


     

     

    29 de Janeiro de 2004 - ASSEMBLEIA GERAL DE OBRIGACIONISTAS - CONVOCATÓRIA

     

    ASSEMBLEIA GERAL DE OBRIGACIONISTAS - CONVOCATÓRIA
    Nos termos do nº 2 do artigo 355º Código das Sociedades Comerciais, convoco os Senhores Obrigacionistas que sejam titulares de obrigações Semapa/98, para reunirem em Assembleia de Obrigacionistas, no próximo dia 5 de Março de 2004, pelas 10:00 horas, na sede desta sociedade, com a seguinte ordem de trabalhos:

    Ponto único – Deliberar, nos termos da alínea b) do nº 4 e do nº 7 do artigo 355º do Código das Sociedades Comerciais, sobre a modificação das condições dos créditos dos obrigacionistas, conforme proposta da emitente que se transcreve:

    “Nos termos do artigo 355º nº 4 alínea b) do Código das Sociedades Comerciais, propõe-se que sejam alteradas as condições dos créditos dos obrigacionistas Semapa/98 através das seguintes modificações a introduzir na ficha técnica em vigor:

    1ª Eliminação da cláusula “Reembolso antecipado (Call-Option)”

    2ª Alteração da redacção da cláusula “Reembolso antecipado (Put-Option)” para: “Reembolso antecipado (Put Option): Os subscritores poderão solicitar o reembolso antecipado do empréstimo ou do remanescente do capital em dívida (Put-Option), ao par, na data de vencimento do 12º cupão.”

    3ª Alteração da redacção da cláusula “Taxa de juro” a partir da data de vencimento do 12º cupão para: “Taxa de Juro: correspondente à média aritmética das taxas “EURIBOR 6 meses” em vigor nos cinco dias úteis TARGET anteriores à data de início de cada um dos períodos de contagem de juros, acrescida de 1.25% ao ano, e arredondada, se necessário, à terceira casa decimal de ponto percentual imediatamente superior.

    Por “EURIBOR 6 meses” entende-se a taxa patrocinada pela Federação Bancária Europeia em associação com a Associação Cambista Internacional resultante do cálculo da média das taxas de depósitos interbancários para o prazo de 6 meses denominados em Euro, oferecidas na zona da União Económica e Monetária entre bancos de primeira linha, cotada para valor spot (TARGET + 2), na base Actual/360, e divulgada cerca das 11 horas de Bruxelas, na página EURIBOR01 da REUTERS, ou noutra página que a substitua, ou no caso de a REUTERS cessar a divulgação, na página de outra agência que a divulgue.

    Para este efeito, são considerados “dias úteis TARGET” aqueles em que o sistema de pagamentos TARGET (Trans-European Automated Real Time Gross Settlement Express Transfer) esteja em funcionamento.”

    Esclarece-se ainda os Senhores Obrigacionistas que até à data da Assembleia Geral de Obrigacionistas tenham comunicado à sociedade a intenção de exercício da Put-Option no 12º cupão, poderão, caso assim o entendam, face às deliberações que venham a ser tomadas naquela Assembleia, comunicar por escrito à sociedade a revogação da sua intenção de exercício da Put-Option, até ao dia 8 de Março de 2004.

    Observações:

    • - A cada obrigação corresponde um voto;
    • A deliberação em causa deve ser aprovada por metade dos votos correspondentes a todos os obrigacionistas e vincula os obrigacionistas ausentes ou discordantes;
    • Os obrigacionistas devem fazer prova, até à data da Assembleia, na sede da sociedade, da qualidade de obrigacionistas e do número de obrigações de que são titulares, e
    • Qualquer obrigacionista se pode fazer representar por mandatário, por meio de carta dirigida ao presidente da assembleia, com a anotação, pelo signatário, do número, data e entidade emitente do bilhete de identidade, ou, tratando-se de pessoa colectiva, com a assinatura reconhecida por notário.

    A Representante Comum dos Obrigacionistas
    Leonor Maria Barreto de Carvalho Ventura de Castro

     


     

     

    16 de Dezembro de 2003 - COMUNICADO - AQUISIÇÃO DE ACÇÕES PRÓPRIAS

     

    Comunicamos a V. Ex.as nos termos dos artigos 9º e 10º do Regulamento da CMVM nº 11/2000 que vendemos na sessão de Bolsa Euronext Lisboa de hoje, 2.653.280 acções da Semapa – Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta pelo preço unitário de 3,63€.

    Mais informamos que em sessão da Euronext Lisboa de hoje, que essas acções foram adquiridas pela sociedade Secil - Investimentos, SGPS, S.A., com sede em Av. das Forças Armadas nº 125 8º Andar em Lisboa, com o capital social de 25.000.000 de euros, registada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa sob o n.º 10.289, NIPC n.º 504 703 315, dominada por esta sociedade, pelo preço unitário de 3,63€.

    A sociedade deixou de deter directamente acções próprias e passou a deter indirectamente através da referida Secil – Investimentos, SGPS., S.A. um total de 2.727.975 acções, correspondentes a 2,3 % do capital social.

     


     

     

    27 de Novembro de 2003 - FACTO RELEVANTE

     

    Na sequência de noticias hoje publicadas na imprensa relativas a uma eventual venda pela SEMAPA de uma participação de 41% na SECIL – Companhia Geral de Cal e Cimento, S.A. (SECIL), vem esta sociedade informar que se encontra a considerar a hipótese de proceder à alienação da participação representativa de 41% do capital social da SECIL que adquiriu aos sócios dinamarqueses. Nesse sentido a SEMAPA desencadeou um processo com a finalidade de proceder à selecção de potenciais interessados na aquisição de participações no capital da SECIL.

    Eventuais acordos que venham a ser firmados com vista à alienação de participação no capital da SECIL serão objecto de pronta comunicação ao mercado.

     


     

    30 de Outubro de 2003 - COMUNICADO
    Comunicado - Resultados Consolidados 3º Trimestre.

    No terceiro trimestre de 2003 o desempenho do Grupo manteve-se abaixo do verificado no ano anterior o que se deve, essencialmente, à diminuição da actividade do sector de construção civil, em Portugal e na Tunísia, que afectou significativamente os negócios ligados a esse sector, nomeadamente o cimento, o betão-pronto, os inertes, a prefabricação em betão e os aglomerantes e argamassas.

    Prosseguiram os importantes investimentos em curso na área do cimento, em Portugal e na Tunísia, e na área de produção de energia eléctrica.

    As vendas consolidadas atingiram 106,3 milhões de euros no 3º trimestre do ano. Em termos acumulados, ascenderam a 320 milhões de euros, o que representa uma diminuição sensível de 17,6% relativamente ao período homólogo de 2002.

    A margem EBITDA, acumulada ao 3º trimestre, foi de 29% situando-se abaixo da verificada em 2002 (35,5%) e ligeiramente acima da obtida no 1º semestre do ano (28%).

    O cash flow acumulado ascendeu a 83,4 milhões de euros, representando um aumento de cerca de 6% relativamente ao período homólogo do ano anterior.

    Os resultados líquidos obtidos no trimestre ascenderam a 8,5 milhões de euros. Em termos acumulados, atingiram 29,2 milhões de euros, o que representa um aumento de 10,5% relativamente ao período homólogo do ano anterior, tendo sido positivamente influenciados pela valorização relativa da participação financeira na Cimpor.

    A participação financeira na Cimpor encontra-se contabilizada pelo respectivo valor de cotação de mercado a 30 de Setembro - 3,45 euros por acção - por ser inferior ao respectivo custo de aquisição e registou um ligeiro aumento relativamente a 31 de Dezembro quando apresentava um valor de cotação de 3,20 euros por acção. Assim, anulou-se em cerca de 15,1 milhões de euros parte da provisão que tinha sido constituída, em 2002, na rubrica "Provisões para Investimentos Financeiros" com a consequente relevação na rubrica "Proveitos e Ganhos Extraordinários". O impacto nos Impostos Diferidos foi de aproximadamente 5,3 milhões de euros. Os Resultados Líquidos Consolidados dos nove meses de actividade em 2003 foram assim positivamente influenciados em cerca de 9,8 milhões de euros.

    O aumento da dívida líquida deveu-se essencialmente à contratação e utilização de uma facilidade de crédito de 290 milhões de euros para financiamento da aquisição de 41,06% do capital social da Secil, que foi oportunamente comunicada ao mercado em Março do corrente ano e explicitada no Relatório do Conselho de Administração do primeiro semestre. A aquisição desta participação teve também como efeito a redução dos interesses minoritários para níveis materialmente não relevantes.

    A 13 de Outubro, a Semapa aderiu ao segmento NextPrime do Euronext, de acordo com a decisão tomada no Segmentation Comitee realizado em 23 de Setembro.

     


     

     

    14 de Outubro de 2003 - ADESÃO AO NEXT PRIME
    A SEMAPA – Sociedade de Investimento e gestão, SGPS, SA foi incluída no segmento NextPrime e no Índice NextPrime, a 13 de Outubro de 2003. Esta adesão ao NextPrime trará maior visibilidade ao título Semapa, ao mesmo tempo que implica um compromisso de partilha de informação financeira com o mercado dentro de parâmetros de especial exigência. No Boletim de Cotações da Euronext Lisbon de 10 de Outubro de 2003 foi publicado o seguinte aviso: 

     

    Aviso Nº 542/03
    Inclusão da SEMAPA – Sociedade de Investimento e gestão, SGPS, SA no segmento NextPrime e no Índice NextPrime

     

     

     

    Após parecer do Comité de Segmentação, a Euronext Lisbon informa que a empresa SEMAPA – Sociedade de Investimento e gestão, SGPS, SA será incluída no segmento NextPrime a partir de 13 de Outubro de 2003. A empresa será ainda incluída, na mesma data, no Índice NextPrime.

     

     

     

    NextPrime
    ISIN CODE LISTING PLACE COMPANY
    PT SEM 0AM 0004 Lisbon SEMAPA – Sociedade de Investimento e gestão, SGPS, SA

     


     

     

    5 de Setembro de 2003 - INFORMAÇÃO - ALTERAÇÃO DE COMPOSIÇÃO DOS ÓRGÃOS SOCIAIS
    Informamos nos termos da alínea d) do nº 1 do artigo 3º do regulamento da CMVM nº 11/2000 que a sociedade António Dias e Associados, SROC, S.A., representada pelo Senhor Dr. António Marques Dias, que exercia as funções de Presidente do Conselho Fiscal, o Senhor Dr. Luís Miguel de Almeida Belo, que exercia as funções de vogal do Conselho Fiscal e a sociedade Freire Loureiro e Associados, SROC, S.A., representada pelo Senhor Dr. Carlos Oliveira Loureiro, que tinha a posição de suplente do Conselho Fiscal, renunciaram aos respectivos cargos no dia 8 de Julho de 2003, e que a Mesa da Assembleia Geral da sociedade designou no dia 6 de Agosto de 2003, nos termos do artigo 50º do DL 487/99 de 16 de Novembro, para Revisor Oficial de Contas efectivo a sociedade Belarmino Martins, Eugénio Ferreira e Associados, SROC, Lda, inscrita na Ordem dos Revisores Oficiais de Contas sob o nº 39, representada pelo Senhor Dr. Abdul Nasser Abdul Sattar, Revisor Oficial de Contas nº 958 e para suplente o Senhor Dr. António Alberto Henrique Assis, Revisor Oficial de Contas nº 815, designações estas que nos termos da citada disposição serão submetidas a ratificação na próxima assembleia geral da sociedade.

     


     

    18 de Agosto de 2003 - OBRIGAÇÕES SEMAPA 98
    PAGAMENTO DO CUPÃO Nº 11
    Informam-se os titulares de obrigações SEMAPA 1998, que se efectuará a partir do próximo dia 09 de Setembro o pagamento de juros referentes ao cupão nº 11, sendo agente pagador principal o BANCO PORTUGUÊS DE INVESTIMENTO, S.A.
    Valor ilíquido (EUR) 0.00013035 IRC/IRS 0.00002607 Valor líquido € 0.00010428 €
    Nos termos do regulamento da C.V.M., o pagamento de juros das obrigações depositadas será efectuado através daquela Central de Valores Mobiliários (SEMBOE).

     


     

    5 de Maio de 2003 - INFORMAÇÃO - SECRETÁRIO DA SOCIEDADE
    Informamos nos termos da alínea e) do nº 1 do artigo 3º do regulamento da CMVM nº 11/2000 que na reunião do Conselho de Administração do dia 30 de Abril de 2003 foi deliberado reconduzir o Senhor Dr. Paulo Miguel Garcês Ventura nas funções de secretário da sociedade efectivo e o Senhor Dr. José Miguel Gens Paredes nas funções de secretário da sociedade suplente, com efeitos desde o dia 31 de Março de 2003, data da eleição do actual Conselho de Administração da sociedade.

     


     

    22 de Abril de 2003 - INFORMAÇÃO - CONVERSÃO DE ACÇÕES
    Informamos nos termos da alínea d) do nº 2 do artigo 2º do regulamento da CMVM nº 11/2000 que no dia 12 de Maio de 2003 todas as acções da sociedade, actualmente ao portador, serão convertidas em acções nominativas, nos termos da alteração estatutária deliberada na assembleia geral da sociedade que teve lugar no dia 31 de Março. Esta conversão implicará a alteração do código ISIN das acções.

     


     

    9 de Abril de 2003 - INFORMAÇÃO - TITULARES DOS ÓRGÃOS SOCIAIS
    Informamos nos termos da alínea d) do nº 1 do artigo 3º do regulamento da CMVM nº 11/2000 que na assembleia geral da sociedade que teve lugar no dia 31 de Março último foram eleitos para o triénio que termina em 31-12-2005 os seguintes titulares para os cargos sociais:

    Mesa da Assembleia Geral:
    Presidente: Dr. Henrique Reynaud Campos Trucado
    Secretário: Eng. Jorge Manuel de Mira Amaral

    Conselho Fiscal:
    Presidente: António Dias e Associados, SROC (Representada pelo Dr. António Marques Dias)
    Vogais efectivos: Dr. Rafael Caldeira Castel-Branco Valverde

     


     

    3 de Abril de 2003 - PAGAMENTO DE DIVIDENDOS
    Informam-se os Senhores accionistas que os dividendos relativos ao exercício de 2002, atribuídos por deliberação da Assembleia Geral de 31 de Março de 2003, serão pagos no dia 22 de Abril, correspondendo o seguinte dividendo a cada acção:

     

    Accionistas Residentes Accionistas não Residentes
    Dividendo Ilíquido 0,10 Dividendo Ilíquido 0,10
    IRS/IRC (15%) 0,015 IRS/IRC (25%) 0,025
    ISD (5%) 0,005 ISD (5%) 0,005
    Dividendo Líquido 0,08 Dividendo Líquido 0,07

     

    Os dividendos serão pagos através da Central de Valores Mobiliários, nos termos do respectivo regulamento.

    Para efeitos de isenção ou dispensa de retenção na fonte de IRS/IRC e/ou ISD os senhores accionistas devem confirmar a sua caracterização fiscal junto das entidades depositárias das acções.

     


     

    12 de Março de 2003 - COMUNICADO
    Informa-se, que na presente data, a SECIL INVESTIMENTOS SGPS, SA, uma subsidiária integral da SEMAPA, celebrou a escritura publica de aquisição das quotas detidas pelas sociedades Hojgaard Holding A/S e FLS Industries A/S no capital social da FLSHH, SGPS LDA a qual é, por sua vez, detentora de 21.728.520 acções da Secil – Companhia Geral de Cal e Cimento, S.A. representativas de 41.06% do seu capital social.

     


     

    23 de Dezembro de 2002 - COMUNICADO
    Informa-se, que em 23 de Dezembro de 2002 a SEMAPA e a Hojgaard Holding a/s e FLS Industries a/s chegaram novamente a acordo para a compra por uma subsidiária integral da SEMAPA, das quotas detidas pelas referidas sociedades Dinamarquesas do capital social da FLSHH, SGPS LDA a qual é, por sua vez detentora de 21.728.520 acções da Secil – Companhia Geral de Cal e Cimento, S.A representativas de 41.06% do seu capital social. O financiamento destinado à aquisição daquela participação encontra-se contratado há algum tempo. Está todavia condicionado à aprovação pela Assembleia Geral da Semapa de determinados actos de disposição de acções do capital social da Secil, bem como de outras condições precedentes usuais em contratos de financiamento internacionais semelhantes ao celebrado. A aquisição supra referida deverá ter lugar até 25 de Março de 2003, caducando o acordo agora alcançado caso até essa data não sejam preenchidas as condições precedentes à disponibilização dos fundos do financiamento contratado.

     


     

    11 de Dezembro de 2002 - FACTO RELEVANTE
    Informa-se, nos termos do artigo 248º do Código dos Valores Mobiliários, que esta sociedade prometeu adquirir, através de sociedade por si dominada a 100%, e pelo preço de cerca de EUR 304.000.000 (trezentos e quatro milhões de euros), a totalidade do capital social da sociedade FLSHH, SGPS, Ldª, que por sua vez detém 21.728.520 acções, correspondentes a 41,06 %, do capital social da SECIL – Companhia Geral de Cal e Cimento, S.A. e a 44,6% dos direitos de voto. Nos termos da promessa, a celebração do contrato definitivo fica sujeita à obtenção de adequado financiamento por parte do adquirente, e deverá ocorrer até 18 de Novembro de 2002. O preço será pago com a celebração do contrato definitivo.

     


     

    6 de Dezembro de 2002 - FACTO RELEVANTE
    Informa-se nos termos do artigo 248º do Código dos Valores Mobiliários que por impossibilidade de dar atempado cumprimento a uma condição precedente formulada pela entidade financiadora da operação, não terá lugar no próximo dia 9 de Dezembro de 2002 a aquisição pela Semapa do capital social da FLSHH, SGPS, Lda, que por sua vez detém 21.728.520 acções da SECIL – Companhia Geral de Cal e Cimento, S.A., que fora anunciada como devendo ocorrer até essa data, mantendo-se todavia em curso as negociações para a conclusão do negócio em apreço.

     


     

    12 de Novembro de 2002 - FACTO RELEVANTE
    Em complemento do facto relevante divulgado no passado dia 4 de Outubro, informa-se que, por acordo das Partes, foi prorrogado até 9 de Dezembro de 2002 o prazo para celebração do contrato definitivo de aquisição da totalidade do capital social da FLSHH, SGPS, Lda., que por sua vez detém 21.728.520 acções, correspondentes a 41,06% do capital social da SECIL - Companhia Geral de Cal e Cimento, SA e a 44.6% dos direitos do voto.

     


     

    17 de Abril de 2002 - FACTO RELEVANTE
    Informa-se que uma sociedade dominada pela Semapa, assinou um acordo com vista à subscrição integral de um aumento de capital que a sociedade “Ciment de Sibline SAL” com sede em Beirute no Líbano irá realizar no valor de LBP 30 140 000 000 representando cerca de USD 20 000 000, passando a deter 21.22% do capital social daquela sociedade.

     


     

    10 de Dezembro de 2001 - FACTO RELEVANTE
    O GRUPO SEMAPA, no contexto de uma reestruturação societária interna , procedeu à alienação da SECILPAR, S.L, Sociedad Unipersonal, sociedade que detém 9% das acções da CIMPOR CIMENTOS DE PORTUGAL SGPS, S.A., à PARCIM INVESTMENTS B.V., uma subsidiária da SEMAPA. Esta reestruturação visou racionalizar a respectiva estrutura tendo em vista o prosseguimento do processo de internacionalização, devendo ainda tal facto ter um impacto positivo que nesta fase se estima de cerca de 3.000.000 contos no resultado líquido de 2001 da Sociedade. alienação da SECILPAR, S.L, Sociedad Unipersonal, sociedade que detém 9% das acções da CIMPOR CIMENTOS DE PORTUGAL SGPS, S.A., à PARCIM INVESTMENTS B.V., uma subsidiária da SEMAPA. Esta reestruturação visou racionalizar a respectiva estrutura tendo em vista o prosseguimento do processo de internacionalização, devendo ainda tal facto ter um impacto positivo que nesta fase se estima de cerca de 3.000.000 contos no resultado líquido de 2001 da Sociedade.